quinta-feira, 1 de março de 2018

Porque ir a um stand de automóveis é sempre uma experiência enriquecedora



Desde que tive o acidente que decidi que, quando trocasse de carro, passaria para o primeiro andar, que isto de andar cá em baixo, ao nível da estrada, é um verdadeiro martírio para as pessoas que, como eu, são umas assustadiças ao volante. Ora, no outro dia, ía eu muito bem no meu carro ao nível da estrada, quando vislumbrei ao longe um modelo novo de um jipe/suv (não sei bem o termo técnico), bué lindão, que servia perfeitamente para mim, sobretudo porque não me pareceu tão alto como outros, que tenho cá a sensação que a entrada da garagem na Grande Obra, com a inclinação da rampa, não dá para grandes aventuras. Acontece que o carro já ía lá à frente e, por mais que tivesse acelerado, tipo stalker (no meu estilo assustadiço), não o consegui ver como deve ser. Então resolvi ir ao stand para examinar o carro e saber se o podiam levar à Grande Obra para ver se cabe. Ah, o que eu gosto de ir a stands…
Entrei, olhei em volta e nada do carro, perguntei então ao senhor que lá estava se não tinham nenhum, que eu gostava de ver, e o senhor respondeu-me que tinham dois de serviço para venda na Expo, que é sempre aquela resposta estranha, uma vez que – não tendo nada contra – não lhe tinha perguntado pelos carros de serviço. Mas, bom, não podemos valorizar muito, que é bem sabido que quem compra carros em geral e novos em particular são os homens e como eu não levava nenhum homem para mo comprar não era, obviamente, uma cliente de fiar. Mas já que ali estava e para não dar o tempo por perdido, lancei a minha mãozinha para o botão de abertura bagageira de um outro modelo que lá tinham, que isto já se sabe, as mulheres nos carros só querem saber do espaço da bagageira e se os espelhos das palas têm luz, e eis se não quando o senhor dá uma salto de gazela, ultrapassando-me pela direita, interpondo-se entre a minha mão e o automóvel e diz-me indignado, praticamente gritando “Miiiiinha senhoooora!, Este é o nosso topo de gama!”, como quem diz: não mexe, não toca, porque estraga!, e então, qual feiticeiro praticando o truque de magia mais incrível do universo, toca no dito botão e diz-me, aí sim, suavemente e com voz de veludo, como se a bagageira a abrir sozinha pudesse ser confundida com um leão em posição de ataque a rugir na savana  “não se assuste, é automático”.

E pronto. Vim-me embora.

67 comentários:

  1. Não ias vestida de mulher de futebolista e não ias acompanhada por um marido rico, Já devias saber.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahhahahahahahhahahahahaa
      Para a próxima vou mascarada! Não quero correr o risco de ficar uma sem-carro! :DDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. AAHAHAHAHAHA Vestida de mulher de futebolista é muito bom!!!!!

      Eliminar
    3. Muito brilho, muitas pulseiras, muita marca visível, faz de ti um mupi andante e verás que o vendedor se derrete.

      Eliminar
    4. :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    5. O senhor meu marido é profissional dessa área e traz para casa essas viaturas topo de gama, com mais botões que um vestido comprido de casamento. No outro dia também teve um desses ataques histéricos porque eu, pouco dada a botões e gaja à antiga, ousei fechar a porta do porta bagagem com a mão. Ai jesus, Maria José, que isso já não se FAZZZZZZZ! Carrega no botão Sandra Cristina! Por via das dúvidas vou contar esta história lá em casa, não sejam feitas figuras similares por esta cidade fora...

      Eliminar
    6. Vou-te contar um segredo: a bagageira do meu carro já é das automáticas -portanto mais cómico se tornou aquele anuncio do senhor do stand- e sabes o que acontece se a fecharmos com a mão? Nada. Não acontece nada. Quando se volta a carregar no botão ele funciona na mesma, tudo igualzinho sem tirar nem pôr! Mas o meu consorte também sofre um bocadinho quando me vê fazer isso : DDDDDDDDDDD

      Eliminar
    7. Por aqui é o oposto: sou eu a comichosinha dos carros que olha de lado e chama a atenção quando o meu sensorte leva a mão à porta da bagageira para a fechar.

      Eliminar
  2. Esse vendedor não merece uma compradora cheia de estilo como tu, Palmy, é melhor ires a um stand com um vendedor a sério. :-)
    Num dos carros que tive, o capô não se abria, saía. Saía mesmo. Quando era preciso repor o nível de óleo - o carro consumia óleo, estava no livro de instruções - eu desencaixava-o e punha-o no chão encostado ao carro ou a uma parede próxima. Alguns homens que observaram isto, fosse na inspeção periódica fosse numa estação de serviço, levaram as mãos à cabeça em aflição, mas eu fingi que não vi para não os envergonhar, coitadinhos. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahhahahhahahahhahahahahhahahahhahahahah
      Uma vez deixei a janela do carro aberta, numa noite de tempestade, e quando cheguei de manhã tinha uma piscina. Fui buscar uma pá para tirar a água lá de dentro e, no fim, já tinha para aí três vizinhos a olhar para mim com um ar absolutamente horrorizado, como quem diz: olhem bem o que esta maluca faz ao carro!" :DDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Susana

      O meu marido quer saber que carro era esse que nunca ouviu falar de um carro cujo capô saia. Está entusiasmadíssimo em pesquisas na internet. Pode poupar-lhe o trabalho de pesquisa? :D

      Eliminar
    3. Cara Anónima, não foi um carro muito vendido, isso não: era o Audi A2.

      Agora só em segunda mão... ou terceira. :-)

      Eliminar
    4. Muito obrigada pela resposta. :) É que o homem é teimoso e já o estava a ver a passar as próximas noites à procura de que carro seria. :) Mais uma vez, obrigada. :)

      Eliminar
  3. Tanto esforço, em trabalho e dinheiro nos importadores das marcas, para depois haver cromos como este a atender público. Assim não dá.
    Ana

    ResponderEliminar
  4. É escolher outro Stand , da mesma marca , ou então levar o consorte e vai ver como tudo muda :) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, de certeza que, se o levar, será uma experiência completamente nova! :DDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  5. Assim também em bom é estar a fazer a manobra e vir um senhor "ajudar"... acabo quase sempre por imobilizar a viatura e pedir, por favor, para não me baralharem com excesso de informação! Normalmente consigo fazer um bom trabalho, com os avisos do carro! 😬🤔

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é um clássico! E normalmente gostam de se pôr a ajudar juntinho aos sensores do pi-pi-pi! :DDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  6. Ahahahahahah
    Os homens têm uma relação estranhíssima com os automóveis, nada a fazer. Já devias saber que tens de levar o consorte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até estava a pensar levá-lo e, no meio da conversa, quando o senhor do stand estiver mesmo empolgado a explicar aquelas coisas que eles adoram explicar, eu pergunto ao meu consorte, assim de forma amorosa, se ele quer que eu lhe ofereça um carro daquela marca, talvez um topo de gama... :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  7. ao menos não tinha lá isto no stand! é que parecendo que não ... é bem pior! http://videos.sapo.pt/czfvPEwqsFkjnzDikLBi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahhahahahhahahahhahaha
      Que grande horror! :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  8. Olha eu ando num primeiro andar há quase 18 anos e quando tenho de ir num rés-do-chão acho sempre que se houver um choque fico ali engaiolada. E a visibilidade? É uma maravilha.
    O meu próximo primeiro andar vai ser elétrico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anseio com todas as minhas forças pela minha ascensão automobilística! :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Oh pá, a curto prazo vou mudar para o centro da cidade e vou passar andar de elétrico!

      Eliminar
    3. Ando num primeiro andar há um ano. Quando fui buscar o carro ao stand, senti-me um verdadeiro condutor de autocarros.

      Eliminar
  9. https://www.google.pt/search?q=memes+pretty+woman&safe=active&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ved=0ahUKEwif3ub2vMvZAhXHvRQKHdrsDScQsAQIJw&biw=1920&bih=949#imgrc=aWvvP7AjOLQPwM:

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo!:DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Palmier, infelizmente estes clichés são tramados. Uma vez passei por algo do género, e fiz-me de loira burra, depois...depois fiz questão de espezinhar o espécime masculino até não restar nada dele senão uma piquena poça de suor e lágrimas, lolol, é que o meu ex-marido serviu para pouco, mas neste campo, ensinou-me muito bem o funcionamento do motor do carro e afins.

      Eliminar
    3. Eu também não sou completamente ignorante no assunto -não fosse o meu pai um maluquinho de F1- e tinha mais umas quantas perguntas para fazer, mas tendo em conta a situação, enfim, só me deu vontade de rir... : DDDDDDDDDDD

      Eliminar
    4. Ires com o teu pai também poderia proporcionar-te outro nível de experiência. Já estou a imaginá-lo: "Sim, sim, topo de gama?! Está bem, pode ser... mas olhe, pode mandar pôr jantes amarelas?" :DDDD

      Eliminar
    5. AhahahahahahahahhahahahahahahahahahAhahahah
      Acho que nesse caso o senhor do stand nos expulsava! Acho não, tenho a certeza! : DDDDDDDDDDD

      Eliminar
  10. Que outift levavas? O casaco neuza ficou esquecido em casa?! ;D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já sei, já sei, para a próxima tenho de ir em modo espampanante! : DDDDDDDDDDD

      Eliminar
  11. Pipocante Irrelevante Delirante1 de março de 2018 às 18:16

    Eu também não entro sozinho nessas lojas das bijuterias e dos sapatos de senhora.
    Mesmo acompanhado, não toco em nada. Sabe-se lá se o glitter explode ou coisa assim.

    'tão?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahahahhahahhahahhahahahahhahahahhahahahhahahahhahaahah
      Realmente, PID, não sei onde estava com a cabeça para querer tocar no automóvel! :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  12. Mas quando o Pipoco escreve umas merdas sexistas, é tão divertido, não é?

    Ou a Picante. Não acha muita piada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, este comentário devia ter direito a todo um post de resposta... a ver se hoje tenho tempo para isso...

      Eliminar
    2. (e a resposta que lhe dou é relativa apenas a situações realmente sexistas, não a posts provocadores que têm subjacentes sentido de humor que, infelizmente, muitas vezes escapam a algumas pessoas)

      Eliminar
    3. Se a coisa não tem importância porquê a necessidade de escrever um post sobre o assunto? Acho tanta graça à vossa necessidade de se distanciarem da possibilidade de serem vítimas do machismo. Um psicólogo teria muito a dizer...

      Eliminar
    4. Ahahahahhahahahahahahahahhahahahahhahah
      Porque este blog está recheado de posts profundíssimos, e não de situações que vão acontecendo no dia-a-dia e que vou passando para aqui. E, Anónima, é exactamente essa postura de víiiiiiiiitima que me ultrapassa. Detesto a vitimização, seja em que assunto for. Se quiser dou-lhe a minha senha do psicólogo, é capaz de ter mais serventia.

      Eliminar
    5. A APAV então é uma entidade a fingir?

      Eliminar
    6. Ahahahhahahahahhahahahahahahhahahahahahhahahahhahah
      Oh pá... até me ía engasgando com este argumento de última hora sacado da cartola!
      Ahahahhahahahhahahahhahahahhahahahhahahahhahahahhahahhaha

      Vocês são piradas, não são?
      É, a APAV está cheia de vítimas de violência por parte de vendedores de automóveis. O Anónima, se quer discutir um ponto de vista, faça-o com alguma consistência...

      Eliminar
    7. A Palmier é que repudiou a vitimização em QUALQUER situação. Se não consegue ver que esses comportamentos revelam algo que ainda hoje temos de combater, o problema está em si. Um apartamento bonito, umas telas fúteis não lhe acrescentam nada. Como diria o outro, um verdadeiro artista tem uma alma que não se coaduna com o que se escreve por aqui. Temos pena.

      Eliminar
    8. O quê?! A Anónima para vincar o seu ponto de vista relativamente ao machismo, muda de assunto e resolve ofender-me, desdenhando da minha arte, chamando-lhe fútil, rebaixar-me como artista, com o objectivo de me deixar insegura e frágil? Eu sou uma vítima nas suas mãos, é o que é! Vou já fazer queixa à APAV!

      (na união soviética, onde os apartamentos eram todos feios, também se definia o conteúdo da arte por decreto...)

      (e sabe, Anónima, é bom que, para discutir qualquer assunto, saibamos interpretar o que lemos, isso sim, é coisa de valor, porque eu nunca disse que não há vítimas de crimes - tipificados na lei -, o que eu disse, e reitero, é ´que detesto a POSTURA de vítima, o "coitadismo" nacional, em que, perante qualquer grão de areia, e em vez de arregaçar as mangas e andar para a frente, preferimos ser umas mártires sofredoras...)

      Eliminar
    9. Palmier, não sou a Anónima maluquinha dos sexismos, mas aceito a sua senha do psicólogo. Estou tãaaaao precisada, benza-me Deus. Por caridade, quando e onde me pode entregar?

      Eliminar
    10. E colar cartazes em postes da eletricidade.

      Eliminar
    11. Anónima das 16:33, posso fazer um giveaway! :D

      Anónima das 19:50... ?

      Eliminar
  13. O meu marido tem o hábito de estacionar o seu carro coladinho ao meu, de forma que de cada vez que vou tirar o carro os pipipis começam logo assim que ando uns centímetros. A cara de horror dos transeuntes que ao verem aqui a je a fazer a manobra ignora os pipipis e bate mesmo no outro carro e vai-se embora na maior, é vê-los de mãos na cabeça, a abanar a cabeça e alguns até esbracejam, acho que até já me devem ter chamado uns lindos nomes (ou à minha santa mãezinha) :)
    Bjnhos
    Catarina

    ResponderEliminar
  14. O efeito que causou no stand causo eu na Loja das Meias. Agora se for com o meu marido já se derretem todas. E se ele for fardado, OMG quase se atiram para os braços dele.
    Mas a mim não me ligam bóia. Um dia ele ligou-me se eu estava lá perto e se podia ir ver uma mala quue ele me queria oferecer. Entrei, estavam todas derretidas, não me ligaram nada, eu de calças de ganga e ténis. Fui lá ter e disse, ah é gira! E saí. Ficaram doidas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não é indiscrição o seu marido anda fardado de quê?! É que eu, não conhecendo a loja das meias, fui agora ver ao site deles e aquelas malas não dão para o meu marido, com o fardamento dele, me comprar!!!!

      Eliminar
  15. Porque é que não lhe disse que estava a experimentar a ver se a bagageira abriria sem riscar o Ferrari ?

    ResponderEliminar
  16. Episódio muito engraçado... mas ainda me estou a rir perdidamente do Anúbis!
    :D
    Carla

    ResponderEliminar
  17. Palmier, era pedir um test drive ao topo de gama e sair do stand a queimar borracha.

    ResponderEliminar
  18. O machismo serve para servir de tema a posts mas é apenas ficção, tipo coisa que só acontece em outro universo paralelo ao qual mentes parcas não têm acesso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É... é isso e os comentários que servem para os outros verem a luz...

      Eliminar
  19. Portugal lidera os países que têm maior fosso salarial entre homens e mulheres. Diz alguma coisa isto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim... e por acaso viu-me a negar a existência de desigualdades?

      (na minha empresa, onde, há cerca de dez anos existiam bastantes situações de desigualdades salariais e muito mais homens que mulheres, hoje temos igualdade salarial e somos 94 mulheres e 85 homens. E a anónima, conte-me tudo, o que fez para melhorar a situação neste nosso país à beira mar plantado?)

      Eliminar
  20. WHAT??!!! Não sei se acho mais piada ao post, ou a alguns dos comentários... credo, que falta de sentido de humor!! (até estou de olhos esbugalhados)

    ResponderEliminar