sexta-feira, 2 de março de 2018

A propósito do comentário da Anónima ao post anterior, sobre o draaaaaaaama das atitudes sexistas (toma lá, agora que te aconteceu a ti, gostaste?) com que nos deparamos ao longo da nossa vida, a única coisa que tenho a dizer é:


Nunca me incomodei particularmente com este tipo de situações porque quem está mal não sou eu, quem está mal são as pessoas que as praticam, caramba, é preciso que tenhamos alguma segurança em nós próprias… cruzamo-nos com pessoas parvas na nossa vida? Sim. Elas definem-nos? Não. Limitam-se a definir-se a elas próprias…

45 comentários:

  1. Pumba , nem mais :) :)

    ResponderEliminar
  2. Temos que ter paciência para os machos latrinos desta vida...

    ResponderEliminar
  3. Atão, por essa óptica, as mulheres ainda não tinham direito a voto ou a viajar sem a autorização do pai ou do marido, só dois exemplos. Uma vénia para quem se importa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, Anónima, por mim ainda estávamos a viver em cavernas e a fazer pinturas rupestres nas paredes...

      Eliminar
    2. Certo. Então e a anónima o que é que já fez contra esse flagelo terrível que é a malta dos stands convencida que as mulheres não percebem nada de carros?

      Eliminar
    3. (também há o flagelo terrível das empregadas de loja convencidas que as clientes não têm dinheiro para comprar aquilo, mas esse rende menos indignação. Embora seja mais irritante...)

      Eliminar
    4. Ahahahahahahhahahahahhahahahhahahahahahah
      Esse é um clássico: Qual é o preço deste casaco/camisola/sapatos? Resposta: É caro. :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    5. Já comprei coisas horríveis para repor a minha dignidade.
      Fica-me caríssima o raio da dignidade.

      Eliminar
    6. Deixe-se de coisas Palmier, não esteja aqui a enganar as pessoas, mas é claro que pela sua vontade estaria a fazer pinturas rupestres nas paredes e estaria tudo muito bem assim...

      (desculpe, não resisti)

      Eliminar
    7. Ora Cuca, isso resolve-se com um cartaz e uma manifestação à porta dos stands!

      Eliminar
    8. Ahahahahaahhaahahhahahahhhahhaah
      Cuca, imagino os monos! : DDDDDDDDDDD

      Cláudia, era o meu sonho, desde que as pinturas rupestres pudessem ser feitas com tintas Old Holland, claro! : DDDDDDDDDDD

      Eliminar
    9. Ora anónimo, e está lá clima para manifestações e cartazes? Isso é coisa da primavera... lá para abril...

      Eliminar
  4. Eu achei graça, mas percebo agora que não devia.
    E agora? Devo atirar pedras às montras dos stands por perpetuarem comportamentos misóginos? Ou atiro pedras só ao vendedor?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedras, Mi?! Eu acho que isto era coisa para ser resolvida a tiro! No mínimo!

      (E já devias saber que estes assuntos não são para rir e que devem ser abordados com toda a seriedade)

      Eliminar
  5. Nem se percebe bem se o tipo é sexista ou apenas ignorante...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tolo é vago, é um tolo sexista. Existem, ou não?

      Eliminar
    2. Anónima, um tolo é um tolo, é normalmente uma pessoa com pouca inteligência que acha que se afirma tomando atitudes idiotas... ser sexista é apenas uma das muitas formas....

      Eliminar
    3. Repito, esse era um tolo sexista, não?!

      Eliminar
    4. E eu repito: um tolo nunca é tolo apenas num aspecto. Para além de sexista também deve ser tolo de muitas outras formas...

      Eliminar
  6. Humor à parte (até me ri com a sua história), também é importante educar e sensibilizar para bem de quem se importa e não tem essa sua segurança. É por empatia que devemos sentir-nos um pouco incomodados, se não por nós, então por essas pessoas. É o que penso, pelo menos. Um beijinho, Palmier :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, é impossível educar uma pessoa adulta que não conhecemos de lado nenhum... mas nem sei como alguém se pode importar com uma tolice destas, que se resolve com uma gargalhada...

      Eliminar
  7. Eu tive de ir reler o post anterior para perceber o quão sexista é. É ali naquela parte que dizes que as mulheres não compram carros, não é? Desculpa se não percebi, mas sou mulher e loira. Acho que vou ali pedir ao marido para me explicar a piada da bagageira que, obviamente, não entendi.
    Ele há muita gente "capaz" por aí! (Pode-se dizer capaz ou está no âmbito do fel??)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :DDDDDDDDDDDDDDD

      (não sei, que isto hoje em dia não se pode dizer quase nada! :D)

      Eliminar
  8. Talvez as mulheres que se importam não sejam necessariamente mulheres a quem falta "segurança". Talvez sejam mulheres que, pelas suas circunstâncias, estiveram expostas a episódios piores, ou mais frequentes, ou com maiores consequências para a vida delas. Ou apenas mulheres que até nem passaram por nada de especial, mas compreendem que existem outros mundos além do delas...

    (e não, não tenciono ir manifestar-me para a porta do stand :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, uma coisa são situações graves, outras, muito diferentes, são estas parvoíces. Se há pessoas que se querem arreliar com estas coisas, pois façam favor (eu limito-me a ir comprar o carro a outro vendedor)

      (esqueceu-se de acrescentar ao "compreendem que existem outros mundos além do delas" que "se me informasse e estudasse o assunto, se visse umas tedTalks", seguramente que teria outra opinião)

      Eliminar
    2. A minha mãe também fica escandalizada quando vê o meu marido fazer "coisas de mulher". Eu estou farta de lhe dizer para não -se chatear com isso porque eu até gosto.

      Eliminar
    3. A mim não me arrelia o episódio do stand (que achei cómico). Arrelia-me o ter pegado nesse episódio para falar no "draaaama das atitudes sexistas", como se essa situação e a sua experiência fossem representativas de todas as situações para todas as mulheres. E como se tudo se resumisse a "segurança" ou falta dela. Se a interpretei mal, peço desculpa.

      (e não me esqueci de acrescentar nada. Apenas quis dar a minha opinião, não faço questão de mudar a sua, nem cá vim catequizar ninguém...)

      Eliminar
    4. Anónima, eu não peguei no episódio do stand para extrapolar para uma resposta universal às atitudes sexistas, se reparar há-de ver no título que fiz um post em resposta a um comentário ao post anterior em que me perguntavam se agora que tinha sido comigo, tinha gostado. Ora, é natural que perante esta pergunta, fale na minha experiência (aliás, tanto a minha opinião como a sua são baseadas na nossa experiência, não são, seguramente, fruto de um estudo sociológico aprofundado), e a minha experiência diz-me que há muita gente tola neste mundo e que as tolices só os qualificam a eles. Agora, que a Anónima pegue nisto e transforme esta afirmação numa afronta, porque há mulheres que viveram determinadas coisas e outras que compreendem que há outros mundos para além dela... pois... olhe... é a sua opinião... baseada na sua experiência.

      Eliminar
  9. Não achou um drama, está no seu direito. Afinal são só resquícios de uma mentalidade que até há bem pouco tempo era a vigente. Pouca coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se era, é porque já não é, não é verdade?

      Eliminar
    2. Tem dias, tem dias...

      Eliminar
    3. É evidente que estas pessoas ainda existem -não podem ser exterminadas das face da terra - mas o que quero dizer é que já não nos condicionam, daí que, também nós, não possamos agir como se estivéssemos nos anos 60...

      Eliminar
    4. Condicionam em muito lado e a muita gente. Negar isso é alimentar a besta que está adormecida, como todas as outras, aliás. A História é feita de avanços e recuos. E estes devem ser contidos. Desculpem a hora, estou em fuso horário diferente.

      Eliminar
  10. "Anonimo 19:42" As Mulheres são na maior parte das vezes as mais machistas" Tipo esse comentário que fala e outros como "na cozinha homem não entra" etc:..e penso muitas vezes no seguinte quem educa os homens? As mães! Começam logo de pequenos a levar com estereótipos. As gerações mais jovens pode ser que invertam essa tendência! Haja Esperança

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana das 11,58 eu estava a brincar, o machismo não existe, isso é coisa das cabecinhas das Capazes.

      Eliminar
    2. Existir, evidentemente que existe, agora que as Capazes andam com uma lupa de aumentar atrás de tudo o que é insignificante, misturando alhos com bugalhos, pois, também...

      Eliminar
  11. Eu cá até acho que as mulheres nem deviam conduzir, se têm um acidente depois quem trata de um gajo?! Nunca fui bom a emparelhar meias.

    ResponderEliminar
  12. ja somos duas. comportamentos q se ficam ali entre o sexista e o paternal do publico em geral nao me incomodam, por mt idiotas q sejam (os comportamentos).

    é preciso saber separar o "trigo do joio". é chato? é? passava bem sem estes comentarios paterno-sexistas? sim! é isso q me estraga o dia? nao

    mas este comentario (o q gerou este post) demostra uma vez mais o qt as gajas gostam de ser cabras entre elas (assumindo q se trata de uma gaja). qd vejo coisas destas lembro-me de um colega da secundaria q dizia todo inchado q a mae lhe tinha dado um excelente conselho : "meu filho, as mulheres sao todas umas putas!" AHAHAH!! o qt eu jovem adolescente rebelde rebolei a rir qd lhe perguntei se a mae dele era mulher ou homem :D aquele cerebrozinho de projecto de machista colapsou.

    ResponderEliminar
  13. (ah, Anónima do comentário que deu origem a este post, já estava a sentir saudades da cartilha do “estudei, vi umas TedTalk e depois, finalmente, vi a luz”. Mas já que estamos numa de mandar estudar, aconselho vivamente que a Anónima dê uma vista de olhos a qualquer coisa a propósito de liberdade de pensamento e de opinião… quanto aos bloggers de que quer muito dizer mal, aconselho que se dirija a eles, não será seguramente aqui que o vai fazer)

    ResponderEliminar
  14. pois eu quando for grande quero ser assim. Por enquanto não consigo deixar de me irritar com esses comportamentos

    ResponderEliminar
  15. Mas estão a brincar?! É para isto que serve a internet, para algumas mentes iluminadas andarem a disparatar coisas sem interesse nenhum, porque na realidade nunca fizeram nada, mas fica bem hoje em dia dizer-se assim uns disparates na net e o pessoal acha que já faz muito e que muda o mundo e mentalidades assim. Tristeza.
    Eu sou bombeira voluntária há 15 anos, faço-o como voluntariado, no entretanto tirei um curso e exerço a profissão que escolhi. Há 15 anos não haviam tantas mulheres (e ainda para mais a tirar cursos) nos bombeiros como agora. Era um mundo quase só de homens, conseguem ter a mínima noção do que passei para ter o respeito deles e hoje em dia posso orgulhar-me de o ter, para que me olhassem como "um deles"... Não têm noção de nada, mas andam a escrever porcarias como se tivessem. Eu contribui para mudar o mundo das mulheres, no meu caso nos bombeiros e o pessoal aí atrás dos ecrãs o que fizeram?

    Eu entendi e achei piada, obrigada pelo bom humor!

    ResponderEliminar