domingo, 2 de fevereiro de 2014

O novo Anna Karenina?


13 comentários:

  1. Se isso começar a ser lido por muita gente eu desconfio. Só consegui ler duas páginas, é uma verdadeira maçada e para maçada já me bastam os maus blogs que tenho de ler...

    ResponderEliminar
  2. E lá bem no alto, na prateleira dos inalcançáveis...

    ResponderEliminar
  3. "Stately, plump Buck Mulligan came from the stairhead, bearing a bowl of lather on which a mirror and a razor lay crossed. A yellow dressinggown, ungirdled, was sustained gently behind him on the mild morning air. He held the bowl aloft and intoned:
    —Introibo ad altare Dei."

    Sem desmerecer o trabalho do Jorge Vaz de Carvalho agora, e do António Houaiss antes, há lá desafio que se compare ao original, como Joyce o sonhou? Isso sim -- é de meter a cabeça na betoneira :)

    ResponderEliminar
  4. Outro que ninguém vai ler, portanto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda por cima, ainda não fizeram o filme... :DDD

      Eliminar
  5. Bem apanhado. Será que vai ser o livro de praia deste ano?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É óptimo para quem gosta de dormir na praia. :):):)

      Eliminar
  6. O livro que mais vai contribuir para o aumento de vendas do Rodrigo dos Santos.
    Concordo com o colega xilre. É de coragem ler o original. E mais económico também.

    ResponderEliminar
  7. Orgulho-me a ter sido obrigada a ler o original em inglês nos meus tempos pré-históricos de finalista liceal, quando era a doer. Doeu tanto e foi tão massacrante, que nunca tive vontade de reler para tentar entender a sério o livro.
    Dia de comentar textos, era dia de cortar os pulsos, porque qualquer comentador que se preze disserta sobre o trecho escolhido, dando o seu parecer. A mim o Ulysses sempre me pareceu o anti-Cristo em forma de livro.

    ResponderEliminar