quarta-feira, 4 de março de 2015

Primavera

Hoje de manhã, vinha no carro, junto ao rio, e vinha a ver a luz, que já é de Primavera, e estava mesmo bonita a luz, o rio, o céu, tudo tão bonito que me deixou praticamente emocionada, com uma lágrima marota a bailar ali à frente dos olhos. Depois apareceu um avião, vindo da Costa da Caparica, e eu, quando vejo um avião, deixo de ver tudo o resto, fico para ali embasbacada, sem saber se olho para a estrada se olho para o céu, ai que aquilo vai torto, e ia, o avião estava claramente inclinado para a direita, com aquelas dobrinhas na ponta das asas, as que parecem as mãozinhas do avião, muito esticadinhas para cima, depois o avião lá passou, safou-se daquele desequilíbrio iminente, foi uma sorte de certeza. Depois, do outro lado do rio, na Trafaria, estavam dois barcos grandes, pareceram-me petroleiros, mas se calhar foi só por serem grandes, não percebo muito de barcos e nunca sei se estão bons para navegar ou prontos para ir ao fundo, ao contrário dos aviões, que sei sempre que estão prestes a cair, e quando olhei para os barcos lembrei-me dos depósitos de petróleo, ou de crude, não sei, não percebo muito nem de petróleo nem de crude, ali em Sines, e de quando era pequena e lá passava a caminho do Algarve, já devia ir com fome, e imaginava que eram panelas enormes, panelas gigantescas, umas cheias de hambúrgueres da Lúcia e outras cheias de batatas fritas da Lúcia, e eu imaginava-me a subir aquelas escadinhas em torno dos depósitos, a chegar lá a cima, a tirar-lhes a tampa e a deparar-me com uma imensidão de hambúrgueres da Lúcia e de batatas fritas da Lúcia. E aquela visão era tão boa que, ainda em Sines, conseguia sentir o cheiro do jantar que tinha à minha espera em Lagos. 



44 comentários:

  1. Tu andas a alimentar-te capazmente, Palmy? Tenho-te visto tão magrinha nas fotos... agora recordar as batatas fritas e os hamburgeres que imaginavas quando passavas a Sines. Vai por um pacotito de açúcar debaixo da língua que deves estar a fazer uma hipoglicémia...

    (quando ia para o Algarve imaginava que se tivessemos um acidente e eu fosse projectada para o tablier do carro e ficasse presa, que depois as pessoas abririaam o capot do carro para me alimentarem a perninhas de frango da guia...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah Mirone... se tivesses provado os cozinhados da Lúcia, havias de suspirar por eles como eu. Até os ovos estrelados eram diferentes :))))))

      Eliminar
    2. (ahahahahhahahhahahahhahahahhahahhahaahhaha encarcerada mas a comer franguinho da Guia :DDDDD)

      Eliminar
    3. Desejos de grávida. Não é vergonha nenhuma, mas porque não é franca?

      Eliminar
  2. Que belo encadeado de pensamentos. Quase que demos a volta ao país! Começamos em Lisboa e acabamos em Lagos, sentados à mesa com os hambúrgueres e as batatas fritas da Lúcia à frente, seja lá ela quem for! Subitamente, fiquei com apetite de fritos.. nada que não se possa resolver num abrir e fechar de olhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :))))))

      (a Lúcia era a melhor cozinheira - hoje em dia seria evidentemente uma chef - que este mundo já teve :D)

      Eliminar
    2. Cada um de todos nós teve (ou conheceu) a melhor cozinheira, que fazia os melhores sonhos, as melhores batatas fritas, os melhores ovos estrelados, os melhores tudo. Fossem elas Lídia, Beatriz, Maria, Lúcia, Benilde.

      Eliminar
    3. aí noutro blog também há a canja da rosarinho !!!! anda tudo com fome e nostalgias, ou é vice versa ?

      Eliminar
    4. Oh...mas a Lúcia destruiu o futuro alimentar de Papa. ....

      Eliminar
  3. Outros tempos, em que nos sentávamos à mesa para comer qualquer coisa feita pela Lúcia . Sempre maravilhosamente feita pela Lucia.
    Acho que sei porque é que o teu pai nunca gosta de nada do que come. Não é feito pela Lúcia...

    ResponderEliminar
  4. Ainda cá voltei para explicar que os hambúrgueres da Lúcia não eram feitos com carne picada mas com carne raspada. Faz toda a diferença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai pah... agora estou a ficar outra vez com fome :D

      Eliminar
  5. E a parte em que a borboleta voou e a abelha picou? Aquela que a salvou de enjoar carne picada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa não sei. Mas, se não enjoei, deve ter acontecido :)

      Eliminar
  6. Gosto muito de hambúrguers e de Lagos também.
    Mas deixa-me perguntar-te, quando passaste ao pé do rio, vinhas da Expo para Santa Apolónia? É que é aí, nessa estrada bordejada por um murinho pequeno que faz lembrar uma onda, e que se estende para lá do porto, que para mim, e de manhã, o sol da primavera fica mais bonito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não :) foi à frente da Trafaria, quando a água é mais funda e escura. Parecia mercúrio, de tão espessa e calma. Acho que a maré estava cheia :)

      Eliminar
  7. A aproximação a Lisboa pela Costa de Caparica é, para mim, a vista mais bela de Lisboa.

    ResponderEliminar
  8. os navios (não são barcos) em frente à Trafaria deverão ser graneleiros... e o que é isso? São navios que transportam os cereais (cevada, soja, milho) que a malta consome por cá. Só para cóltura girál... oraites?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tem, com certeza, toda a razão :) de facto, há ali uns silos.

      Eliminar
  9. Os hambúrgueres de Lagos são bons mas claro que nada se compara aos caseiros principalmente quando cozinhados com amor [e conseguir fazê-la viajar assim no tempo...Maravilhoso!]

    Lagos tem água muito fria...vou mais para Tavira ;)

    ResponderEliminar
  10. A minha vista da primavera foi para o estendal e para a churrasqueira. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas estava lá, a Primavera, não estava? :)

      Eliminar
    2. Estava e a roupa a cheirar a chamuscado das queimadas. Ahahah 😆

      Eliminar
  11. O céu azul de Lagos...Marina de lagos....Meia praia,praia Dona Ana...A noite em lagos!
    A última vez que lá estive(dez anos)depois de muitos Verões lá passados,despedi-me da Meia praia e Nunca me vou esquecer de todo o azul que trouxe de lá!Saudades...Vou lá voltar,tenho saudades,muitas, do vosso ar Azul!

    Obrigada!

    ResponderEliminar
  12. Tão bom de ler, Palmier!
    Também olho sempre para o céu quando oiço um avião. :-)

    ResponderEliminar
  13. Já eu passei a ouvir a Primavera. Desde Domingo, antes do sol aparecer, os pássaros têm grandes conversas equilibrados no varão da varanda. Devem discutir entre eles, que beiral escolhem, ou que árvore ocupam... Mas a primeira vez que vi Primavera este ano, foi a semana passada em Tavira.
    E da Primavera vou para o Outono. Acontece aqui na minha rua um fenómeno fantástico. No dia em que as andorinhas partem, reúnem-se milhares, empoleiradas nos fios da electricidade. Ficam ali umas horas, até partirem. Mi-lha-res, a olhar... Imagina se fossem pombos... ;))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já tinha dado por ela a semana passada :))))

      (tu não me lembres dos pombos! :DDDDDDDDDDDDD)

      Eliminar
  14. Ainda hoje andei de avião... Graças ao criador o post saiu-te para o grandito pelo que "Leio mais logo quando chegar." foi o que pensei... Bendita a hora... Já viria agoniada a viagem toda... Parva!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :DDDDDDD

      (acho sempre.,sempre! que os aviões vão cair! Sempre!)

      Eliminar
  15. Quem vem da outra margem e olha para Lisboa, tem uma das mais belas vistas do Mundo!! E falo com conhecimento! Quanto a Lagos....que Saudades!! belas férias lá passei!! Só não gostava do vento! Eu sigo a máxima "nunca voltar onde se foi feliz"!! e as memórias ainda doem muito! Mas, obrigada por me fazer lembrar!

    ResponderEliminar
  16. Foi você...que atravessou a ponte em contra-mão, maravilhada que estava com o avião?? :)
    Cláudia

    ResponderEliminar