segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Tenho estas perguntas entaladas desde Junho:

Quem foram as pessoas nomeadas para a Autoridade Nacional de Protecção Civil?
Por que razão foram essas as pessoas escolhidas?
Quem as nomeou?


É que qualquer um gere - melhor ou pior -em condições normais. O que eu gostaria mesmo de saber é quem é que o Estado escolheu para nos gerir a nós, à nossa vida, em caso de catástrofe.


50 comentários:

  1. Palmier, não há plano. Em caso de catástrofe, seja de que tipo for: incêndio, queda de avião em centro urbano, sismo, cheias,... não há plano. Não existe. Simplesmente. Em Portugal, em 2017, em caso de catástrofe, é o salve-se quem puder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é tudo mau de mais, Nê... é inacreditável, é inconcebível, é um nó na alma...

      Eliminar
    2. E nós a achar que aquilo de Junho teria sido um ponto de ruptura, a gota de água. Que jamais voltaria a acontecer algo parecido.
      Quatro meses depois aqui estamos nós...

      Eliminar
    3. Estou aqui sentada com um nó na garganta medonho, cada vez que abro um site de notícias o numero de mortos aumentou, caramba, como é que isto pode estar a acontecer novamente?! COMO?!

      Eliminar
    4. Tenho um nó na garganta, uma dor na alma, uma revolta silenciosa que já não tenho palavras para a expressar. Dor, revolta, uma tristeza imensa pelos que morreram e pelos que sofrem na pele as perdas e o combate aos incêndios. A impunidade, o que me dói a impunidade!

      Eliminar
    5. Em Junho também fiquei assim, de braços caídos, sem reacção, mas agora só tenho vontade de ir ali a são bento bater à porta, a perguntar se estão a gozar connosco! A sério... acabei de ver este video e estou em estado de choque:

      http://rr.sapo.pt/video/151929/video_mostra_condutor_em_panico_a_fugir_as_chamas_na_a17

      Eliminar
    6. Como é que uma autoestrada que tem as portagens a arder não está cortada?!

      Eliminar
    7. PQP.... E fazes o quê numa situação destas???? Puta-que-pariu!!!! Numa auto estrada... Não estamos a falar de uma estrada nacional mais ou menos escondida... É numa AUTO ESTRADA porra!!!

      Eliminar
    8. Não sei, Nê, n~´ao sei mesmo. Sei que no Verão, quando ia para o Algarve com os meus filhos, vi um incêndio ao longe e a minha vontade foi parar, com medo que nos pudesse apanhar, depois racionalizei, disse para mim própria, não sejas parva, estás numa autoestrada, não pode acontecer a mesma coisa que em Pedrógão...

      Afinal parece que pode...

      Eliminar
    9. É o que eu digo, Palmier... Como é que se deixa que isto aconteça numa auto estrada??

      Eliminar
    10. Palmy, esse vídeo é horrível! Ontem o meu irmão passou por aí e contou-me que foi horrível, mas nunca na vida pensei que fosse assim. Como é que deixam estás estradas abertas nestas circunstâncias?!

      Eliminar
    11. Pois a Lulu disse tudo... Revolta silenciosa... É este o nosso problema, vemos, indignamo-nos e calamos... Aqui também me incluo. Precisamos sair para a rua e não deixar que estes cabr... nos tratem assim! Roubam-nos, gozam connosco e deixam-nos à nossa sorte! Se morasse em Lisboa alinhava em ir consigo já para são Bento, Palmier. Acho que realmente nos devíamos mobilizar e mostrar a esta canalha que nos governa, que não pode mais gozar connosco.
      (Até estou agoniada, caramba!)

      Eliminar
    12. Eu desta vez estou pronta para ir grutar para a rua!

      Eliminar
  2. Por falar em plano e por falar em catástrofe.

    Na última sexta-feira era suposto ter havido um simulacro nacional de sismo ao nível de escolas desde o pré-escolar ao secundário.
    Na escola onde uma das minhas tias dá aulas, depois de várias semanas a falar com os meninos como deviam agir,estiveram toda a manhã à espera de receberem ordem para começar o simulacro (a ordem devia vir por telefone às 10h13m da manhã)e, mais de uma hora depois da hora combinada, a minha tia telefonou para a entidade que devia dar a ordem e a resposta foi "ah, esqueci-me, veja lá a minha cabeça".

    ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No comments...

      (os meus, por acaso, fizeram o simulacro)

      Eliminar
  3. Ontem em varias localidades,apesar de ser proibido,deitaram foguetes às Nossas Senhoras da terra,vi na estrada,trogloditas a atirarem beatas pelas janelas,e em alguns sitios continuam a fazer queimadas,pergunto:que governo consegue controlar este povo atrasado!!E outra constatação, já repararam que durante a campanha eleitoral não houve incêndios.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Governo não consegue controlar o deflagrar dos fogos, mas é suposto conseguir coordenar o seu combate e não deixar morrer os seus cidadãos!

      (quanto à inexistência de fogos durante a campanha eleitoral, não sei onde quer chegar... presumo que se fossem os jotinhas a atear fogos -como já vi sugerido nalguns sítios -, que o fariam durante a campanha, a ver se o PSD ganhava as eleições. Presumo que também não sejam os deputados do PS que se andem a passear com uma caixa de fósforos... não sou lá muito adepta desse tipo de teoria da conspiração)

      Eliminar
    2. Hum... E o povo atrasado só apareceu este ano, foi? Alguma vez viu os incêndios tomarem estas proporções? (É que eu não...)

      Eliminar
    3. (Fazes mal Palmier, as teorias da conspiração dão sempre jeito. Nomeadamente para sacudir a água do capote.)

      Eliminar
    4. O problema não é a falta de limpeza (os terrenos limpos também ardem), não são as queimadas (que, em caso de descuido, é um fogo completamente diferente deste), não são as beatas (também é outro tipo de fogo, estes fogos têm começado longe das estradas e em simultâneo), não são os foguetes (a sério, pessoas?!). É um grande negócio.

      Eliminar
    5. Mas esse grande negócio só há em Portugal? Se sim, porquê? O que é que os outros países fizeram para impedir esses grandes negócios? Deve haver, seguramente, uma solução!

      Eliminar
    6. Mas qual grande negócio, anónimo?!

      Eliminar
    7. Varias teorias, a ultima que ouvi eram os cabos das empresas de telecomunicações que custam um valor absurdo o metro, a sua substituição, dá dinheiro a ganhar a muita gente. Nem sei o que pensar......

      Eliminar
    8. A questão é mesmo essa, Palmier. Por muitos interesses económicos que haja na floresta (que há, logo à partida dos próprios (micro-)proprietários, que querem rentabilizar aquilo o mais rapidamente possível e plantam eucalipto), se a floresta estivesse limpa, e principalmente, com acessos os fogos seriam controlados por via terrestre. Neste momento estamos, simplesmente, dependentes de meios aéreos. Que temos que contratar. Ou bem que se gasta o dinheiro a tentar fazer alguma coisa de estrutural no terreno, ou bem que se gasta em meios de combate (que sim, têm de ter incêndios para subsistir)... De qualquer das formas, a floresta que arde é maioritariamente floresta de montanha, floresta que está ao abandono. Floresta que já ardeu e reflorestou sozinha. Sem lei nem roque, com os eucaliptos a sugar toda e qualquer biodiversidade.

      Eliminar
    9. Só em Portugal? A Galiza está toda a arder e não é Portugal

      Eliminar
    10. Terrenos e propriedades que só serão postos à venda quando o desespero tomar conta de tudo, madeira queimada a que não se dá vazão e que é oferecida aos madeireiros, os célebres contratos de aluguer dos aviões, a manutenção da nossa dependência em relação a Espanha para tudo e mais alguma coisa (até as rações de combate, senhores!)... Etc, etc, etc...

      Eliminar
    11. Notícia de 2012
      http://novo-mundo.blogs.sapo.pt/551.html

      Eliminar
    12. Se distribuirmos culpas por todos à nossa volta a nossa sai sempre mitigada... é uma técnica muito conhecida.

      Anónima da Galiza: Vá ver a percentagem de área ardida em Portugal e nos restantes países da UE e depois falamos...

      Eliminar
    13. Mas nós já chegámos ao triste patamar em que nem as madeireiras querem a madeira. Nem barata nem cara. Não lhe conseguem das vazão. E sabes o que isso significa?! Significa que a madeira queimada vai ficar no terreno a servir de combustível aos próximos incêndios... Tal como já tem ficado em anos anteriores.

      Anónimo das 14:22, no início de setembro Portugal tinha quase metade da área ardida na Europa durante o Verão. Em termos absolutos, não percentuais. Agora compare o tamanho do nosso território com o de outros países e veja se esse argumento é razoável...

      Eliminar
    14. A Galiza arde porque o fogo galgou a fronteira.

      Eliminar
  4. Então Palmier, isso são perguntas infantis. Na ordem daquilo ... ai como ? Responsabilidades políticas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yap.... É que uma pessoa fica chocada com o que se passa pelo país e a seguir absolutamente indignada com o desplante das resposta dos nossos governantes...

      Eliminar
  5. Desculpem lá, mas não é normal num dia começarem tantos incêndios,quando no dia seguinte estava previsto o regresso da chuva! E quanto aos" Jotinhas",não era o ex.deles que dizia que vinha aí o Diabo???Aí o têm!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Anónima... tape os olhos com a peneira...

      Eliminar
    2. Há gentinha capaz de tudo. Basta um fósforo para o laranja passar a vermelho fogo. Teoria da conspiração?...Tá bem tá... a sede do poder é coisa para consumir gente. De uma coisa não há dúvida: QUEREM LIXAR O PAÍS!!!

      Eliminar
  6. É revoltante!

    Mas depois a pessoa lembra-se que esta gente fez-se nos meandros/bastidores da política, um mundo ficcional e de intriga! Que nunca criaram valor em nada que não fosse a sua conta bancária...

    E a pessoa também se lembra que somos um povo de brandos costumes...

    ResponderEliminar
  7. Acabei de ler que a Ministra não se demite, porque isso significava ir de férias... Quase 100 mortos (junho+ontem) e a senhora não tem nem vergonha, nem melhores argumentos!

    [e o silêncio ensurdecedor?]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pudor, empatia, vergonha na cara?... não sabem o que é...

      Eliminar
    2. Sabem mas acham "infantil".

      Eliminar
  8. O outro bem dizia que vinha aí o diabo! Aí o temos!

    ResponderEliminar
  9. tenho familiares que ficaram sem qualquer meio de sustento (agricultura, carpintaria, alfaias agrícolas). não tenho palavras para descrever a raiva que sinto, quando leio coisas destas: Sabíamos que a semana ia ser difícil e tínhamos o dispositivo que para nós era suficiente. suficiente?!? puta que os pariu a todos

    ResponderEliminar
  10. A "Coco na Fralda" fez um relato da viagem de ontem e do que viu,e comentou que a dada altura era humanamente impossível chegar a todo o lado!Pois...a ideia de quem os ateou...também da vê ser essa!

    ResponderEliminar