quinta-feira, 31 de maio de 2012

Então não podiam ter trazido um ferro de engomar lá da Espanha? Há uns tão baratinhos e tão jeitosos para as viagens…


Já estou a imaginar o drama e os gritos da Letí pela embaixada... "Oh Fééééélipe! Entionces não pusieste o fierro de engomiar na malia, como eu te mandiei, piah?!

Em modo VIOLÊNCIA

Detesto pessoas que amuam e que praticam determinadas acções para revelar o seu amuo como, por exemplo, atirar subliminarmente com coisas. Atenção que não estou a falar de partir pratos ou atirar com cinzeiros à parede (isso é explícito e não deixa qualquer espécie de dúvida quanto ao estado de espírito). Estou a falar daquelas pessoas que atiram, por exemplo, com um saco de batatas para o chão, ou com uma resma de papéis para cima de uma mesa, ou com a mala para cima da cadeira. Mas fazem-no com mais força que o necessário, só para mostrarem que estão desagradadas. Mas não é totalmente óbvio... podem sempre desculpar-se dizendo que foi sem querer... que estava pesado... que escapou da mão...
São pessoas que se vingam nos objectos, porque os objectos são mais fracos (?), não podem refilar (?), porque não podem confrontar a pessoa que realmente os incomoda (?)... Eh pah... não sei o que pretendem mas, a essas pessoas, um chuto no rabo (mas daqueles mesmo bem dados, com a força toda, com super-poderes, mesmo) vinha mesmo, mesmo, mesmo a calhar... 


Ao segundo sinal serão 10 horas, trinta e quatro minutos e 11 segundos


Filho recebeu, pelo aniversário de ontem, o relógio que andava a pedinhchar há séculos.
Esta foi a conversa que se seguiu:
Ao segundo sinal serão 20 horas 33 minutos e 22 segundos
Ao segundo sinal serão 20 horas 40 minutos e 11 segundos
Ao segundo sinal serão 20 horas 45 minutos e 43 segundos
Ao segundo sinal serão 20 horas 58 minutos e 17 segundos
Ao segundo sinal serão 21 horas 3 minutos e 29 segundos
Ao segundo sinal serão 21 horas 7 minutos e 28 segundos
Ao segundo sinal serão 21 horas 16 minutos e 21 segundos
Ao segundo sinal serão 22 horas 22 minutos e 59 segundos
Pausa para dormir
Momento em que toca o despertador do relógio e acorda todos os elementos do agregado familiar.
Conversa depois de acordar
Ao segundo sinal serão 8 horas e 12 segundos
Ao segundo sinal serão 8 horas 3 minutos e 54 segundos
Ao segundo sinal serão 8 horas 7 minutos e 43 segundos
Ao segundo sinal serão 8 horas 9 minutos e 22 segundos
Pausa para tomar o pequeno almoço
Ao segundo sinal serão 8 horas 23 minutos e 15 segundos
Pausa para lavar os dentes
Ao segundo sinal serão 8 horas 26 minutos e 38 segundos
Pausa para vestir
Ao segundo sinal serão 8 horas 37 minutos e 16 segundos
Momento em que foi para a escola...

E então, hããããããã? Temos cuco, ou quê?

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Olhinho malandro #2

Ai que susto!

Recebi agora este e-mail que me deixou a tremer dos pés à cabeça! Vejam:



De repente, olhei para o ecrã e disse:
- "Ai caraças (sim, eu disse caraças, logo eu que NUNCA digo asneiras. Mas pronto, o susto foi muito vigoroso e escapou-se-me)! Um e-mail do Silva Carvalho, o super-espião!
Pronto, pensei, estou feita! Então, declarei em voz alta e com a aflição a transparecer nos tremores incontroláveis da minha voz:
-“Pessoas! Estou a receber clipping!"
Todos correram para junto de mim, e eu, comecei, de imediato, a hiperventilar, a ver-me, tal qual Miguel Relvas, a ser notícia de abertura dos telejornais pelos próximos 34 meses. Consegui, mesmo, visualizar as imagens na televisão. Perante tal hecatombe, solicitei ajuda imediata, supliquei um copo de água com açúcar, o envio urgente de uma ambulância... depois… bem… depois alguém olhou mais atentamente para o ecrã e percebeu que se tratava, apenas, de Sílvia, Sílvia Carvalho, essa pobre rapariga que, nos tempos mais próximos, deveria ser impedida de enviar qualquer tipo de e-mail...

Exijo explicações!

Eis que volto a dormir mal. Desta feita, por causa do calor. Sim. Tive muito calor. E tive muito calor por razões que apenas a mim podem ser assacadas. Sim, infelizmente, esta é a verdade. Sou eu a culpada de todo este enredo pois, ao olvidar transmitir as devidas instruções para se proceder à troca do edredon (daqueles mesmo quentinhos, sabem? Para temperaturas glaciares…) pela mantinha Primavera-Verão, condenei o meu próprio leito a transformar-se numa espécie de deserto do Saara, pelas 15h00. E, esta situação, desenrola—se à demasiado tempo. Mais do que posso suportar! E tal deve-se também a mim própria, pelo que tive, inevitavelmente, de pedir explicações a mim mesma. Em defesa da minha própria pessoa só pude dizer que a cabeça está idosa… sim… a cabeça só se lembra de tal facto quando se encontra a destilar, quentinha, na sua estufa nocturna…
Acresce que, tenho outros aspectos a apontar à minha pessoa. Sim… para agravar a situação supra descrita (já de si bastante desagradável), a minha pessoa, sem dar ouvidos a si própria, resolveu dormir com umas calças de pijama. Sim, ouviram bem! Umas calças de pijama! A pessoa vestiu a camisa de dormir e como esta era demasiado curta, apressou-se a acrescentar umas calças de pijama, deitando-se de seguida debaixo do edredon quentinho (para temperaturas glaciares, como se recordarão). Ora, perante tal desajuste, tive de confrontar imediatamente a minha pessoa, perguntando-lhe o que, raio, estava ela a fazer! Ora a minha pessoa, respondeu-me convicta e com maus modos, afirmando que era muito susceptível às notícias da televisão e que, poderia dar-se o caso de ter de abandonar o lar durante a noite “derivado” a tremor de terra, e que, em sucedendo tal facto, não queria desfilar, de rabo à mostra, perante toda a vizinhança…
Perante estes factos, reveladores de uma total insubordinação, é por demais evidente que terei de castigar severamente esta minha pessoa… E, escusam de a tentar defender, porque a decisão está tomada.
O juiz decide, está decidido! Pum!

Necessito urgentemente de ajuda

Aqui há uns tempos, adquiri, convicta, uma linda peça de vestuário. Hoje, a peça saiu do armário mas a minha convicção já não era exactamente a mesma. Sim, senti-me, logo pela manhã, a vacilar. A razão de ser desta repentina ausência de convicção assentou no facto de não saber bem que espécie de peça de vestuário era aquela. Como tal, não sabia bem como a havia de vestir. Sim, para a minha pessoa, aquela era uma peça enigmática, que fez o favor de me transtornar o dia de trabalho. Ora vejamos:



Estaremos nós perante um vestido, ou perante uma saia? Sim, qual dos dois? Saia ou vestido, vestido ou saia? Que me ajudem os entendidos porque eu, eu já desisti de tentar compreendê-la...
Passei a manhã a alterar o posicionamento da peça no meu corpo. Sim... entretive-me numa troca frenetica (delirante mesmo) saia-vestido-saia-vestido-saia-vestido-saia-vestido-saia-vestido... perante o olhar incrédulo dos que me rodeavam. Perguntei a todos, que raio de peça era aquela. Sim, eu vocalizei a minha incerteza... Como as opiniões se dividiam, organizámos uma votação no escritório, no sentido de obter uma resposta cabal a esta trágica dúvida que me assolava. O resultado apontou para um vestido. Assim sendo, e como sou uma grande democrata, adoptei o estilo vestido mas, ainda assim, não estava plenamente convencida.
Quando fui almoçar, sob o estilo vestido-balandrau, tive medo... tive muito medo. Cheguei a ter momentos de puro terror (com suores frios e tudo).  Tive pavor de me cruzar com entendidos da moda, fashionistas mesmo, daqueles em bom, que, com um simples olhar de relance, conseguissem reparar, de imediato, que eu envergava uma saia... mas... que o fazia de forma extremamente peculiar... ou seja, subida (quase) até ao pescoço...

P.S. Atentem na qualidade das fotografias que tirei para vocês! Vejam bem as poses!!! Hããããããã!!!! Só vos apresento coisas de qualidade!!!

terça-feira, 29 de maio de 2012

Soccer Wisdom

E porque eu aspiro a ser um verdadeiro Rui Santos... já estou preparada para o euro...


P.S. Claro que, até lá, ainda vou ter de fazer uma permanente, untar o cabelo com óleo Fula e tentar desencantar uns cachecóis extremamente brilhantes e lustrosos... Tudo com o objectivo de ficar ainda mais bonita e aparentar um conhecimento inigualável do mundo da bola.

Com mãe, não se brinca!

Filho faz amanhã 9 anos. Aos seus próprios olhos e segundo as suas próprias palavras é já um pré-adolescente. Um homem, mesmo…
Hoje de manhã, quando o deixei na escola, ia dar-lhe o beijinho da praxe e… fui REJEITADA! Sim, pessoas! Eu! Eu mesma! Eu, esta personagem espectacular! Fui afastada com gestos de desprezo, diria mesmo que fui negligenciada pelo meu próprio filho, que manifestou altivez, sobranceria e soberba relativamente à minha pessoa. Ora eu, revoltada com tal situação, amotinei-me e criei um tumulto à porta da escola. Agarrei em filho pelos braços e apliquei-lhe um Kansetsu Waza (coisas de judoca) para, depois, o beijar frenetica e espalhafatosamente à frente de todos quantos por ali passavam.
Depois deste episódio matinal, não mais serei passada para segundo plano. Disso, tenho a certeza.

Pagava quantias inusitadas de euros...

... a quem me trouxesse um triângulo de queijo parmesão (de uma marca que eu já não me lembro e que havia no gourmet do El Corte Inglés - mas já não há), para eu devorar numa sandocha...

Pronto, era só isso... agora vou para a cama com a barriga vazia e a roncar...

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Cánis, o cão de Maman

Acabei de falar com Maman ao telefone. Maman confidenciou-me que Cánis se entretém a arrancar todas as rosas do jardim, trazendo-as para casa e depositando-as displicentemente a seus pés.
Temos rrrrrrrrrrromântico, portanto!

Alex and I...


Saí um café triplo se faz favor!

Passei a noite a sonhar. Sonhei que me levantava, vestia e saia de casa com filha e, só no carro, percebia que ainda eram 5h00 da manhã. Então, muito baralhada e indignada com o meu próprio erro, voltava para trás e regressava à cama. Tendo em conta toda esta actividade nocturna, estou que nem posso...
Foi provavelmente por isso que hoje, ao receber os clássicos e-mails da Grupon, demorei looooooooooongos minutos a perceber que se tratava de uma destartarização e branqueamento a laser e não de uma DESRATIZAÇÃO e branqueamento a laser… como insisti em compreender nas 20 leituras iniciais que fiz desta espectacular promoção...


Também foi esta a manhã em que filha (provavelmente exausta pela noite que os meus sonhos lhe proporcionaram) perguntou o nome ao senhor da garagem (Hélder) tendo-lhe colocado de imediato a seguinte questão: “Elmer? É por seres muito gordo..., Como um elefante?"


E, antes que perguntem: Sim... o senhor é extremamente gordo...

domingo, 27 de maio de 2012

E porque eu ADOROOOOOOOOO a Bárbara Guimarães...

video

A comprar soutiens

Entrei na loja e pedi os soutiens que costumo usar. A senhora perguntou-me se era copa B e eu, ignorante, não me lembrava. Vai daí, a senhora arma-se de uma fita métrica e avança, com gestos rápidos, sobre as minhas maminhas. Ora, perante aquela ousadia, encolhi-me automaticamente. A senhora, reparando nessa minha atitude pergunta-me com o maior dos à vontades: "Fez cirurgia, foi?" Ao que eu respondi, surpreendida: "Não, porquê?" Ela, então, acrescentou enigmaticamente: "Parece..."
E agora, fiquei com a cruel dúvida a corroer-me o espírito... Será que parece porque estou em grande forma, ou, pelo contrário, aparento um estilo assim... mais... para o pós-operatório?

Sabem aqueles dias em que o cabelo está completamente descontrolado e, quanto mais uma pessoa se penteia, pior é o resultado?

Hoje é o dia!

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Andar de bicicleta sem rodinhas: Done

video

Tenho muito sono e não quero comer mais peixe cozido

O senhor do restaurante onde costumo almoçar sabe que não gosto de pratos gordurosos pelo que, por sua auto-recriação, decidiu que, sempre que o prato do dia fosse, por exemplo, Pernil de Porco (blhaaaaaaac) me faria (sem que eu o pedisse) um prato especial. Tudo muito bonito e agradável, portanto. Acontece que os pratos gordurosos se sucedem diariamente e, mal eu entro, ele informa-me que já tem o meu peixinho a cozer…
Ora, eu sei que ele compra o peixe de propósito para mim, que o manda cozer um bocadinho mais cedo para eu não ter de ficar muito tempo à espera e que o faz por gentileza. E eu, eu sinto-me envergonhada de lhe dizer que não aguento comer mais peixe cozido… que fico enjoada só com a visão da travessa, que já sinto as escamas a despontar na minha pele e que me estão a crescer guelras ao lado das orelhas. Juro, sou um caso de alto risco… estou a duas postas de me transformar numa sereia…

Alguém me recomenda um anti-olheiras de jeito?

É que filha me acordou por cinco vezes nesta última noite, para proceder à matança de uma traça imaginária, que era a actriz principal do seu pesadelo...

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Troca de identidade

Estou em crer que há fortes probabilidades de, em vez de pequena Cutxi, ter trazido para casa um Gremlin...

Antes e depois

Onde está pequena Cutxi?

Pois que tenho um passatempo para vocês. Sim, que eu sou uma rapariga que só pensa no vosso bem-estar intelectual!
Hoje vesti-me num estilo muito particular. Um estilo canino. Mais especificamente o estilo Schnauzer. Tudo isto foi cuidadosamente pensando para vos proporcionar um agradável momento de lazer. Segue então:
Terão de encontrar pequena Cutxi no camuflado perfeito que é o meu vestido. Sei que vão ter dificuldade, mas posso garantir que pequena Cutxi está lá. É uma espécie de “Onde está o Wally”, mas em bom! Perfeito para quem aprecia enigmas da mais alta estirpe.
Ora, então, o tempo está a contar! Vamos a isso? Olho de lince e Boa Sorte!


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Isto só a mim # 3 – o dia em que desci à sarjeta

Fui buscar filha à escola. Quando estava a regressar e esquecendo-me que tinha os telefones no colo (em cima da saia), saí do carro em grande estilo (em vampe mesmo) e os meus queridos aparelhos telefónicos voaram pelos ares, tal qual uma dupla de caças f18, aterrando, um no alcatrão (salvou-se) e outro na… SARJETA!!!
Atirei-me imediatamente à grade da sarjeta tentando, em vão, levantá-la. Perante o insucesso desta operação, fui auxiliada por um cidadão arrumador de automóveis (e consumidor intensivo de substâncias estupefacientes) que, conseguindo a proeza de ser ainda mais fraco que eu, não a conseguiu mover, um milímetro que fosse. Por nós passaram outros cidadãos fortes e musculados que, vendo dois seres humanos ajoelhados no passeio, e demonstrando um tão grande interesse pelos assuntos das águas sujas, fugiram em passo acelerado, para longe de toda aquela degradação.
Desistindo da operação e tendo ido procurar ajuda (digna desse nome), quando, finalmente, regressei ao local do crime, a tampa já se encontrava fora do lugar e do telefone não havia rasto…
Este foi, portanto, o dia em que, esta que vos escreve, conseguiu descer mesmo, mesmo, mesmo baixo… literalmente até à sarjeta... tendo aprendido à custa dos seus próprios actos que, neste sub-mundo do esgoto, é o salve-se quem puder...
E, pela segunda vez hoje:
Buááááááááááááááááááááááááááá

Empregada Mãos-de-Tesoura

Então não é que empregada, logo pela manhã e querendo mostrar trabalho, cortou as barbas de pequena cutxi!?!?!?
Juro!?!? Quando viu a minha cara horrorizada explicou-me (calmamente e como se eu tivesse 5 anos) que as barbas estavam sujas de papa e que... teve de ser!
E eu?  
Eu hesitei entre enfiar-lhe uma meia na boca (enquanto ela me dava aquela explicação de forma extremamente pausada) ou sacar da tesoura e cortar-lhe uma linda madeixa dos seus longos cabelos (pela raiz, claro).
E, agora, pequena Cutxi ficou assim:


Buáááááááááááááááááá

Uma vez que tinha tosquia marcada para amanhã, acho que, em vez de pequena Cutxi, levo mas é empregada. Para ver se ela gosta... 

Agora que penso nisto, estou a recordar-me daquele dia em que cheguei a casa e empregada me mostrou, feliz e em jeito de surpresa, que tinha cortado os bambus do pátio pela metade... Assim,  como quem tinha feito um bom trabalho, ao erradicar as ervas de aninha...

Sim... há, realmente, um padrão neste comportamento...

P.S. Á cautela, ainda hoje, tratarei de esconder todos os objectos cortantes que encontrar pela casa...

segunda-feira, 21 de maio de 2012

At school

O meu relincho transformou-me numa mãe tão cool, que agora até já me deixam ser a motorista do triciclo! Ou o cavalo a puxar o coche... não sei bem...



Porque relinchar compensa....

domingo, 20 de maio de 2012

Reparem na atenção do meu gato a assistir aos Globos de Ouro



Coitadinho... também ele está petrificado com o vestido amarelo da Bárbara Guimarães... Estou com receio que se transforme numa esfinge...

Ahahahahahahahahahaha (riso desenfreado e extremamente maléfico)...

Lembram-se das mães perfeitas que referi aqui e aqui?
Agora sou eu que quero ver a perícia dessas mãezinhas com a cola e a tesoura!
Depois... depois, é só esperar para saber o que aquelas fofas vão dizer, quando me virem a desfilar com o Óscar do Melhor Trabalho de Casa da sala dos 4 anos!

Quem é fashionista, quem é? # 2

Entrou no meu quarto com o trabalhinho já pronto e perguntou:
- mãe, tu não te importas que eu pinte as unhas e a pele, pois não?
E eu, já estou a imaginar daqui a uns anos... quando as tatoos forem um bocadinho mais permanentes...

sábado, 19 de maio de 2012

Profusão de "coisos"

O que é pior? 

Ter um Primeiro-Ministro com nome de "coiso", ou ter um Ministro da Economia que chama "coiso" ao desemprego? 

E o que é que chamará Álvaro aos desempregados? Descoisados? Não lhes bastava já o estigma do desemprego, agora também são apelidados de eunucos?!

E, já agora, (surge-me a legítima dúvida...) como apelidará Sua Excelência, o Ministro da economia, o seu próprio órgão sexual? Desempregado?  Olha... Ao menos sempre pode receber o subsídio de desemprego e beneficiar das maravilhosas oportunidades que grassam por aí...




sexta-feira, 18 de maio de 2012

Amor à pochete

Devorar um pernil de porco na sua totalidade?
Claro! Sempre!


Largar a malinha enquanto se devora um pernil de porco na sua totalidade?
Credo, valha-me minha Nossa Senhora, isso  nunca!!!


Quem é fashionista, quem é?

Hoje de manhã, filha queria ir para a escola com a sua camisa de noite da Kitty. Depois de algumas manobras de diversão lá a convenci a desistir da extravagância. Quando íamos a sair de casa, pediu-me se podia levar a camisa de noite na mochila, para a mostrar à sua grande amiga. Como estávamos (claro!) atrasadas, acedi ao pedido.
À tarde, quando a fui buscar, encontrei-a assim:

A espertalhona…

Logo eu, que sou uma pessoa tão calma...

Hoje, pela fresquinha, fui surpreendida pelo meu amigo Senhordoquiosque que, me chamou, lá de longe (e com algum aparato) para me oferecer ISTO:

Ora, como sou uma Madame extremamente bem educada, aceitei o presente e agradeci-o profusamente. Mas agora pergunto:
Porque raio o amigo Senhordoquiosque me chamou, aos gritos, de um lado para o outro da rua, para me dar um suplemento  da Visão que nos ensina a lidar com o Stresse?
Será que o facto de me apresentar tensa, irritável, com explosões de ira e alterações de humor, desassossegada, com episódios de ansiedade, chorosa, ressentida, permanentemente apressada, sem tempo para nada, negligente comigo própria e a espumar pela boca, influenciou o amigo Senhordoquiosque nesta sua decisão?
É que eu nunca lhe contei sobre aquele dia em que, tendo adquirido uma maison (que julgava necessitar de, apenas, umas obrinhas superficiais) levei lá os arquitectos que me comunicaram que, estruturalmente, a casa era uma ruína e que teria de ir toda abaixo para ser totalmente reconstruída.
Sim. Esse foi o dia em que irrompi pela CUF clamando por auxílio, já que me encontrava em pleno ataque de coração…
Depois de me terem injectado um calmante, dormi ferrada (a ressonar e a babar-me, disseram-me ao acordar) numa maca das urgências durante toda uma tarde e, tendo acordado fresquinha que nem uma alface, paguei, pela sesta, os clássicos 150,00€ de qualquer ida ao hospital…  
E pronto, uma vez que o amigo Senhordoquiosque não está a par destas minhas façanhas (que eu não falo destas coisas a desconhecidos) não percebo, realmente, por que carga de água me foi ele oferecer este suplemento…

Queria um corte à caniche, se faz favor

Telefonei há bocado para o veterinário, para marcar tosquia de Pequena Cutxi. Acontece que só há vaga para a próxima Quinta-feira (daqui a 8 dias, portanto). Ora, o meu cabeleireiro não tem uma fila de espera tããããããããããããão longa como o de Pequena Cutxi. Logo, deve ser pior... Fiquei aqui a pensar que, tendo em conta a extrema mestria, arte e profissionalismo demonstrados pela cabeleireira de Pequena Cutxi (que leva a esta enorme fila de espera), se calhar, também devo marcar para mim própria... lavagem, corte e brushing... 
Olha... vamos as duas...

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Acorram que Isto está cheio de bloggers!

A sério! Têm de vir ver! Estou a atravessar o Jardim da Estrela e vejo bloggers por todo o lado! Estão todos a correr! Têm de ser bloggers, certo?
Acho que também vou desatar numa correria para ver se faço amizade com estas gentes e se arranjo mais uns seguidores! Daqueles das dietas e da vida saudável!

Attention everybody, this is captain Kirk speaking!

E porque, durante a tarde de hoje, toda a gente foi afectada por uma maleita súbita (embora de diferentes origens), eis-me aqui no escritório, triste, solitária e desamparada, colocada ao leme deste Star Trek sem ter solicitado tal honra, dominando, assim, todo um conjunto de tecnologias. Vários telefones, computadores, campainhas, máquinas de calcular, agrafadores, furadores, cestos de papéis e clips...
Acho, até, que vou aproveitar para fazer um pouco de clipping porque há ali umas revistas novas a que ainda não dediquei a devida atenção....


Estou um verdadeiro comandante da USS Enterprise, portanto.

Não sei porque é que dizem que o Opus Dei possui um acentuado carácter secreto…

... é que os pequenos José Marias Escrivás de Balaguer topam-se à légua…

Restaurador Olex

Porque um cão de carapinha verde, não é natural.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Olha o olhinho maroto do senhor Hollande...


A Merkel que saiba desta pouca vergonha, que lhe dá logo uns chapadões na face...

Hããããããã?

Estou cada vez mais confusa com estas notícias…

12% das mulheres usam o telemóvel durante o sexo?
Eh pah… e descascar uns legumes para a sopa, passar a ferro e pendurar uns quadros na parede. Também não?

Parece que estes 12% não aguentam estar muito tempo afastadas de um ecrã... e agora, pergunto eu: Serão todas adeptas de sexo tântrico?

Razão pela qual me encontro a reflectir sobre esta literatura: Ainda não tenho FB...

Porque é que todos têm o FB a funcionar normalmente, menos eu?

Já estou a hiperventilar... Até já chamei o informático e tudo...




P.S. Sim... Estou conscinete da repercurssão que este incidente terá na minha carreira. Mas, lá está... antes despedida do que sem FB...

terça-feira, 15 de maio de 2012

E uma investigaçãozinha, não?

Fogo pah que já não posso ouvir falar do caraças do espião Silva Carvalho (úuuuuuuuu que medo) que tinha uma tesoura (tchak, tchak, tchak) e com ela recortava revistas e jornais, que juntava num clip e mandava para os amigos. Sim!!! O senhor fazia clipping!!! Ouviram!!! Fazia caraças de clipping!!! Ia para os cabeleireiros das senhoras e arrancava páginas da Caras, da VIP e até da Holla!!! e depois, lá esta, recortava aquilo tudo, punha no scanner e mandava ao Ministro Relvas (que se deleitava com imagens de Lili Caneças e de Cinha Jardim e até do Juan Carlos, com as presas de elefante - diz-se por aí que Relvas que adorou esse clipping).
É que isto é coisa extremamente perigosa, hã!!! Desde sempre que vemos filmes do 007, em que o James Bond anda armado com uns clips!!! Sim!!! Clips!!! Essa arma extremamente letal. Era ver o Q a produzir clips de todas as formas, cores e feitios que, depois, o James Bond utilizava contra os inimigos. Furava-lhes os olhos com clips cor-de-rosa e verdes e, a seguir, embrulhava-os em recortes de jornais e revistas... Todos nos lembramos de filmes como 007, os Recortes são Eternos ou 007, o Homem com a Tesoura de Ouro e, ainda, 007, ao Serviço de Miguel Relvas. São clássicos que habitam o nosso imaginário!
A sério, jornalistas, investiguem e façam reportagens como deve ser. Por favor, parem de nos dizer que o homem recebia e reenviava e-mails com recortes de jornais e revistas. Se oiço isto mais uma vez, vomito (tenho a certeza que, depois de proferir esta frase, vou passar os próximos dias a bolsar, na retrete...). É que, vamos lá a ver... não somos assim... tão, tão atrasadinhos... Ok?

La Mamma Siciliana

Olha, olha! A Merkel já está a mexer uns cordelinhos... Um relâmpagozinho no avião de Hollande, só para que ele perceba com quem está a lidar...

E quando nos nos deparamos com um Adónis desnudo a emergir de uma floreira, no centro da cidade, ficamos assim... sem palavras...

Que atitude tomar?

E quando passamos a manhã numa reunião e a nossa barriga insiste em fazer barulhos estranhos (a que não deve ser alheio o facto de não termos tomado o pequeno-almoço)?
a) Deveremos desculpar-nos?
b) Fingir que não ouvimos?
c) Olhar para a barriga da pessoa sentada ao nosso lado?

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Grave ofensa

Uma pessoa (na verdade, é este o meu nome: Uma -nome próprio; Pessoa - apelido e razão de ser da veia poética), veste-se maravilhosamente. Uma pessoa, atrasa-se sempre pela manhã devido à escolha do modelito. Uma pessoa conjuga cores como uma Lolita Lempika. Uma pessoa vibra com a moda. Uma pessoa é mundialmente conhecida pelo seu bom gosto. Uma referência internacional, mesmo. Uma pessoa lança tendências, dia sim, dia sim. E, depois, uma pessoa vê-se confrontada com situações como esta...
Chegada do almoço e queixando-se ligeiramente do calor, uma pessoa ouve o seguinte comentário:
- Também... Estás aí de cachecol!
Ora, senhores! Por favor... Isto é uma echarpe! Uma echarpe, senhores! 


Há que ser rigoroso com a linguagem!

Preocupações ambientais

Uma pessoa vê esta a notícia em destaque, no separador Vida, no Sapo.




Claro que uma pessoa acha que está a imaginar coisas parvas quer aprofundar os seus conhecimentos e abre o link. Uma pessoa depara-se com este estudo:



Uma pessoa apercebe-se que há indivíduos cuja realização profissional gira à volta dos puns dos dinossauros. Pessoas que dedicam toda uma vida aos traques Mesozóicos. Pessoas que sabem tudo o que há para saber sobre os pré-históricos flatos.

Uma pessoa tem, nesse exacto momento, uma epifania e, apercebendo-se da sua sorte, lança as mão aos céus e agradece a todos os santos, o facto de não ter de dedicar toda a sua vida ao estudo dos gases alheios.


A estereotomia de um peúgo

A pessoa acorda de manhã, já atrasada (como acontece, aliás, em qualquer outra manhã de sua vida. Nada de novo, portanto). Tem de atravessar a cidade em racing. Fá-lo exemplarmente, já que hoje foi dia de apanhar os sinais todos verdes (há dias em que os sinais estão todos encarnados. Nunca há dias em que os sinais se alternem entre si). A pessoa pensa que, apesar do atraso, vai conseguir apresentar-se a horas na escola de filha. A pessoa começa mesmo a esboçar um sorriso de vitória. Isto até encalhar atrás da camioneta da… Loba, Peúgas e Collants.



Aí, todos os preciosos segundos que conseguimos poupar com os sinais verdes, se esvaem como areia por entre os dedos (que hoje estou poetiza). O sorriso que arvorava a nossa face, desaparece sem deixar rasto.  Vem-nos à mente aquele momento em que fizemos obras em casa e o empreiteiro nos mostrou, com orgulho, os roupeiros (amplos closets, na realidade), dando especial ênfase à gaveta que, ele próprio, tinha já destinado para os nossos peúgOS. Aliás, durante a obra, o empreiteiro, referiu-se profusamente aos nossos peúgOS. Estou em crer que o empreiteiro tinha um fetiche com peúgOS. A par com a palavra peúgOS, o empreiteiro utilizava, amiúde, a palavra estereotomia. Em todas as frases ele encaixava a palavra estereotomia. Tudo era dotado de uma estereotomia muito particular. Na realidade o empreiteiro era, tal como eu, um poeta! Claro que, com toda a poesia, a obra demorou o dobro do tempo e custou o dobro do orçamentado. Mas, olhemos para o lado positivo! Tivemos oportunidade de conviver com um artista do betão, uma mente sensível e um talentoso artesão. Um Miguel Ângelo do ladrilho, portanto.
Com tudo isto, claro que cheguei à escola de filha já passava das 9h30. À chegada, uma mãe que vinha a sair, disse-me num sorriso malévolo: hãhãhãhãhãh, hoje estávamos atrasadas e a Maria disse-me que, com certeza, íamos chegar depois da XXXX (nome de filha)… Mas eu disse-lhe que não… hãhãhãhã…, que, com certeza, íamos conseguir chegar antes….
Como se fosse, realmente, impossível chegar depois de filha! A cabra (atenção que a palavra cabra é aqui utilizada como uma metáfora poética que nos remete para o mais puro que a natureza tem para nos oferecer) que não se ponha a pau que eu, amanhã, lanço-lhe a camioneta da Loba (lá está, novamente a metáfora da natureza) – peúgas e collants, só para ver se ela gosta!

domingo, 13 de maio de 2012

Humilhação pública #2774643654376

Uma pessoa adquire um canídeo, nele depositando uma série de expectativas. Que seja um bom canídeo, que adore seus donos, que guarde a casa, que se porte razoavelmente... Acontece que, por vezes, os canídeos, ao invés de quererem agradar a seus donos, querem é dedicar-se à arte da sedução... de outros canídeos.
Pequena Cutxi é uma espécie de Pamela Anderson do mundo animal. Pequena cutxi utiliza todos os seus dotes, nomeadamente os vocais, para chamar a si os canídeos das redondezas. Tudo isto acontece à revelia dos conselhos de seus donos, que vexados com a situação, já tiveram com ela longas conversas, explicando-lhe os benefícios do recato feminino versus o ardor descontrolado. Ainda assim, pequena cutxi insiste em deixar os machos arrebatados (e a dar a dar aos joelhos, como já tivemos oportunidade de ver AQUI) ao precipitar-se sobre eles com performances  extraordinárias como esta:

video

Pequena Cutxi  fá-lo com profissionalismo, mestria, destreza, habilidade e extrema perícia. Os resultados estão à vista. Ei-los:

video

Estas embaraçosas situações levam a que tenhamos de ser salvos por populares que, passando pela rua (e sem terem tido oportunidade de se aperceber do contexto), têm de intervir, para pôr cobro à situação de pouca vergonha que se desenrola à frente dos seus olhos. Atentem no discurso da popular:
video
Para além de afastar o pobre cão (que, sem qualquer culpa, caiu no encantamento de pequena cutxi), pressentindo algum desvario na situação e duvidando das minhas qualidades de dona, veio, de imediato, questionar-me sobre os métodos contraceptivos utilizados por pequena cutxi (oiçam com atenção a pergunta que a popular me dirige no final deste espectacular o video)

E pronto, é assim que se passa uma pacata tarde de Domingo, com filho a pôr termo à conversa com a popular declarando que o cão está a fazer aquilo porque, de certezinha, está bêbado! 

Yeeeeeeeeeees! I have my baby back!

Estranhos sentimentos

Filha está toda contente porque hoje vai almoçar e passar a tarde em casa de uma amiga (agarrada às minhas pernas a dizer-me que sou a melhor mãe do mundo). E eu, eu estou angustiada com a ideia e com vontade de telefonar à outra mãe a dizer que o meu carro foi roubado e que não temos forma de lá chegar...

sábado, 12 de maio de 2012

Hãããããã

Com 15,5% de desempregados, com as pessoas novas (aí a percentagem de desempregados passa para 37%), boas profissionais (cujos estudos foram financiados pelo Estado português, para gáudio dos outros países que as recebem de braços abertos já prontinhas para trabalhar) em debandada geral, pareceu-me, assim, ligeiramente (coisa ligeira, mesmo), estranho que o nosso Primeiro, nos tenha vindo alertar para a maravilha que é uma pessoa despedir-se e até mesmo ser despedida (?)!
Eh pah... se é assim tão bom, bora lá, vamos todos abardinar nos nossos locais de trabalho, na expectativa que nos instaurem um processo disciplinar com intenção de despedimento (com justa causa para a entidade patronal, entenda-se, que a malta não faz por menos e, assim, ainda é melhor porque nem dá direito a subsídio de desemprego, nem nada. O desafio torna-se ainda mais excitante!). Se não resultar, apresentamos a nossa carta de demissão. Em bloco.
Ai pah... vai ser tão bom, mas tão bom, que até sinto um formigueiro na barriga. Já me estou a ver com a cartinha na mão, a fazer cessar o contrato de trabalho, e explicar à entidade patronal que me despeço, e com efeitos imediatos, que eu, eu não sou parva, pah! Talvez telefone já esta noite, tal é a ansiedade! Se há aí oportunidades espectaculares para os empreendedores despedidos e desempregados, eu não vou ficar atrás! Saiam-me já da frente, que eu quero passar!


Primeiro, filho, andas a dar no álcool, ou isso já é mesmo na veia, amigo? 



sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mergulhando no trabalho

Cleópatra, porque não pensas pela tua cabeça?


E quando se passa uma manhã inteira a tentar fazer um documento em Publisher, software nunca usado antes (porque alguém disse que é muito bom, muito maravilhoso, muito extraordinário), ficar irritada que nem um peru, com a cabeça a latejar, gritando glu, glu, glu pelo open space do escritório, ter de ser salva por pessoas quando já se está em estado apopléctico para, depois de todo o esforço, chegar ao fim com resultados sofríveis e perceber que se tinha feito a mesma coisa, em muito menos tempo (15 minutos, vá), com muito melhores resultados (e sobretudo sem ter de gritar glu, glu, glu pelo open space do escritório), se se tivesse usado o amigo Word?

Quaisquer semelhanças, não são pura coincidência

Julgávamos nós que Prince Charles aguardava (ansiosamente) a morte de sua mãe para poder dar início à sua fulgurante carreira...





...mas estávamos, redondamente, enganados!