quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Desde que sou embarcadiça, que a minha vida nunca mais foi a mesma...

Depois desta terrível troca comercial, e não conformada com tal acto, esperei uma distracção da nossa carcereira para me atirar ao mar e nadar. Nadei dias e noites a fio e percorri uma imensidão de milhas náuticas, disposta a tudo para recuperar a minha companheira. Fiquei a saber por um velho marinheiro que se cruzou comigo na crista de uma onda agarrado a um destroço de um navio afundado há cerca de duzentos e quarenta anos, que pequena Cutxi tinha sido levada pelas tríades chinesas. Mais tarde, passou por mim um sardinha, de seu nome Moby Dick, que me avisou dos perigos que me esperavam. Nada temi, encontrar pequena Cutxi transformou-se no meu objectivo de vida e só parei o meu crawl no momento em que vi uma praia deserta na linha do horizonte. Usei as minhas últimas forças para me arrastar até à areia e, depois de uns segundos a recuperar, levantei-me, endireitei o meu tailleur Chanel, os meus Louboutins e o meu statement neckless, sacudi as algas do meu telefone e fiz de imediato a chamada: Estou sim? É das tríades? Infelizmente a voz que me atendeu, respondeu-me em caracteres chineses e foi-me impossível perceber as exigências que me faziam. Mas nem este revés me deteve. Depois de aturada investigação, descobri o paradeiro de pequena Cutxi e resolvi apresentar-me em pessoa ao Cabeça de Dragão, o conhecido chefe da Máfia. Tomando partido das superstições chinesas vesti-me de cegonha e entrei directamente a esvoaçar pela janela da sala daquele prédio na Praça da Paz Celestial, em Pequim, onde me haviam dito que Cutxi se encontrava detida e amordaçada. Assim que aterrei, e para que não pensassem que eu era uma cegonha mal educada, curvei-me para a frente cumprimentado todos os presentes e exercitei, de imediato, o meu mandarim com a rebuscada frase: "arroz xau-xau, crepe de legumes e sayonara". Perante a incompreensível agitação provocada pela última palavra, levantei finalmente os meus olhos de cegonha e, atónita, dei de cara com o inexplicável... ali, à minha frente, decorria uma cerimónia, uma reunião do Comité Permanente do Politburo, e pequena Cutxi estava no centro das atenções, completamente aculturada, a ser entronizada como vigésima terceira Presidente da EDP.

10 comentários:

  1. Ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah
    Tu matas-me!
    Tão, mas tão boooooooom!

    ResponderEliminar
  2. Excelente! :D Do princípio ao fim, passando pela sacudidela das algas :D:D:D:D

    ResponderEliminar
  3. :) :) :)
    Seja como for, não devolvo a cadeira às tríades!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum... não sei se a própria Cutxi não se vai apoderar dela... é que, agora, tem um gabinete para decorar... :D

      Eliminar
  4. East metas West, e é o deslumbramento total ! Ainda hei-de ver a Cutxi dar pelo nome 毛茸茸的小荷花
    (Máoróngrōng de xiǎo héhuā)- Pequena Lótus Peluda, e dominar as tríadas com um simples toque de leque.
    Muito bom !

    ResponderEliminar