terça-feira, 22 de Julho de 2014

Não pecarás por pensamentos palavras e obras

Acho que, num dos meus raros momentos de lucidez, percebi, finalmente, a razão de ser desta minha inquietação com o Espírito Santo Salgado. Trata- se, conforme realizei, de uma preocupação genética, uma vez que já a minha avó sofreu deste mal que agora me perturba. É verdade… tempos houve em que, na cidade onde a minha avó vivia, existiu um Padre, de seu nome Salgado, que, pelo seu aspecto tísico-romântico provocava pensamentos pecaminosos nas senhoras virtuosas que assistiam embevecidas à missa de Domingo. Esses pensamentos eram passados a palavras na confissão que ao Padre faziam e que o mesmo perdoava com o poder que o Espírito Santo lhe conferira. As senhoras sentiam-se felizes com o homem que ia ao leme do rebanho e teciam rasgados elogios à forma como distribuía irmãmente a palavra do Senhor.
No entanto, contava a minha avó, que, a certa altura, uma certa senhora da terra, cansada do marido e de pecar por pensamentos e palavras confessadas, passou-se para outro nível e resolveu pecar por obras partilhadas com o Senhor Padre. A partir daí o Padre deixou de ser o mesmo, apresentava-se prazenteiro na missa e a elevação com que costumava quase declamar a homília, passou a tornar-se uma pressa, pois que urgia pecar e perdoar as obras de uma virtuosa especial. Ora, as senhoras gostavam do Senhor Padre, que era um bom padre, mas aquele desprendimento com que agora tratava a luz do Espírito Santo, deixou-as estarrecidas. Parecia impossível! Não podiam ser complacentes com tamanhas irregularidades! Temendo que os rumores da situação se alastrassem, pondo em causa não só a reputação de todas as senhoras, como o número de presenças na Igreja de Santa Maria face à sua concorrente directa, Igreja de São José, resolveram então convocar uma reunião de cúpula da família cristã daquela cidade, para tomar as medidas necessárias que levassem ao afastamento daquela pouca vergonha que lhes era dada a assistir.

Dispenso- me de contar as razões que levaram à expulsão do Padre Salgado, conhecido como “O Último Padre Tísico-Romântico”, para outra freguesia e a virtuosa senhora a mudar de cidade com o marido, porque o que importa aqui é o facto de ter descoberto a razão de ser desta minha inquietação. Sinto-me agora bastante mais tranquila. É que, afinal, trata-se apenas e só de uma inquietação de família.




segunda-feira, 21 de Julho de 2014

Peço desculpa por ter estes pensamentos pecaminosos...

Mas a verdade é que o Tio Salgado (o verdadeiro), com a sua pose de Estado, movimentos lentos, fato impecável e de bom corte, olhar estagnado e as suas parcas palavras, me faz lembrar o Mr. Chauncey Gardiner, aka Chance, the gardner.


(Não sei por que raio ando tão fascinada com este tema... o melhor será passarem-me o cilício, a ver se me livro de uma vez por todas destes pensamentos impuros)



O meu adorado Sul


, a Palmierizar como se não houvesse amanhã!


(Julgavas-te única, Filipa, era?)

O meu problema

O meu problema é que já estou a deitar-me em horário de férias, quando continuo a ter de acordar em horário de trabalho...



quinta-feira, 17 de Julho de 2014

Pequena Cutxi - Bending the rules since 2011

Este foi o meu e-mail de resposta:


Que foi acompanhado desta fotografia:



Eis a resposta do hotel que, extraordinariamente, até veio em português: 




É que, às vezes, é necessário puxar dos galões! 



Reeducação Alimentar


Também estou nessa!

(espero bem que olhem para esta fotografia, da qual muito me orgulho, e que sigam o meu exemplo. É que eu sou efectivamente um exemplo a seguir!)

terça-feira, 15 de Julho de 2014

E pronto... é isto a minha vida...



Permanentemente de cabelos em pé! 

Não consigo explicar bem porquê…

Mas há um ingrediente qualquer nesta derrocada da família Espírito Santo que me suscita o mesmo tipo de curiosidade mórbida que os últimos dias dos Romanov na casa de Ipatiev. 



De que me vale ter um carro alemão...

Se os seus interiores têm uma sobrecarga de electricidade estática de tal forma incompreensível, que saio de lá sempre com os cabelos em forma de anémona esvoaçante?




segunda-feira, 14 de Julho de 2014

OMG! Esta "cueca" zebrovsky apareceu misteriosamente na minha gaveta!



(e agora pergunto-me... será que isto é a mesma "cueca", que continuou eternamente a circular em loop pelo prédio? Tipo: "passa ao próximo e não ao mesmo!")