quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Estranho? Nem por isso.

A verdade é que estando todos de acordo na condenação veemente do que ontem se passou, hoje já estamos todos zangados uns com os outros e a esgrimir argumentos de florete em punho. Tenho para mim que os terroristas atingiram os seus objectivos.


35 comentários:

  1. E eu diria que alguém pagou ao Gustavo Santos para ir para o Facebook dizer o que disse... só ainda não sei se foram os terroristas ou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gustavo o homem do "ama-te a ti próprio", conseguiu o feito incrível de ter meio mundo a detestá-lo...

      Eliminar
    2. daí a necessidade de se amar a si próprio.

      O Gustavo é apenas uma pessoa mais conhecida que pensa exactamente como pensarão muitos anónimos. è andar na rua a ouvir opiniões e verão que por cada pessoa que acha que o Gustavo é um imbecil, há outra a dizer que sim senhor, que haja alguém que diga a verdades que ele disse.

      Eliminar
  2. Naaa... Pelo menos, fora do nosso alcance o acto de punir, podemos falar, ao contrário dos infelizes que nascem sob alçada do grande califado. Podemos ser maltratados pelos políticos, podemos pagar bancos falidos e comissões de "consultoria", mas ainda podemos falar. Especialmente bom para as senhoras, que podem dispensar aquele protector solar de índice 5000+ da marca burca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falar podemos... mas a verdade é que está tudo a discutir! :D

      Eliminar
  3. Palmier, os objetivos foram (individualmente) atingidos ontem. Cada terrorista é uma célula que brame a sua espada individualmente, forjada no seu entendimento e preconceito. Diria que hoje (o alarido) satisfez a comunidade terrorista que teima em ver-se notada para concretizar o intento do próprio terrorismo, e que é: aterrorizar, medir o medo, e atacar em consonância.
    E na verdade estamos todos cheios de medo, porque o que eles fazem com os desenhos fazemos nós (alguns, muitos) com as letras.
    Isto é horrivel, porquanto não sabemos quem são, como são ou como pará-los.
    Nem tão pouco sabemos já o que os atiça.
    É uma confusão pegada.
    O objetivo foi cumprido.
    Sim Palmier, foi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E, para além do que disseste, o objectivo de semear a discórdia entre "nós", os europeus...

      Eliminar
  4. Acho que o Nuno Markl resumiu bem a coisa. "Alarmado com a quantidade de participantes num fórum radiofónico que defendia a tese de que os artistas do Charlie Hebdo estavam a pedi-las. E que a liberdade de expressão deve ter limites e controlo.Um dos crimes dos monstros que mataram ontem aquelas pessoas foi terem adormecido o artista livre que havia nelas; o outro foi terem acordado o ditador fascista que há noutras."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Nuno Markl, hahaha, esse maravilhoso cyberbully de cada vez que alguém discorda dele. Aliás, ele foi protagonista de uma discussão com o único "Charlie" português: O Rui Sinel de Cordes. Ah a hipocrisia é tão bonita.

      Eliminar
    2. Sei pouco (para não dizer "nada") sobre as opiniões ou atitudes do Markl... no entanto a frase que a Mep transcreveu parece-me acertada...

      Eliminar
    3. Daí, ser hipócrita de quem vem.

      Eliminar
    4. Acredito que sim... conforme disse acima, não posso opinar...

      Eliminar
    5. A essência da liberdade de expressão é podermos ter a nossa opinião, criticar a dos outros e receber em troca a crítica de quem não concorda connosco e isto tudo sem arriscar levar com um tiro num órgão vital, certo? Se bem percebi a polêmica entre o Nuno Markl e o Sinel de Cordes foi uma troca de opiniões. O Sinel de Cordes criticou os Monty Phyton, parece que não gosta, o Nuno Markl fervoroso fã saiu em defesa. A coisa aqueceu mas pareceu-me civilizada, e continuo a achar que o NM é pessoa inteligente e com espirito crítico. Opiniões...

      Eliminar
  5. E tu foge da frente antes que apanhes também.

    ResponderEliminar
  6. A questão Palmier, é que eu condeno com mais veemência que a Plamier e por isso sou muito melhor pessoa que a Palmier. E se a Palmier não tem a mesma opinião que eu é estúpida.

    (claro que não é, eu adoro-a, estava só a brincar,sim?)

    ResponderEliminar
  7. Ás vezes tem que ser. Aqui na Blogo, ou noutro lado qualquer, o saco da indignação abre-se, as opiniões soltam-se e a liberdade de expressão expressa-se com maior acutilância ... Mas caramba, ninguém é de ferro...

    ResponderEliminar
  8. Eu sou das estúpidas, por não discordar do que o Gustavo disse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou Catolica.
      O jornal satirizou muitas vezes o Catolicismo, assim como muitos outros jornais o fazem, até amigos meus gozam no facebook com os crentes da religiao catolica frequentemente .

      Eu não gosto, acho má educação e magoa-me.

      Devo matar essas pessoas?

      Eliminar
    2. Eu fui ler o que o Gustavo escreveu e ele condenou o que aconteceu. Não compreendo porque é que, quando alguém faz uma crítica à forma como é exercido o direito à liberdade de expressão, é acusado de justificar e desculpabilizar o que aconteceu.
      Por também ser cristã tcnho em Jesus Cristo o meu exemplo. Jesus era judeu, a mensagem judaica é altamente belicosa e Jesus trouxe uma mensagem completamente contrária à conduta vigente. Jesus veio dizer que Deus é Amor. A sua mensagem não é de vingança e discórdia mas de perdão e concórdia.
      Lá longe (ou não) morrem todos os dias milhares de pessoas por razões que nos transcendem, por questões religiosas (e não só, é certo). Aquilo é feínho, é o holocausto deles e, de vez em quando, é nosso também.
      Sendo eu um peão neste jogo, tento seguir as regras de Cristo. Estou longe da acção, é um facto, mas, se me for dada a possibilidade de intervir tentarei SEMPRE fazê-lo inspirada por uma mensagem de Amor.
      Nada justifica o que aconteceu. NADA. Mas o que aconteceu mostra que as nossas ações têm consequências. Que uma mensagem pode apaziguar (como a mensagem de Jesus) ou hostilizar, como a de Charlie.
      Ainda bem que temos liberdade para escolher a forma como estamos no nosso mundo. Mas a minha forma de estar no mundo não é a de Charlie. Eu não sou Charlie.

      Eliminar
    3. Concordo inteiramente que há um abuso na forma como gozamos e ofendemos as crenças dos outros.
      Eu como já disse , como Catolica sinto muito isso na pele , principalmente nos ultimos anos, inclusive vindo da parte de amigos e familiares meus, há uma especie de moda em que é cool gozar com quem acredita e isso magoa.
      Há até uma insinuação de que os crentes são burros e incultos versos os não crentes que são automaticamente sábios.
      Claro que isso é ofensivo.

      No entanto quando se lê o que o Gustavo diz e muitos outros cibernautas o que transparece é que o acto dos assassinos é desvalorizado, desculpado quase minimizado.
      Pode não ser essa a intenção de quem faz essas afirmaçoes, mas é isso que transparece, por isso é que as pessoas reagem tão mal.

      Quem goza com a fé dos outros é mal educado, quem mata é monstruoso.
      São coisas diferentes, não deveriam ser postas no mesmo discurso.

      Eliminar
    4. Tem razão quando diz que não deveria ter misturado os assuntos. O acto terrorista com a forma como o Charlie usava o seu direito à liberdade de expressão. Mas como sempre, há uma onda gigante que tenta afogar quem pensa diferente. E eu acho que acusaram o Gustavo de coisas que ele não disse. É que nem sequer usam argumentos, apenas insultos.
      Eu safo-me muito bem nas minhas discussões sobre a igreja. E até gosto. sinto-me muito respeitada nas minhas convicções. Aliás, os meus azedumes com a igreja não estão fora dela mas dentro. Ainda há tanto por fazer.

      Eliminar
  9. Amanhã já ninguém se lembra... Para o bem e para o mal.

    ResponderEliminar
  10. Afinal quem é o Gustavo?

    E quem é o mítico Arrumadinho?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah... o nosso Arrumadinho... as saudades que eu tenho dele! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
  11. Eu não vi ninguém à batatada. Vi opiniões diferentes, a maior parte expressas com educação. Só vi uns insultos no FB do tal do Gustavo. Mas no FB acho que é costume, raramente abro as caixas de comentários das noticias, só mesmo quando me quero rir, aquilo é surreal.
    Ainda bem que podemos divergir, Palmy. Sem medo.

    ResponderEliminar
  12. Tenho para mim que isto foi obra de três imbecis rejeitados por qualquer célula terrorista que se preze.

    ResponderEliminar
  13. https://www.facebook.com/video.php?v=317045941829243

    ResponderEliminar
  14. Se a situação, mostruosa, não tivese acontecido com jornalistas acho que os meios de comunicação não dariam á reporqução que está a ter, acho me cheia de dúvidas, se eu colocar um cartaz com desenho a dizer " a minha vizinha vende o corpo" e ela for a tribunal eu posso defender me que era humor satírico, que estava na minha liberdade de expressão, ou das duas uma ou a vizinha até acha piada e consegue mais clientes ou dá me um tiro devido á minha provocação. ....é certo que não tenho a meu favor o não ser jornalista nem cartoonista (talvez se o fosse poderia tudo).....nada justifica mortes, ainda pra mais da forma bárbara, e tem que haver manifestações de forma a que estes actos não voltem a acontecer, no entanto acho que estamos numa era sem valores sem racionalidade de todas as partes sejam elas religiosas, políticas, laborais, sociais... e isso vê se nos comentários fuzilantes, e alguns bem ofensivos, a quem discordar do que seja :( ......a liberdade de expressão não passa tb pelo respeitar mos as ideias dos outros?.....se todos formos charlie deixamos de ter identidade?.......ai que já me doi a cabeça com tantas dúvidas, o melhor é seguir o rebanho.

    ResponderEliminar