segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A Pedreira

Saímos pela manhã, em direcção a Fátima, as amostras eram horrorosas daí que fosse preciso ver as chapas inteiriças e elas lá estavam, à nossa espera, blocos inteiros todos fatiados, como pão de forma, o Senhor Manuel, um homem baixo, corado e anafado, mas aquele anafado compacto e sólido, um anafado taurino, guiou-nos por ali fora de borrifador na mão, que antes de polidas as pedras ficam baças e não se percebe o resultado final, é preciso molhá-las para se ver bem os veios e as cores, mas o senhor Manuel queria mostrar-nos as pedras todas, os travertinos, os granitos, os basaltos, o não sei quê azul e o outro, amarelo, e os molianos, que os chineses, sabe lá o que eles gostam disto, são blocos e blocos que vão daqui para a China, que isto é tudo igual, nunca muda, parece que sai de uma fábrica, tal e qual os mosaicos, dizia com orgulho, e depois de nos ter mostrado todas as pedras, todas as máquinas, todas as esferas armilares e todos os torcidos e tremidos que lá são feitos, depois de nos ter mostrado os escritórios onde tudo era de pedra, de todos os tipos de pedra, um mostruário completo, desde o chão, às paredes, às casas de banho, às secretárias e à grande mesa de reuniões, um dólman megalítico gigantesco plantado para a eternidade no centro de uma sala, despedimo-nos pelo meio dia e meia, sabe, Senhor Manuel, temos de ir andando, ainda temos voltar para Lisboa, ao que o Senhor Manuel deu um salto para trás, perplexo, mais que isso, horrorizado, perguntando ao mesmo tempo que saltava: o quê, vão a esta hora, sem almoçar?! E avaliando-nos de alto a baixo e fazendo-nos as contas aos quilogramas por centímetro cúbico de corpo, vi pelos seus olhos que concluiu por uma única hipótese: só podíamos estar doentes. 


18 comentários:

  1. Dá aí a morada da pedreira do Senhor Manuel, s.f.f. Já me estou a ver a caminho de Coimbra e a parar na pedreira para almoçar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele vai agradecer a companhia! Acho que o dia é organizado em função do almoço! :D

      Eliminar
  2. Travertinos, Palmier. Atente bem nos travertinos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O travertino é uma pedra muito gira, mas é muito porosa. E como quero uma pedra igual para tudo - casas de banho e cozinha - tem de ficar de fora da equação :)

      Eliminar
  3. que inveja, adoro pedras.
    (fui tão feliz a escolher as minhas :)

    ResponderEliminar
  4. Palmier, as terras do mármore são: Estremoz (cidade branca), Vila Viçosa e Bencatel e a menina vai a Fátima??? ahahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o fornecedor do empreiteiro, mas ele tem blocos de pedras de todo o lado...

      Eliminar
  5. esse Manel nã conhece a origem do "alfacinha"!

    ResponderEliminar
  6. Sou desta zona e revejo esse comportamento, tanto cliente convidar fornecedor, como fornecedor convidar cliente. ;)
    E não ligues ao que esse anónimo está para aí a dizer, aqui há milhentas pedreiras por alguma razão é ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele achou mesmo que nós não éramos bons da cabeça, a ir embora sem almoço! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Ah ele não vos convidou para almoçar? Fiquei a achar que sim. Até estava para perguntar onde é que tinham ido! :DDD

      Eliminar
    3. Ficou tão em estado de choque que nem teve reacção! :DDDDDDDDD

      Eliminar