sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Também me apetece dizer mal!


Quem foi o idiota do Ministro, ou Secretário de Estado, ou Sub Secretário de Estado que, sentado na sua mesinha, à luz do seu candeeiro de latão doirado com abat-jour de veludo encarnado, arquitectou a anormalidade desta lei que taxa os sacos de plástico? 

E, reparem, eu percebo que se queira banir aqueles sacos de plástico nojentos da face da terra, a sério que sim, mas, meus queridos ratinhos das alcatifas dos Ministérios, as coisas não se fazem assim, ok? Eu sei que vocês, que se afanam em grandes pensamentos aí pelos Ministérios, não fazem a mais pálida ideia do que se passa nas empresas, mas não se aflijam, Palmier explica a sua dúvida:

Pois então, querido Ratinho, deixa que te diga que tenho aqui em stock quatrocentos mil sacos, desses nojentos que nem tu nem eu gostamos, quatrocentos mil sacos são o que nos resta de uma compra de um milhão, efectuada em Abril de 2014, quando nem tu, mas principalmente eu, meu querido Ratinho, sabíamos que esta lei veria a luz do dia a 31 de Dezembro. O meu milhão de sacos custou qualquer coisa como sete mil e quinhentos euros, ou seja 0,008 € por saco. Ora, o que tu estás a dizer é que eu, que comprei estes sacos por 0,008 quando não fazia a menor ideia que tu, meu caro rato, ias estar sentado a tua mesinha, à luz do candeeiro doirado com um abat-jour de veludo encarnado a ter estas ideias espectaculares, vou ter de te pagar ao Estado (porque é impraticável e uma afronta cobrar DEZ CÊNTIMOS aos nossos clientes por um saco plástico que vale 0,008) 10 cêntimos por cada saco que tenho em stock? Quer isso dizer que pelos quatrocentos mil sacos que me restam e que me custaram três mil euros, ainda vou ter de pagar ao Estado mais QUARENTA MIL? Quer isto dizer que a porra dos quatrocentos mil sacos, porque tu resolveste mudar as regras a meio do jogo, me vão custar QUARENTA E TRÊS MIL EUROS? É que, minha cara Ratazana de esgoto, por menos que isto eu tinha comprado uns sacos de papel lindos e espectaculares, percebes? Se eu soubesse as regras tinha feito outra opção! Capisce?


Se me dissesses que, sim senhora, ‘bora lá acabar com este flagelo do plástico; assim que se vos acabar o stock, as regras são diferentes (porque se isto é uma norma para o futuro, é um bocadinho indiferente que os sacos parem de circular a 15 de Fevereiro ou a 15 de Agosto, o importante é que num espaço de tempo razoável, parem de circular) eu, apesar de pagar mais pelos sacos de papel, até te acompanhava de bom grado, percebes? Assim? Assim só te mando à merda! 

(É que já era tempo do Estado tratar os cidadãos com algum respeito!)


Agora sim, já estou equipada para ir ler blogs!




quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Palmier Encoberto tem o prazer de anunciar a estreia de um filme épico:



Sinopse

Há muito tempo, num universo muito, muito, paralelo e quando nada o fazia esperar, eclodiu das trevas uma luta sangrenta. A saga "A Guerra dos Blogs" inicia-se num ambiente tenebroso, o equilíbrio de forças do blogo-império encontra-se ameaçado e a sua forma de convivência está em perigo, em causa está a definição da categoria de cada blog, já que, depois de muito tempo com categorias bem definidas e imutáveis, a Administração do Blogo-Império decidiu rever a categorização de alguns blogs, e blogs que eram tidos como Jedi passaram repentinamente a ser considerados Sith, Tal alteração do status quo levou a que alguns desses Novos-Sith, para tentar reverter a situação, pegassem nos seus sabres de luz para se apoderarem da Blogoth-Star...


Um enredo espectacular com actuações extraordinárias e dignas de Oscar 


May the force be with us!


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Alto e pára o baile! Qu'é lá isso?!

Parece que se diz por aí, algures, que houve alguém que me destronou do primeiro lugar do pódio do pior casaco do blogomundo?! Estou de rastos... a sério... agora que estávamos quase a chegar ao fim do Inverno e que eu já estava crente numa vitória esmagadora, acontece isto?! Não! Não pode ser... Nem quero acreditar em tamanha má sorte...



E já que estamos numa de verde...

As mãos da minha filha, ontem, quando cheguei a casa:


(eu não digo que a minha empregada, se não fosse minha empregada, podia ser blogger!)



segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Pronto!

Agora acho que está bem!



Talvez assim ficasse menos assustador...


O efeito não foi propriamente o que tinha imaginado...

Mas depois dos momentos absolutamente claustrofóbicos que vivi enquanto a minha Maman urdia a teia, momentos em que só pensava "olha se agora havia um tremor de terra e eu tinha de fugir porta fora com isto na cabeça?!", é que até cheguei a imaginar os diálogos que ia ter com os meus vizinhos na escada:

- Boa noite, como está? Querem lá ver que isto é mesmo um tremor de terra?! Ui, ui, que ainda nos cai alguma coisa em cima! O que vale é que eu estou sempre equipada para estas eventualidades (frase que acompanharia com um gesto de polegares para cima)! É que mais vale prevenir que remediar, essa é que é essa!

Depois e enquanto as escadas tremelicavam e as luzes falhavam, tzzzzz, tzzzzz, eu batia com minha própria mão no meu próprio novelo, truz, truz, truz, para lhes mostrar que sim senhora, que o meu capacete era extremamente eficaz e depois saíamos para a rua, eu ficava parada a olhar para o prédio a abanar de um lado para o outro e os meus vizinhos ficavam parados a olhar para mim.

Mas como ia dizendo, depois dos terríveis momentos que vivi dentro deste novelo de lã, a fotografia terá de servir durante algum tempo. De qualquer forma é um bom header de Inverno, muito próprio para estar a ler blogs à lareira.




sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Ainda aqui estou à espera...

(será que é aldrabice? Nã... não pode ser!)



Estranho...

Ainda não chegaram...!?

Devem estar a esmerar-se no crumble... sim, deve ser isso. Estou confiante.


Estamos com fome e não temos nada no frigorífico

As crianças, coitadinhas, com as barrigas a dar horas, choram desalmadamente a suplicar uma côdea de pão. E eu, para os acalmar, já lhes disse:

- Calma meus ricos filhos, a mãe é blogger, a mãe faz um post a relatar a nossa triste situação e vão ver que, daqui a meia hora, os senhores do Pingo Doce aparecem aqui em casa a cantar aquela musiquinha amorosa, com sorte até pode ser que seja o próprio Alexandre Soares dos Santos, que ele adora estas coisas, e oferecem-nos uma incrível refeição de take-away. 

Agora estamos aqui sentados na sala, à espera que toquem à campainha. 




Claro que isto não é uma forma de pressão...

Tive uma ideia para um novo header. A concretização está dependente da minha Maman. 

(já acordaste? Já estás pronta? Já estás a tratar de mim? Já? Já? Já?)



quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Por outro lado... há que aproveitar as oportunidades!

Tendo em conta a grave situação que vivemos no blogomundo, se se viu obrigada a recolher ao bunker sem pré-aviso, se os víveres que tinha para fazer face a momentos dramáticos como este já se encontram fora de prazo, se o fogão de campanha não está a funcionar, se está com o ouvido colado ao transístor para estar a par das notícias do mundo lá fora, se está a planear uma bunker-party para esta noite ou se está simplesmente sem disponibilidade mental para cozinhar, não desespere, Palmier trata de tudo.



Com uma equipa de chefs de renome e um sistema de segurança alimentar à prova de bala, estamos disponíveis para atravessar campos de batalha, zonas de combate e terrenos minados para levar até si a refeição perfeita. 

McPalmy's
O take-away para todas as situações!




Estava um dia tão bonito e eu até ia falar de outras coisas...

Mas, tendo em conta a situação...




Acho que é mais prudente recolher ao abrigo nuclear.