segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Todo o drama em quatro actos

Acto I

Pequena Cutxi a cheirar num sítio específico da casa, demasiado específico, um cantinho na cozinha, entre a máquina de lavar e a de secar roupa, mas a cheirar a sério, à Poltergeist, a cheirar, a cheirar, e eu a mandá-la sair e ela a dar a volta e a voltar a correr para aquele sítio exacto, sempre ali, a cheirar e a resfolgar que mais parecia um cavalo, um cão embruxado, possuído pelo Demo, a cheirar, a cheirar, de tal forma que os meus filhos começaram a ficar assustados, mas oh mãe, o que é que ela tem? Porque é que não sai dali?...

Acto II

A minha empregada chama-me pela manhã, com os olhos esbugalhados, abre o armário das bolachas (das bolachas, pessoas, o armário das bolachas! Das bo-la-chas!) e de indicador em riste aponta para umas migalhas escuras que pareciam pequenos grãos de arroz selvagem, e pergunta-me: Sabe o que é isto?! E eu olhei com muita atenção, afinal ela estava a fazer-me um teste e eu tinha de passar com boa nota, tinha de saber a resposta para aquela pergunta extremamente urgente. E então olhei uma vez mais com toda a atenção, aproximei-me, limpei os óculos e depois de longos segundos de esperança, tive de responder desalentada que não, que não fazia a mínima ideia do que aquilo era. E então ela fez a grande revelação: Caganitas de rato. São ca-ga-ni-tas de rato! Foi esse o momento em que se fez luz, o meu ah-ah moment, em que cruzei a informação prestada pela minha empregada com o cheirar aziago de pequena Cutxi, e com o histerismo da conclusão pus a hipótese de fazer uma pausa na situação e aproveitar para finalmente cantar de forma literal o "there’s a rat in my kitchen  what i’m gonna do, there’s a rat in my kitchen…" enquanto me imaginava a rodopiar por entre os tachos e panelas ao melhor estilo de Julie Andrews nas montanhas, mas acalmei-me e disse antes horrorizada: temos de tirar tudo do armário! E assim fizemos, fechei a porta da cozinha e abri a porta que dá para o pátio, por onde, aliás, o rato deve ter entrado, não fosse dar-se o caso do dito saltar do armário para cima das nossas cabeças e correr para a sala, e então a minha empregada à frente, a tremer de medo, armada com uma vassoura, começou a esvaziar o armário, pacote de bolachas a pacote de bolachas, um armário péssimo, daqueles de canto, que não se chega lá ao fundo, e eu, escondida atrás dela com a luz do telefone ligada para podermos ver lá para o dentro, agarradinhas uma à outra, tirámos tudo, e tudo, e tudo, sempre a ver quando é que largávamos as duas a fugir dali aos gritos e... nada.

Acto III

Bem, se calhar já cá não está, veio só para uma refeição mais substancial e depois foi à sua vida, afinal a porta para o pátio está sempre aberta para que a Cutxi possa ir lá fora, vamos esperar para ver se aparecem mais vestígios. E eis que no dia seguinte... :


Acto IV
Tenho oficialmente um rato em casa:


Mas, claro, não tenho um rato qualquer, tenho um rato espertíssimo, vou lá todos os dias, bato à porta do armário, que não quero cá encontros imediatos de terceiro grau, ponho um bocadinho de bolacha, para ver se ele a come, e sim, todos os dias o bocadinho de bolacha desaparece como que por magia; entrar para a ratoeira e comer o veneno é que não, que ele é um rato que só aprecia Bolacha Maria. E agora, apesar de já ter criado uma certa afeição pelo meu próprio rato, um certo amor até, afinal já lá vão quatro dias que sou a feliz possuidora de um dos ratos mais espertos de Lisboa, pergunto: Como, pessoas, como raio é que me vejo livre dele?!


102 comentários:

  1. Respostas
    1. E o que faço a pequena Cutxi?! Cutxi que persegue o gato que persegue o rato...?!

      Eliminar
  2. Existem umas armadilhas próprias que são autocolantes. É só colocar o pedaço de bolacha em cima (bem ao centro) da mesma, o ratinho vai buscar e fica colado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me boa ideia... e deve ser eficaz... mas depois tinha de o ver!... e eu não o quero ver! Blhec, blhec, blhec! Até estou com arrepios só de pensar! :DDDDDDDDD

      Eliminar
    2. E colocar o autocolante dentro da tua ratoeira?

      Eliminar
    3. Acho que estas ratoeiras só abrem com uma chave especial... agora foram lá uns senhores a casa reforçar com mais ratoeiras!

      Eliminar
    4. Garanto que é muito eficaz. E como opção podes pedir a outra pessoa que vá abrir o armário pela manhã, para ser "outro" a encarar com o bicho colado :)

      Eliminar
    5. Acho que depois de pôr a cola vou passar o dia inteiro na cama! Só para não ter de ver tal cena! :D

      Eliminar
    6. Pões o autocolante e trancas a porta até a empregada chegar. Assim é ela quem o verá lá agarrado!!!

      Eliminar
    7. E tira já o veneno porque a cutxi pode encontrar o cadáver do rato antes de ti e decidir almoçá-lo.

      Eliminar
    8. Oh pá... não estou em casa! Já estou nuns nervos! A ratoeira não dá para abrir para tirar o veneno! Mas já telefonei a pedir para a Cutxi ficar dentro do "parque" (como os dos bebés mas para cães) para prevenir qualquer encontro de terceiro grau!

      Eliminar
  3. Compra-lhe mas é uma caminha bem fofinha e dá-lhe um nome, problema resolvido :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E um laço na cabeça! Excelente ideia! E depois posso tirar-lhe fotografias e sugerir outfits em tons taupe, no blog! O meu rato vai ser uma estrela! :DDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Um laço depende se for rato ou rata! É tentar descobrir :D

      (Eu hoje de manhã fui surpreendida por uma gigantesca aranha daquelas com pêlo e tudo na cozinha, estou agora aqui a pensar que em vez de gritar devia ter pensado num nome para lhe dar...)

      Eliminar
    3. Realmente... que falha... Tinhas aí um excelente nicho de mercado para outfits de aracnídeos! : DDDDDDDDDD

      Eliminar
    4. estou com a Entre Dias. dei nome à aranha Milu e tem-me feito boa companhia (no tecto, sossegadinha). para quê matar o rato, Palmier?... um laçarote e tens mais um tema para o blog (e a simpatia do PAN).

      Eliminar
  4. 1º passo: limpar toda a área rastejante e armários com lixívia, e não armazenar nada nesses locais. Os ratos transmitem doenças tremendas, p.ex., vírus Hanta. 2º passo: capturar e prevenir, é melhor contactar uma empresa especializada, porque pode haver infestação (ninhada...).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tirei TUDO e já foi tudo limpo e desinfectado! E achei que com a ratoeira resolvia o assunto... aparentemente não é suficiente. Hoje à tarde vai lá um senhor ver se tem uma solução melhor, mas não estou bem a ver como é que o vai apanhar sem ser com uma ratoeira... :/

      Eliminar
  5. Há umas "pastilhas" que os ratos comem e depois morrem... Poderia por uma no armário das bolachinhas o problema é que depois pode encontrar o rato morto dentro de casa... Good luck 😉

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso que está dentro da ratoeira... e nada! Continua vivinho da Silva... :/

      Eliminar
  6. Isso é dos bichanos mais espertos que conheço :) só com caçadeira te vês livre dele.. caçadeira e boa pontaria é claro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou desatar aos tiros para dentro do armário! :D

      Eliminar
    2. Estou a imaginar a cena!!1 Ahahahahaahahah!!! Aconteceu-me o mesmo há uns bons anos, o meu marido colocou uma armadilha no armário, no dia seguinte, saí de casa mais cedo só com o pavor de ver o rato morto!!como a compreendo!!!!!

      Eliminar
    3. Epá... o que me havia de acontecer...! :D

      Eliminar
  7. Rato de Palmier, só poderia ser encoberto.
    Não que eu seja alarmista, mas já pensou tratar-se de uma... ratazana ???

    ResponderEliminar
  8. Ui.. Boa sorte. Uma vez tivemos um, numa casa de férias. Foram duas semanas para o apanhar, todos os dias íamos pondo petiscos diferentes na ratoeira, acho que o apanhámos com chouriço. Mas era uma ratoeira das antigas, nada dessas casinhas modernas. Tu vê lá. não tenhas um rato claustrofóbico!
    (pelo tamanho da dentada, nem te digo o que me passou pela cabeça...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Epá...! Eu não vi aquilo como UMA dentada! Vi aquilo como o fruto de uma noite inteira a roer! Tu não me assustes ainda mais!

      Eliminar
    2. Tal como a Picante... acho que as mais eficientes, são as ratoeiras antigas com um pedaço de chouriço. E tem a vantagem que é capaz de ouvir o barulho quando a ratoeira apanhar o rato/ratazana (capaz que oiça, também, algum guincho) ;-).
      Nunca tive rato em casa mas, já tive a experiência de um morcego e é arrepiante, nojento. Nem queira saber a coragem que tive de ganhar para tirar aquela coisa asquerosa de dentro de casa, sim, tive de ser eu porque o meu marido... nem pensar!

      CM

      Eliminar
    3. Já lá tenho uma, acho é que é com pão torrado com manteiga :D agora nem quero pensar na parte de o ver lá esborrachado... brrrrrrrrrrrrrrrrrrr!

      Eliminar
    4. Não... Que disparate... A ratoeira não o "esborracha". Só lhe parte a espinha. Assim, olha... TAU-CRAC-HIII!
      Não te fiques a sentir mal.

      Eliminar
    5. ahahahahahhahahaahhahahahahhahahahahahahhahahahahhahaga
      Até é uma coisa fofa :D

      Eliminar
  9. Cola para rato,em cima dum azulejo ou cartão forte, cuidado para não colar os dedos,presunto (bocadinho) ao centro.

    No outro dia de manhã pedir (mandar) o marido verificar se já lá está o rato e (provavelmente ainda vivo) e se se pode ver livre dele. Entretanto desaparecer para não ficar traumatizada.

    PS:atenção para os miúdos não verem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou falar nisso aos senhores que lá foram agora reforçar as ratoeiras!

      Eliminar
    2. Convém pores a cola num cartão grosso, porque se aquilo passa para o chão depois é muito difícil de limpar.

      Eliminar
    3. Estão a assusta lá com as ratazanas, se é num local estreito de difícil acesso, é ratito. A empregada também lhe deve saber dizer pelo tamanho das caganitas.

      Eliminar
    4. São minúsculas, mais pequenas que um grão de arroz! É ratinho, certo????

      Eliminar
    5. Ratinho, sim.

      E a cola que eu digo tem que estar colocada onde cadela e miúdos não tenham acesso, e sempre em cima de alguma coisa que depois vá para o lixo. Quando falei em azulejo era uma peça solta, que depois de ser usada é se ter a certeza que não há mais ratos, vai para o lixo. A cola praticamente não dá para limpar. Se chegar a pelo ou cabelo só cortando

      Eliminar
    6. Ok...! tenho de pensar como é que vou colar o raio do bicho sem ficarmos todos colados uns aos outros... :D

      Eliminar
    7. Se ele vai dentro do armário, é tirar as coisas e por a cola. Queijo quase azedo, presunto ou chouriço, são das coisas melhores para colocar. Como têm bastante odor eles são atraídos

      Eliminar
    8. (só de pensar em ver o rato colado até fico com calafrios...)

      Eliminar
  10. Palmier, sempre que vamos para a casa do Minho é esse filme. Temos imenso cuidado e geralmente a casa está limpa de ratos mas mesmo assim nunca passo umas férias sem ter um encontro imediato com essa espécie e sem passar umas noites a imaginar eles a subirem-me para a cama. O que resulta SEMPRE é aqueles tabuleiros pegajosos. Metemos bolachas (curiosamente a Maria) e bocados de queijo e eles ficam presos naquela supercola. Mesmo que sejam espertos e só se aproximem sem comer efectivamente, normalmente metem lá a pata e já não conseguem sair. Depois é alguém corajoso ir lá com uma vassoura :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai pá... não me digas nada! Tenho tido pesadelos com a ideia do rato subir para a cama dos meus filhos...! Acho que nem tenho dormido! :D

      (vou já ver isso da cola, espalhar cola por todo o lado!)

      Eliminar
    2. Usei as ratoeiras com cola e foi infalível. Tinha uma simpática família a viver na minha árvore de natal.

      Eliminar
  11. Não devias ter limpo a área, isso só o afasta para outro local. Cria o habito de ele ir aí e depois é só atacar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas ele voltou, que eu deixo lá um mini-bocadinho de bolacha para ver se ainda está vivo e o raio da bolacha desaparece!

      Eliminar
  12. Eu só quero fazer uma pergunta:
    Tens a certeza que é um rato? É que toda a blogosfera sabe que não sabes distinguir entre ratos e ursos (pequena alusão a Kikoniko). Daí ele não entrar na ratoeira, tens de põr uma "ursoeira".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahahhahhahahahahhahahhahahahhahahhahahahhahahahhahahahahahahahahaahahaahhahahahahahhaha
      Agora ia beber um copo de água durante a noite e dava de caras com um urso polar a beber um chazinho na mesa da cozinha! :DDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Ahahahahahahahah ahahahahahahahah ahahahahahahahah ahahahahahahahah e olha que pelo tamanho da dentada... :DDDDDDDDD

      Eliminar
    3. :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD
      É um dos grandes!

      Eliminar
    4. Deve ser um destes
      http://www.omigu.com/wp-content/uploads/2015/12/Omigu-Gif-1.gif

      Eliminar
  13. Há um produto, que creio ser da Bayer "Racumim"
    Compra uma saqueta, e em cima de uma folha de papel, um pedacinho, juntar até uma migalhinhas da bolacha. Por norma, resulta,e o animalzinho vai morrer longe, por desidratação. Vigiar até que nada no papelinho tenha sido mexido. Depois é só retirar e desinfectar o local com cuidado, e já agora tentar descobrir como entrava, para poder fechar a abertura, caso haja.

    No entretanto, não permitir que nem crianças nem animais tenham acesso ao pitéu.

    Espero ter ajudado.
    :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ok. Obrigada :) se com a ratoeira, a cola e os venenos ele não morrer... o melhor é mudar de casa! :D

      Eliminar
  14. Coloca a bolacha maria na ratoeira em cima do veneno ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta ratoeira não dá para abrir... mas já lá tenho mais uma, das clássicas, de mola :D

      Eliminar
  15. Já passei pelo mesmo. Quando finalmente pudemos celebrar a vitória com uma ratoeira daquelas antigas, eis que apareceram vários herdeiros. Tive de mudar de casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh pá...! Que grande horror! Nem quero pensar nisso! :D

      Eliminar
  16. Tive esse problema no Alentejo e enquanto andámos com ratoeiras, não apanhámos nada. Acabei por usar uma cola que se compra nas drogarias e que é mesmo para isto. Recortas uns bocados de cartão, fazes uma espiral com a cola sobre o cartão e no meio da espiral pões um bocado de queijo, bolachas, ou o que achares que o atrai, e pronto, a seguir delegas a tarefa de ir ver se o rato lá ficou.

    Se fosse ratazana, o estrago era maior (e as caganitas também) :D, mas se for, não fica nestas armadilhas, mas leva-as com ela. Portanto percebes logo se é uma ratazana.

    Boa sorte, de todo o coração :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem... lá vou ter de me render à cola! Parece que é unânime que é o mais eficaz :D

      Obrigada! Hei-de ganhar esta guerra! :DDDDDDDDDDD

      Eliminar
  17. NÃO MATES O RATO!!!

    Dá-mo que a minha cobra trata dele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Traz-me mas é a cobra! É que já estou por tudo! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. A gaja com o frio mexe pouco. Se estiveres disposta a albergar ambos para aí por um ano, é na boa.

      Eliminar
    3. Que cobra tão inútil... esquece... já estou a ver que não é por aqui que me safo... :D

      Eliminar
    4. Afinal o rato tem que estar morto.
      Já sabes, não dês veneno ao bicho.

      Eliminar
    5. Não, está descansada... mato-o com festinhas! :D

      Eliminar
  18. Esponja frita em banha. O rato come, a esponja incha, ele morre. Depois, é só encontrar o dito (bicho) pelo cheiro... :)

    ResponderEliminar
  19. Faça o que fizer não deixe a TV ligada com o Tom&Jerry a dar. Se assim já é esperto, o que será depois de uns quantos episódios...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha... não sei... agora que há a Dog TV, também podíamos pensar numa Rat TV! É que não quero cá discriminações com o meu pobre rato! :D

      Eliminar
  20. Mas é só um pobre ratinho...

    Estou mais interessada em saber o contacto da empregada. Isso que ver uma caganita num armário de difícil acesso é de valor! Acho que a minha nunca abriu o armário das bolachas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. : DDDDDDDDDD
      Querias, pois era?! Nem pensar que passo essa informação! Ela é só minha! : DDDDDDDDDD

      Eliminar
  21. Pipocante Irrelevante Delirante7 de dezembro de 2015 às 15:55

    matar o rato?
    Um animal indefeso e com direitos?
    VOU CHAMAR O PAN!!!!

    (diz que há umnas armadilhas "humanas"... só prendem o bichinho, e depois podem soltá-lo em liberdade. Usem queijo como isco... mas queijo do bom!!!! O rato deve ser um roedor com style)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raios...!Esqueci-me do PAN! Lá vou ser encarcerada! : DDDDDDDDDD

      Eliminar
  22. Alugo os meus gatos para o efeito :):): vou só preparar o orçamento e já lhe envio. Palmy, tem a certeza de que as bolachas foram comidas por um animal? Parece-me mordida de humano...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. : DDDDDDDDDD só se for um humano com muitaaaaaaa fome! Para comer o plástico e tudo!

      Eliminar
  23. Um gato? Queres que te empreste a Meca?

    ResponderEliminar
  24. Só passei para saber novidades do rato. :)))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ok... já percebi que o raio do rato me tirou o protagonismo... : DDDDDDDDDD

      Eliminar
  25. Arranje um gato!. Posso emprestar-lhe a minha Madalena, se quiser... é tiro e queda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Venha a Meças, a Madalena e todos os outros! Para o caçarem em matilha! : DDDDDDDDDD

      Eliminar
  26. E a nespresso é só para o caso do rato querer beber um cafézinho antes de entrar na ratoeira?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro! Temos de tratar ar td os nossos convidados! Mesmo que sejam penetras! : DDDDDDDDDD

      Eliminar
  27. Palmier, eu também não queria ter um ratinho dentro de casa. Era provável que também comprasse uma armadilha daquelas antigas mas isso da cola acho demasiado cruel. Uma coisa é morrer logo, outra é estar ali a sofrer dias até morrer. Vá para a frente com a ideia das ratoeiras antigas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E era pequenino? E sabes por onde entrou? Conta tudo

      Eliminar
    2. Era minúsculo! :D
      Já tenho um post acima com a apoteose da caça! :D

      Eliminar
  28. Gatos.
    Só consegui afastar um problema de ratos, com gatos. Isto de viver no campo, nunca se resolve totalmente. Mas atesto a eficácia dos gatos, até ao dia em que o Tobias traz um presente para casa: 1 rato morto. Bem que lhe disse que não precisava de ajudar com a alimentação mas, tão amoroso ele, voltou a trazer, um pássaro meio comido... Gato amoroso e agradecido. :))
    Mesmo que cace esse, deixe as ratoeiras mais uns meses, não vá ser fêmea e ter o ninho feito no calor da casa de P..
    Por fim, cuidado com os venenos de rato. Têm uma substância que provoca hemorragias. O veneno é tóxico para outros animais e o antídoto é vitamina K. Andei 20 dias a dar injeções à gata... Sorry, mea culpa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai pá... ontem, desde o comentário da Cuca, passei o dia todo nuns nervos com a possibilidade da Cutxi se encontrar com a criatura radioactiva... mas a coisa resolveu-se à antiga! Ufaaaaaa! :D

      Eliminar
  29. Não quero estragar a felicidade de achar que acabou, mas quando aparece um significa que há muitos mais lá nos confins de onde veio o atrevido. Ratos combatem-se com gatos, sei do que falo...

    ResponderEliminar
  30. Não recebeste o meu comentário Palmier?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não! Não tenho cá nada por aprovar.

      Eliminar
    2. Fui ver ao spam e tinha lá quatro comentários perdidos mas eram todos anónimos...

      Eliminar
    3. Pois... Bem que achei estranho não aparecer. Cenas das Internetes e dos telemóveis espertos...
      Avançando: também tenho o mesmo problema, mas na garagem.
      Também os meus cães farejavam incessantemente ao pé da máquina de secar - a habitação do pequeno Mickey - até que dei com as provas da sua existência no depósito de água da mesma. (O bicho deve gostar do WC aquecido, que fazer...) Ao contrário de ti, tive um encontro com o pequeno M, quando ia buscar roupa sequinha, aquecendo as patinhas e coçando os bigodes, como se tivesse em frente a uma lareira.
      Já coloquei "remédio" em volta máquina, mas o sacaninha ainda continua por lá.
      Isto de viver no campo tem destas vidas e temo não me ver livre do Mickey, ou parentes.

      Eliminar
    4. Ah, nos entretantos, falaram-me de umas cenas que se ligam à tomada (estilo difusores) e que afugentam ratos e insetos. Não sei se resulta ou não, mas já encomendei um para testar. ;-)

      Eliminar