quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Então vamos lá fazer uma tentativa

Lembram-se porventura da Tia Póli, aquela cuja criada só estava autorizada a ver o televisor sentada debaixo da mesa? A que era acordada diariamente pela mesmíssima criada, com a ternurenta frase "então, ainda está vivinha?"


Pois bem, a Tia Póli e a sua criada viveram o suficiente para assistir ao vinte e cinco de Abril, coisa  incompreensível que, naturalmente, e dado o elevado grau de absurdo que encerrava em si mesma, nunca foi convenientemente processada pela arguta mente da velha Tia; Já Maria, a criada, tomou ares de modernidade e considerou mesmo a possibilidade de vir a votar.
Quando um sobrinho transviado se candidatou à Câmara Municipal pelo Partido Socialista, a Tia deu ao caso a importância que parecia ter: trata-se de um cargo governativo, coisa que sempre assentou bem na família.
A criada Maria tirou de facto outras conclusões e quando o candidato bateu à porta para cumprimentar a Tia Póli, a Maria, radiante, espreitando por detrás do ombro da velha tia, levou a mão ao coração e disse alto e bom som, de forma sentida, solene e compassada:
- Senhor Doutor, eu vou votar em si!
Ultrajada, a Tia Póli gritou-lhe por entre um temível ranger de dentes:

- Maria, ponha-se no seu lugar, o Senhor Doutor não recebe votos de criadas!


26 comentários:

  1. Cruzando este com o post anterior, parece-me a escrita bem viva! Também não deixa de ser uma pintura que retrata uma época! E tem um "bicho" e tudo :p

    ResponderEliminar
  2. Deliciosas as histórias da tia Póli e sua criada Maria! Queremos mais histórias da tia Póli e da criada Maria!

    ResponderEliminar
  3. Ainda bem que voltaste!
    Como diria uma pessoa já falecida da família do meu "esposo". Está tudo bolchevizado! Já as criadas podem votar!"
    Felizmente os tempos mudam...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahhahhahahahhaahahahhahahahahhahahahhahaha
      Bolchevizado é excelente! :DDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  4. Delicioso! parece que todas as imagens desta saga surgem facilmente na minha imaginação <3

    ResponderEliminar
  5. Quando leio certas caixas de comentários na internet questiono-me muitas vezes como é possível que algumas pessoas votem...

    A tia Póli só não tinha internet, mas já sabia muito bem que o direito ao voto é precioso demais para ser atribuído sem regras. :DDDD

    ResponderEliminar
  6. Ahahahahahahahahahahahahahaha!!! Tão bom! Obrigada pela gargalhada, que tanto jeito me deu para me aliviar o mau humor de andar perdida no meio de 500 mil turistas, sem um lugarzinho para estacionar ( maldita terra está, pá!)
    Venha mais tia Poli!

    ResponderEliminar
  7. O primeiro comentário do post anterior sobre a tia Póli é meu. 2014. Será possível?!
    Perfeito Palmier, perfeito :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quatro anos depois, cá continuamos :DDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. É só alternar pintura com histórias destas, histórias destas com pintura e em 2022 ainda cá estaremos :)

      Eliminar
  8. Vês como afinal (ainda) consegues expressar-exteriorizar pela escrita. Linda menina! Góstei :)

    Isa

    ResponderEliminar
  9. What a great short story!

    ResponderEliminar
  10. Este é o melhor blogue português. Aproveitei esta noite de insónia e andei por aqui a passear, o que me ri! Obrigada

    ResponderEliminar