sábado, 15 de fevereiro de 2014

Estou feita...

Quando a minha mãe se casou, a minha avó, mãe do meu pai, chamou-a à parte e em jeito de confidência, agraciou-a com uma longa lista de conselhos, uma espécie de enciclopédia de "como manter um marido". Entre esses conselhos, figurava um muito especial:
"Quando ele for viajar, tens de ser tu a arrumar-lhe a mala!"
Perante o ar incrédulo da minha mãe, a minha avó levantou o véu sobre a razão de ser daquele sábio conselho guardado de geração em geração:
"É que assim, se ele algum dia te quiser deixar, não vai ser capaz de arrumar as suas coisas!"

E eu imagino as centenas de homens da longa linhagem Palmier, homens que desde o século XII tentaram sem sucesso deixar as suas mulheres, homens que, determinados que estavam a abandonar o lar, chegaram aos seus closets (desde o século XII que temos closets) decididos a deixar toda uma vida para trás, homens que se depararam com suas roupas impecavelmente penduradas de um lado, e a mala de viagem do outro, homens que tropeçaram naquele obstáculo inultrapassável, homens que soçobraram perante aquele mistério insondável de como arrumar as suas vestimentas dentro daquele objecto, homens que, cabisbaixos e derrotados pela argúcia das suas mulheres, deram meia volta e não tiveram outra hipótese senão desistir dos seus intentos, homens que se atiraram para o sofá, vencidos, e aí ficaram, catatónicos, à espera das bodas de ouro...

E eu, sempre que vejo consorte a arrumar as suas coisas, oiço os sábios conselhos da minha avó Judith a ecoarem-me nos ouvidos... é que, caramba, no dia em que ele me quiser deixar, não tenho qualquer hipótese...

16 comentários:

  1. Olha que boa notícia que me deste. O meu marido é um zero com malas.

    ResponderEliminar
  2. Estou lixada!
    O meu faz as malas melhor do que eu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma que está lixada. Quem faz as malas da família cá em casa é o cônjuge.

      Eliminar
    2. O meu fez as malas e foi...atrás duma romena :'(

      Eliminar
  3. A camisa aos quadrados tem uma nódoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso seria um excelente sinal... um sinal de que não estava preparado para fazer as suas próprias malas...
      Mas, infelizmente, não tinha nódoa nenhuma...
      (garanto que não há nódoa que escape ao olhar de águia do meu consorte... talvez uma sombra da fotografia...)

      Eliminar
  4. Lá pelas minhas bandas , sempre fui, sou e serei eu a arrumadeira, porque consigo meter o Rossio na Rua da Betesga, o que é excelente para light travels. Se o piqueno quiser fugir, tem que ir de tanga porque la valise c'est moi !

    ResponderEliminar
  5. Não têm um mordomo ou uma camareira que vos trate disso?! Shame on you.

    ResponderEliminar
  6. as minhas também estão assim... quando as compro.

    ResponderEliminar
  7. Toda essa sabedoria feminina deveria ser compilada. Eu sei fazer malas, mas detesto; agradeço que mas façam.
    (My eyes, my eyes! Havia necessidade de mostrar a roupa interior de consorte? Esta noite vou ter pesadelos!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :DDDD
      Isso é que é poder de observação! Nem tinha reparado... mas, também, não vejo potencialidade para pesadelos :DDD

      Eliminar
  8. Parabéns pelo Blog!

    Convido a visitarem:

    http://terapiassexuais.blogspot.com

    até breve,

    Fernando Mesquita
    Psicólogo/Sexólogo

    ResponderEliminar
  9. Venha de lá essa lista! Eu adoro esses sábios conselhos :-)

    ResponderEliminar