quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

O pequeno Drácula

Tudo começou com um aperto de mão acompanhado por uma vénia à Maria Antonieta, talvez se não tivesse tido direito àquele aperto de mão, um aperto de mão estranhíssimo, encaracolado, a pessoa estica a mão e depois as mãos não encaixam, porque a mão do lado de lá está toda torcida, nem consigo explicar a posição da mão, quase como se ma estivesse a dar para a beijar, mas como ia dizendo, se não tivesse sido aquele aperto de mão talvez não tivesse reparado no fatinho preto brilhante, na camisa lilás com uma gravata ton-sur-ton, num claro gesto de modernidade e rebelião contra o vestuário clássico, os sapatos, de atacadores com a biqueira quadrada, o que talvez tenha a sua influência no andar à Charlot, e naquele barulho irritante dos tacões, que, por andar sobre a pontinha mais recuada dos calcanhares, parecem emitir o som de uns sapatos de salto alto,  tic, tic, tic, por ali fora, sempre muito rápido e eficiente. Enquanto fala comigo vai-se aproximando com passinhos rígidos, até ficar mesmo ao meu lado, explicando tudo muito ex-pli-ca-di-nho, tratando com solenidade religiosa o assunto mais corriqueiro dos assuntos corriqueiros, com as sílabas todas muito separadinhas, não vá o Diabo tecê-las, uma pausa maior que o usual entre cada palavra e as mãos cruzadas uma sobre a outra, não se largam, como se as palmas estivessem coladas, tal e qual o senhor prior, excepto no momento final, em que, colocando os papéis à minha frente com uma vivacidade que aparece repentinamente não se sabe bem de onde, diz, enérgico:
- Vou então deixar aqui os papéis para, quando puder, assinar!, momento em que mesmo junto ao meu ouvido, TRÁS, do nada, bate uma palma, uma só palma, uma palma certeira e gira sobre os seus sapatos numa pirueta robótica, e marcha dali para fora, tic, tic, tic, a bater os tacões.
E a pessoa depois fica ali com o tímpano a zunir, a tentar perceber o que raio foi aquilo.


19 comentários:

  1. O que é que o senhor vendia? Urnas?

    ResponderEliminar
  2. E os apertos de mão tipo pinça? Dedos todos esticadinhos, que se fecham sobre a mão de uma pessoa num breve instante. Blagh!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devia haver uma disciplina na escola dedicada unicamente aos apertos de mão :D

      Eliminar
  3. Se ele alguma vez voltar, antes de qualquer aperto de mão, dás-lhe uma belinha na testa e a seguir levantas a mão e dizes baixinho "High Five??"

    ResponderEliminar
  4. É que agora lembrei-me do "Counting Count" ! Ahhhhhhhhh :) :)

    ResponderEliminar
  5. Era o Santana Lopes e vinha vender a "Cristina" de Janeiro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahahahhahahahahahahhahahahahahahahhahahahahahagahhahahahahahahhahahahahahahahahhahahahahhahahhahahahahahhaahhahahahhahahaha
      Será?! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
  6. Ei lá! O que te deu esse draculino para assinares???? Cuidado cachopa, cuidado! Adoro homens com os tacões a tilintar e, então, quando apertam a mão com a pontinha dos dedos...Ui! Foge mazé...antes que ele te morda o pescoço.

    ResponderEliminar