segunda-feira, 22 de maio de 2017

E enquanto estava toda a gente na praia, o que estavas tu a fazer, Palmier?

Olha... isto. 


Título: "olha-m'esta..."
Acrílico s/ tela
90x150


58 comentários:

  1. Ahahahahahahahahahah lindo... :)))

    ResponderEliminar
  2. Tenho para mim que a bichinha 'tá nem aí.



    <3 infinitos +1

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não está nem aí?! Esta mesmo com cara de quem está a pensar "Olha-me esta! Não me faltava mais nada!" :DDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Eu achei mais que era "hã? O que é que ela está a dizer? Não interessa, não deve ser comigo".


      (O meu sogro teve uma galinha de estimação quando era miúdo, a Có, e diz que ela era muito esperta e meiga)

      Eliminar
    3. Não, está claramente enfadada com a conversa! :DDDDDDDDDDDD

      (em casa da minha avó havia um ganso, o Joaquim, era pior que um cão de guarda, mordia em todos os estranhos, era mau como as cobras :D)

      Eliminar
    4. (O meu sogro vivia num apartamento!!!!! A mãe dele deixava a porta de serviço aberta e ela descia as escadas que davam para o páteo das traseiras do prédio - que era todo murado - e regressava a casa sozinha. Era mesmo esperta)

      Eliminar
    5. :DDDDDDDDDDDDD

      (sempre tive a ideia que as galinhas eram o bicho mais obtuso que existe! :DDDDDDDDDDD)

      Eliminar
    6. Adoro! O meu favorito até ao momento, ou não tivesse eu uma espécie de enfatuação por galinhas!
      Comento nesta sequência, porque tenho mais um relato para comprovar que as galinhas são animais muito subestimados.
      A minha avó contou-me, quando era miúda, uma história que moldou totalmente a forma como olho para estes seres. Viviam os meus avós numa pacata vila alentejana, numa casa típica onde as galinhas andavam à sua vontade pelo quintal. Todas as tardes, quando se aproximava a hora do meu avô regressar a casa, as galinhas subiam a rua em bando, e lá ficavam à espera do seu dono, para depois o acompanharem até casa.

      Eliminar


    7. Caramba, não tinha ideia nenhuma! Achava mesmo que eram animais amorfos! :DDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  3. O meu vizinho do lado tem galinhas (no meio da cidade, sim). A expressão 'era o que mais me faltava' da galinha é, curiosamente, a mesma que eu faço quando acordo às 7 da manhã de domingo com o galo e as ditas cujas em pleno desentendimento na capoeira. :D

    ResponderEliminar
  4. Até me senti repreendida, esse dedo em riste está muito ameaçador, hahaha

    ResponderEliminar
  5. Temos exposição em breve...( em Serralves, por favor! ) :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahahhahhahahahhahhahahahhahaahahahhaha
      Podiam perfeitamente substituir a exposição do Miró pela minha! :DDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Eu só vou se apanhar o primeiro domingo do mês e o tempo não estiver famoso para ir à praia.

      Eliminar
    3. E ajudar os artistas com o bilhetinho, hã?! Arte só de graça, não é, Maria Nê!

      Eliminar
    4. Que ninguém se preocupe com os Mirós que eu arranjo maneira de os encaixar aqui em casa. O que é preciso é dar espaço aos artistas emergentes :D

      Eliminar
  6. Mas você pinta quadros em barda é um quadro por fim de semana? São tão Paula Rego, parabéns.

    ResponderEliminar
  7. Gosto muito deste. Tem vida, a Sra. tem expressão, vê-se que está a ralhar com a galinha, que por seu lado, não está muito interessada na conversa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A galinha está mesmo com cara de galinha, assim com os olhos esbugalhados, a pensar "eh lá, o que é que esta quer agora?!" :DDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  8. Genial :D (Querida Palmier, em casa dos meus pais houve meia dúzia de gansos...maus como tudo e que só permitiam que eu, garotita, lhes deitasse comida e recolhesse os ovos...)

    ResponderEliminar
  9. E pensar que há uns meses dizias que tinhas problemas com o figurativo.
    Estou tão feliz por ti (é estranho, mas estou mesmo).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tenho, Mi! Se tentar desenhar a lápis, sem cor, o resultado é miserável! Continuo a ficar espantadíssima sempre que consigo fazer alguma coisa :D

      Eliminar
  10. Então mas à senhora não bastava a papeira, mais as dores nas cruzes, ainda havia de lhe aparecer o filho dum gepeto armado em galo de barcelos!!!????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A senhora?! Tu estás preocupada com a senhora?! E a pobre galinha, hã?!

      Eliminar
  11. Só falta ali a sombra do braço...
    (Penso eu)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, pois falta! Ali um risquinho, dentro do triângulo :D

      Eliminar
    2. Ai adoro as pessoas que percebem disto!!

      Eu não apanho nada, qualquer rabisco me parece uma obra de arte :)

      Ainda tenho pesadelos com a perspetiva cavaleira ou lá como se chama o terror que dava em EV (que nem sei se ainda há)!

      Parabéns Palmier!!! Estás rodeada e grandes obras - a da casa e as tuas!

      Eliminar

    3. O meu filho também vive num terror com as aulas de EV! Caramba, o que ele odeia aquilo! :DDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  12. Palmier, se calhar não se lembra de mim, mas eu comecei uma descrente e agora estou uma convertida. Tem tanto talento, a sério. Mesmo. Tem formação na área? Tirava-lhe o chapéu se o estivesse a usar. Numa outra nota, e isto está cientificamente provado pois fazia muitas vezes em miúda com as galinhas da minha avó, se virar uma galinha de costas e passar a mão no osso do meio de cima a baixo, ela fica imóvel. Paralisada. Depois estala os dedos e ela mexe-se. Nunca falhou. Se calhar as galinhas da minha avó eram assistentes de um qualquer mágico. Beijinhos, Sara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tive umas aulas de pintura, aqui há uns quinze anos, mas não se pode dizer que tenha formação! :D

      Oh pá... agora também me lembrei de uma história óptima com galinhas! A ver se a consigo contar! :DDDDDDDDD

      Eliminar
  13. as sombras, me gustam :-)

    ResponderEliminar
  14. Qual o motivo para estar toda a gente a chamar galinha à águia.
    Óbvia analogia do futebol, é Jesus exasperado com a época desportiva.

    (A cara Palmier estava a explicar-lhe que não devia ter fugido da panela, para não atrasar o jantar?)

    ((há sempre uma criatura nas telas... aranhas, papagaios, águias,...))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se bem que, pela cor da plumagem, o Jorge Jesus devia ser a galinha! Perdão... a águia! :DDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  15. Está incrível.. mesmo! Está tudo preocupado com a história do quadro e a única coisa que consigo reter é que de facto a palmy pinta a sério!

    ResponderEliminar
  16. Só passei para ver voltar a ver... A-do-ro! :) lembro-me de mim própria a ralhar aos meus filhos... :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      estamos lá todas representadas, de dedinho em riste! :DDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  17. Isto merece uma ..."Summer Exhibition Palmier Encoberto"
    ;)

    ResponderEliminar
  18. <3 <3 <3 Adoro Palmier!!!

    ResponderEliminar
  19. Esse modelo de sapatinho é que não tem nada a ver com o perfil de caixilho que escolheu.
    Nem diria que a mesma pessoa poderia ter escolhido um e outro.
    Veja lá bem isso dos sapatos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ei, atenção que os sapatinhos são desta personagem que tem assuntos graves a tratar com galinhas, não são meus! Eu cá nunca por nunca uso saltos altos! A minha mãe também me perguntou de onde saíram tais sapatos :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Não vale a pena arranjar desculpas por que isto da arte é como nos sonhos: não projetamos coisas que nunca vimos.
      (Sapatos rasos, tem de ser em bom. Sabemos disso).

      Eliminar
    3. Pronto, confesso! São o meu arquétipo do sapato de cinderela :DDDDDDDDDD

      Eliminar