terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

É que agora parece que não há dia em que o sacana do Estado, qual cobrador do fraque, não nos entre pela porta dentro – e o mais extraordinário é que nunca tem razão.


Por todas as letras publicitárias colocadas na cobertura ou na fachada de um edifício que dê para a via pública, paga-se uma taxa. Pelo nome de uma loja, restaurante, de uma empresa, um néon, uma bandeirola, tudo paga taxa. Ora, no ano passado essa taxa era cobrada pela Câmara Municipal, que, para apurar o seu valor, pediu aos vários agentes económicos que preenchessem um impresso indicando a área dos seus dizeres em metros quadrados. Este ano essa competência passou para as Juntas de Freguesia. Hoje apareceram aqui os fiscais da Junta de Freguesia, muito bem equipados com os seus caderninhos e fitas métricas e, pelo que percebi, já tinham estado a fiscalizar outras empresas. Era, portanto, suposto que soubessem bem o que estavam a fazer. Mas não, os fiscais insistiam que a nossa declaração estava incorrecta, que os nossos dizeres tinham bué de metros e que, portanto, tínhamos de apresentar uma correcção à declaração, que estávamos a dever uma dinheirama à Junta de Freguesia, que a declaração que tínhamos feito não tinha nada a ver com a dimensão real dos nossos dizeres e que éramos, basicamente, uns caloteiros.


Foi muito difícil explicar-lhes a diferença entre metros lineares e metros quadrados. 




48 comentários:

  1. ahaHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAH
    AHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHAH
    AHAHAHAHHAAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    (4º ano do ensino básico...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério... oh pah... é que a pessoa nem quer acreditar que estas coisas acontecem :D

      (aposto que tinham multado todos os que fiscalizaram antes...)

      Eliminar
  2. "Foi muito difícil explicar-lhes a diferença entre metros lineares e metros quadrados" ... Tu tentaste? Conseguiste? As cabeças deles não explodiram? U-au-u ... ou aconteceu algum milagre ou tu és as minha nova heroína! :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De tal forma que a senhora, no fim, e tal foi a nervoseira, se foi embora e esqueceu-se cá do material todo. :DDDDDDDDD

      Eliminar
  3. Ainda bem que avisas, que eu já estou a ver o filme todo...

    ResponderEliminar
  4. Já houve quem tivesse pior... e eram das finanças!!!
    "Ai... como é que se passa de quiilogramas para toneladas?"
    Ah?! Perdão?!?! Como é que disse?!?!?!?
    Enfim, é o que temos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. À cautela devíamos passar a andar com o livro da 4a classe sempre connosco.

      Eliminar
  5. O que me assusta é já terem ido a várias empresas e só na vossa é que perceberam a diferença! :O

    ResponderEliminar
  6. Na pré-história da escolaridade, era ensinado aos australopitecos e pitecas o cálculo mental, uma das vertentes da aritmética (ou métrica, nesse caso), que obrigava os cromagnonzinhos e zinhas a fazer contas de cabeça, sem contar pelos dedos. Claro está que os aprendizes de humano faziam quase sempre batota e com os projectos de mãozinhas com polegares opositores atrás das costas, os pequenos neandertais contavam pelos dedos e safavam-se bem...
    Estou em crer que os fiscais dessa Junta deviam ser manetas, não ?

    ResponderEliminar
  7. Um amigo meu também já gastou algum tempo a explicar a um guarda da GNR que 0,15 é menor do que 0,5....Mas não foi fácil!

    ResponderEliminar
  8. Chamo a atenção para o facto de muita publicidade ter passado a beneficiar da isenção de licenciamento (e consequentemente taxas) com a publicação do licenciamento zero (DL 48/2011, de 1 de abril)... Talvez valha a pena ver se têm mesmo de licenciar e pagar a taxa de licenciamento da publicidade.

    ResponderEliminar
  9. Chiça que já irritam...é só tiros nos pés. qualquer dia fechamos todos as tascas e vamos viver de...qualquer coisa (se bem que eles iriam rapidamente tributar "fazer coisas".

    Metros lineares e quadrados, mais os cúbicos...e as paletes... lido com eles tooooodos os dias...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seguramente! Nos últimos tempos tenho sentido o Estado completamente sôfrego!

      Eliminar
  10. é que para muita gente é muito complicado entender a diferença entre metro linear e metro quadrado... bem se vê que é malta que não está habituada à costura e outras coisas que tais - eu também não, mas felizmente entendo o conceito - agora se lhes falássemos em futebolês talvez entendessem tudinho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar devíamos andar sempre acompanhados de uma professora primária! : DDDDDD

      Eliminar
  11. E estamos tão longe de Setembro e do back to school do Continente...

    ResponderEliminar
  12. Já tive uma situação similar aqui no estaminé. Com a agravante da criatura estar armada em pavão acompanhada por dois estagiários, que ficam logo com a bela ideia que assim é que se trabalha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes também estavam muito convictos... depois passou-lhes :)

      Eliminar
  13. A sério? Tiveram de lhes explicar a diferença entre metros lineares e metros quadrados?
    Se eu fosse fiscal e tivesse um buraco enterrava-me com vergonha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mirone, no fim, e tal foi a nervoseira, a senhora até se esqueceu das papeladas todas em cima da minha mesa : DDDDDD

      Eliminar
  14. Ah! Também ando aí com coisas, atravessadas, com uma bela Junta de Freguesia.
    Neste caso, taxa de ocupação da via pública, instalação de esplanada. Não deixam! Só autorizam se pagar a divida que um anterior proprietário deixou... Pedi um parecer prévio, para ver da viabilidade de colocar uma esplanada,etc e tal. Estou para ver o que respondem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Si prépára! Tens aí muita conversa pela frente! :D

      Eliminar
  15. Sabendo bem a diferença entre m e mquadrados não percebi como é que é suposto efetuarem as medições. Sendo os m2 resultado de um produto o valor é sempre superior... A sério! Esclarece-me sff. Sei q arrisco o momento dah do dia mas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos supor que que a placa tem 10m de comprimento por 0,5m de altura = 5m2
      A senhora media os tais 10m2 de comprimento e insistia que 5m2 não podia corresponder àquele dizer em particular :)

      Eliminar
    2. Anónimo, não se ofenda com esta minha brincadeira, mas por momentos suspeitei qiue fosse a tal fiscal que se foi embora nervosa, deixando as ferramentas de trabalho para trás, sem ter ficado convencida. :))))))))))))))))))))))))

      Eliminar
    3. lol Não, não me ofendo. :D

      Eliminar
    4. Eu tenho a certeza que mais pessoas ficaram com dúvidas. Vá admitam. Ou vou ser só eu a fazer figuras tristes. Vá, temos que ser umas prás outras. :D:D

      Eliminar
  16. Eu tenho-me agastado tanto com este tipo de coisas. É q a dada altura eu n percebo se as pessoas sao mm burras, se lhes pagam p serem burras, se simplesmente se estão a cag** ou se gostam mm de tentar lixar a vida à malta.
    Mas pronto, dizem os crentes q não, q o estado só faz bem as coisas. Eu bem tento explicar q o estado n é pessoa de bem, mas ninguém m'acredita!

    ResponderEliminar
  17. ...essa faz-me lembrar aquela do tipo que queria abrir uma janela nas "águas furtadas" e disse ao construtor que ia fazer um pedido de licenciamento à câmara municipal, o construtor disse logo que era perda de tempo pedir licença para "abrir" uma janela, porque viria logo indeferida, assim, seria muito melhor pedir uma licença para "fechar uma janela". O indeferimento era garantido e assim abria a janela, depois da obra pronta, assunto arrumado.

    ResponderEliminar