segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Fevereiro


Título: Luta de Classes
Dim: 80x100 cm
Acrílico s/ tela

57 comentários:

  1. Respostas
    1. Errrrrr... acho que tenho de esquecer a pintura e dedicar-me ao design de sapatos... :D

      Eliminar
  2. A chibatinha é claramente para a caso de entornares água no tapete de lã. Vai que o cágado faz um movimento mais brusco e não tens reflexos suficientemente rápidos para o deter?

    (A perspectiva deixa-me na posição desconfortável de quem olha de cima para baixo para a criada. O “opressor” é o observador e não “o Master”. O desconforto leva-me a imaginar como seria o quadro pintado na perspectiva inversa, de baixo para cima, num movimento “aspiracional”, de quem olha para cima, de quem acredita que o céu é o limite. Agora ficava aqui a manhã toda a pensar em coisas que sinto quando olho para o quadro. É sinal de que gostei muuuuiiiiiiiittttttoooooo.
    Parece-me que a mobilidade social acontece a bom ritmo, em certos casos como uma lebre ou uma chita :DDDD)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando for preciso dizer coisas inteligentes sobre os meus quadros, chamo-te a ti! :DDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Uma criada ao seu dispor, salvo seja :DDDDDD

      Eliminar
    3. eu cá não concordo! Acho que o olhar safado da Palmi..ai, da criada, mostra muita cumplicidade para ser um opressor, o opressor para mim está mesmo sentado na poltrona, ou então não estava com os sapatos atados. Já agora, poder-se-ia até sugerir que..é uma opressora e não um opressor por causa das mãos femininas...e quiçá...a criada e o "opressor" sejam a mesma pessoa mas com dupla personalidade...daí não se ver a cara. Ou então é só feio/feia. Adoooro o pormenor random do balde e do cágado. Sara

      Eliminar
    4. Super teoria da conspiração! :DDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    5. Não sei se aquele olhar da criada é de cumplicidade. Ela estará zangada (talvez porque descobrimos a maldade que está a fazer ao Master - que não está nem aí para ela, ter quem lhe até os sapatos é natural, nem sequer se coloca a questão da opressão) e contrariada, pelo que, tendo que atar os sapatos do Master vai atá-los, uma última vez, espera (espera-se?), mas um ao outro.

      Eliminar
    6. Mirone, eu acho que o observador é o mordomo, já o conhecemos do quadro do crocodilo. Um mordomo precisa de estar hirto, com boa postura, porém, é capaz de partilhar a cumplicidade daquela expressão, mesmo que lá no alto, e até sentir um certo alívio no deboche, agradecido por saber que não será entregue como cúmplice e já com um pingo de saudade da criada. Eu agora queria até um quadro só com a expressão do mordomo.

      Estamos todas de olho em si, Mirone, Relações Públicas de Palmier Encoberto.

      Eliminar
    7. -Ana-, vamos lá desenvolver a novela, just for fun.
      Pois eu acho que o mordomo não gosta assim tanto da criada. O leal mordomo há de pigarrear ou por alguma forma alertar o Master para o perigo que corre se tentar levantar-se com os sapatos atados. Se fosse para fazer mal já há muito tempo viria a despejar uma gota mínima de veneno na sua bebida, suficientemente pequena para não ser detetada, contudo capaz de, com o passar do tempo, causar danos (li isto não sei onde, de alguém que envenenou outro às prestações). E sim, gostava de ver a expressão do mordomo.

      Mas continuo a achar que o observador somos nós e o olhar da criada tem tanto de súplica (não me denuncies) como de ameaça velada (se dizes alguma coisa faço-te o mesmo).

      Eliminar
    8. Mirone, sim, agora vejo! (Refiro-me ao caso do mordomo, como a Mirone o descreve). E agora só penso: que podre do mordomo esconde a criada, para que este seja obrigado a ficar calado?! E imagino um novo quadro, com a empregada atrás da porta, enquanto o mordomo experimenta tangas rosa-choque, aos folhos rendados, no seu quarto dos fundos. Fosse eu rica, encomendava-o à Palmier por uns bons milhares.

      Eliminar
    9. Ahahahhahahhahahahahahahahahahahahahhaahhahahahhahahah

      Eliminar
    10. Xiiiii, a volta que isto já deu! De membro de uma classe explorada a criada passou a chantagista pérfida.
      :DDDD

      Eliminar
    11. Nahhh nahhhh Mirone, não estou convencida com a sua tese. Cá para mim o olhar da moça não denuncia nem súplica nem ameaça. Continuo a achar que é de cumplicidade...ela está com olhar safado de riso, de gozo, quase que se consegue ver a sorrir... mas concordo que o observador somos nós. No fundo, se isto tivesse legendas era do estilo:
      - criada: "Olha, olha o que estou a fazer ao parvo ihihih"
      - observador "ihihih que máximo! faz faz...oh pá, de génio"
      -criada: "Xiu, não fales tão alto ihihihi"
      sara

      Eliminar
  3. Gosto tanto dos seus quadros!!
    Quando fizer uma exposição, avise. Adorava mesmo ir ver!!
    São brutais!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 11:58,
      Não fique à espera que nossa Palmier avise! Houve uma exposição no CCB e NÃO DISSE a n.i.n.g.u.é.m.

      Eliminar
    2. Quando fiz a exposição ainda não tinha contratado a Mirone como minha Relações Públicas! Daqui para frente tudo será diferente! Ela agora trata-me da publicidade e tudo e tudo! :DDDDDDDDDDDDD

      (oh páaaaa... tive vergonha... :S de chegar aqui e dizer olhem eu!, olhem eu! :DDDDDDDDDD)

      Eliminar
    3. De beicinho aguardo. :3

      (Não há maneira de alguma vez a Palmier surgir dessa forma. Mas fico de olho na Mirone!)

      Eliminar
    4. Eu percebo que não quer mostrar a cara e que, se avisar, lá se vai o anonimato, mas os quadros são tão bons... Gostava mesmo!! (sou a anónima das 11.58! ;) )

      Eliminar
  4. Hoje devo ter acordado marota...
    De relance: Palmier encoberto vestida de criada (pode escrever-se criada?) sexy... Consorte com umas mãos tão sexy...

    (Pronto já passou).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste caso não se pode, neste caso deve-se mesmo dizer criada! :DDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Anónima, francamente! Não é a criada, é "a senhora lá de casa".

      Eliminar
  5. Hum... That naughty look! :DD
    (Adoro! :))

    ResponderEliminar
  6. Querida Palmier, A D O R E I!
    E estou de beicinho como a sua leitora lá acima. Se eu tivesse sabido, em tempo, do CCB, não faltaria lá! Fiquei mesmo triste quando soube e já tinha passado...
    Na próxima oportunidade não se acanhe de dizer... por favor...
    Obrigada! :)

    ResponderEliminar
  7. Já sabe que adoro a sua arte ! No entanto queria mesmo saber é como ficou a situação da tv na sala :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não tenho televisão aqui na sala! Sou uma infeliz! :DDDDDDDDDDD

      Eliminar
  8. Querida palmier se os quadros sao baseados em retratos creio que ja me cruzei consigo noutro canto da internet :D e que fiel é nesse caso ao original

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :DDDDDDDDDDDDD

      (eu sou a tartaruga! :DDDDDDDDDDDDDDD)

      Eliminar
  9. Hoje de manhã já tinha visto e tinha adorado mas só agora que voltei para ver melhor é que reparei que o senhor tem os atacadores dos dois sapatos presos um ao outro, que isto cada um luta com as armas que tem à mão e as armas dela são a esperteza.

    AMO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah! Que boml!!! Estava na dúvida se esse ponto - que é o principal do quadro - estava perceptível ou se passaria despercebido! Ainda bem que se percebe! :D

      Eliminar
    2. Se houvesse dúvidas nos atacadores, uma pessoa olhava para aquela expressão e ficava logo esclarecida. Haha Percebe-se muito bem, sim!

      Eliminar
  10. ADORO, ADORO, ADORO. Parabéns, Palmy!!!!

    ResponderEliminar
  11. Giro, o anel do Tio Pipoco :) :)

    ResponderEliminar
  12. Mesmo um zero à esquerda como eu a arte consegue perceber a evolução que está a ter. As feições da criada estão muito bem desenhas, as sombras bem colocadas e transmite na perfeição as emoções da personagem. Se me permite a intromissão, sempre pintou? Ou está a aprender agora?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre pintei (por vezes de forma intermitente), no entanto pintava coisas muito diferentes, nunca me tinha aventurado no figurativo e afinal é mesmo no figurativo que me sinto em casa :)

      Eliminar
  13. Nunca comentei antes, queria só lhe dizer, querida Palmier, que tem mais uma fã. Os seus quadros estão cada vez melhores e este é provavelmente o meu favorito. Um grande beijinho! Sara

    ResponderEliminar
  14. Maman, também quer comentar. O melhor de todos!
    Agora já não posso comentar como Maman. Tem de ser como anónimo.
    Será que posso comentar como “ mãe da artista” ou como D. Dolores das artes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal o enquadramento sempre funcionou bem! :D

      Eliminar
  15. Vem a propósito duma notícia de um qualquer jornal online de hoje.
    "Mulheres portuguesas :cansadas, infelizes e mais mal pagas"
    Subscrevo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum... as minhas mulheres são fortes e espertas, não são infelizes e mal pagas (e, se forem, dão cabo de quem lhes fizer maldades!)

      Eliminar
  16. Também ainda estou zangada com essa coisa de ter feito uma exposição no CCB e não ter dito nada aqui...mas está quase perdoada dado o brilhantismo desta luta de classes!
    ~CC~

    ResponderEliminar
  17. Ahahahahahahahahahahahahaha, fantástico cara Palmier!
    E com óculos para o trabalho ficar bem feito, sob supervisão da tartaruga!


    Alas, as minhas desculpas.
    Confirma-se, Consorte não é Pipoco.

    Pipoco é Anão, a julgar pelo ângulo das tele objectivas das câmaras dos fotógrafos à sua chegada à India (India de India, não foi à índia que o homem chegou, salvo seja...).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahhahahhahahhahahhahahahhahahhhahhahahhahahahhahahhahaha
      Lá se vai o rumor da estatura agravar ainda mais! :DDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  18. O teu anónimo de estimação1 de março de 2019 às 13:58

    Adoro. Uma espécie de "sair do armário" mas para o mundo dos fetiches. O fato de empregada, a chibata, a personagem do homem poderoso e da mulher submissa, a tartaruga a pedir para que tudo seja bem lento....
    Amei.

    ResponderEliminar