sexta-feira, 22 de abril de 2016

E depois a pessoa vem buscar os seus filhos à escola

E a coisa está complicada para estacionar, que é véspera de fim-de-semana comprido e os pais estão todos à espera para partir para as mini-férias, e a pessoa avança com o carro para ver se há um lugar, mas está um pai com uma banheira Mercedes atravessada na estrada a empatar o trânsito todo, e a pessoa avança mais um bocadinho, e depois vagam dois lugares ao mesmo tempo, e a pessoa faz a manobra para estacionar no lugar mais longe do pai com a banheira Mercedes, mas o pai da banheira Mercedes fica aflito, pensa que a pessoa lhe vai furtar o lugar, então vem por ali de marcha atrás a toda a velocidade, e a pessoa a apitar, piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, e TAU! Que o meu carro até deu um salto para trás. A pessoa então mete marcha atrás, estaciona no tal lugar onde ia estacionar, sai do carro, olha para o para choques, a coisa não foi grave, uma pequena amolgadela, os riscos saem com a mão, mas ainda foi uma bela panada, o pai da banheira Mercedes estaciona lá onde ia estacionar, a pessoa fica à espera a olhar para a banheira. E o senhor fica dentro do carro. E a pessoa a olhar, e o senhor lá está, tranquilo da sua vida, e a pessoa a olhar, já de boca aberta, e o senhor dentro do carro a mirar o horizonte, e a pessoa ali, feita parva, à espera que o senhor saia, que peça desculpa, os minutos a passar, e o senhor barricado na sua banheira. E a pessoa não percebe o que é suposto fazer, fica só ali com os olhos esbugalhados, à espera, e passados mais de cinco minutos, o senhor, talvez estranhando a minha presença ao melhor género estatuária, no meio da estrada, percebendo talvez que eu não estava ali a admirá-lo pela sua estonteante beleza, lá abriu a janela e perguntou-me com um ar muito espantado "eu bati-lhe? Sim, bateu! Olhe, então desculpe" E pronto. Depois escrevi este post.


25 comentários:

  1. AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
    E a pessoa (tu) quando fores à oficina também depois vens escrever um post, não acredito é que seja com essa alegria toda :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem vou à oficina. Na verdade eu só vi os riscos e passei com a mão e eles saíam. O meu filho é que deu pela mossa quando lhe contei :)

      Eliminar
  2. Fosga-se! Isso é que é ter mesmo cara podre!

    :|

    ResponderEliminar
  3. "Então desculpe"?!
    O.o

    Tá certo. Podia não ter pedido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Houve ali um momento em que achei que nem isso ia fazer! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
  4. Eh eh eh nem tudo foi perdido, o fulano pediu desculpas imagine só se ele parte para a estupidez dos insultos como muito do chamado "jet" faz

    ResponderEliminar
  5. Eu consigo sentir vergonha alheia! Que pessoazinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nem senti nada. Fiquei só com cara de parva! :D

      Eliminar
  6. Realmente uma mulher ao volante tem de ter uma pachorra constante.

    ResponderEliminar
  7. Palmier nesses casos faça sempre o preenchimento da Declaração Amigável... Uma amiga minha numa panada inocente dessas 2 dias depois finaram-se os sensores de estacionamento e teve que se aguentar à bomboca porque tinha sido um "toquezinho" de nada!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade... mas fiquei tão parva que nem tive reacção.

      (de qualquer forma, se acontecesse uma coisa desse tipo, da próxima vez que o visse ia lá bater-lhe ao vidro :D)

      Eliminar
    2. Eu conheci um rapaz que também saiu do carro verificou se estava tudo bem, está sim senhor bora. Quando abriu o porta bagagem... tudo partido!

      Eliminar
    3. :DDDDDDDDDDDDDDDDDD

      (para já o carro ainda não se desfez :D)

      Eliminar
  8. Isso é que é ter lata!!
    Mas não me espanta, tive uma parecida...
    Uma senhora que não parou no cruzamento e tem um encontro imediato com a porta de trás do meu carro. Pára, sai e sem dizer uma única palavra, puxa da manga do casaco, limpa os riscos da porta (ignorando a mossa) e diz com a maior desfaçatez "Isto não é nada!!" Olhei para ela, disse-lhe boa tarde e perguntei-lhe se preferia assinar a declaração amigável ou chamar a polícia. Se me tivesse pedido desculpa nem lhe tinha dito nada.

    ResponderEliminar
  9. Bem vistas as coisas , o homem nem lhe bateu a si, bateu no carro. Uma coisa, percebe ? E coisas são coisas, não sentem, percebe ? Deve estão tão habituado dar encostos com a baneira-chaimite absolutamente intimidante para a as outras coisas com 4 rodas, que nem percebeu porque é que a mulher estava a olhar para ele de boca aberta. Provavelmente apercebeu-se que ele é um tipo muito jeitoso. Finalmente !. Mesmo assim, convém não facilitar e toca a pentear a melena à surfista e a encolher a barriga. Agora é que ela cai para trás... abre a janela , deixa o charme sair primeiro, aquece a voz...

    ResponderEliminar

  10. Fico tão grata de no meu tempo, em mil novecentos e troca o passo, haver a carrinha do colégio. É que estando perante a sua situação, o senhor meu pai seria bem capaz de me ir buscar no dia seguinte de chaimite. Só para provocar o condutor do mercedes.

    ResponderEliminar
  11. Há mesmo pessoas inacreditáveis, é preciso ter lata, ter lata não, ser feito de lata!!!

    ResponderEliminar
  12. Passo todos os dias pelas Doroteias e todo os dias me dá cá uns nervos os paizinhos!!!

    ResponderEliminar
  13. E quando estacionam e ao sair, batem à vontade com a porta no carro do lado.
    Depois, simplesmente vão embora ignorando quem está lá dentro, estupefacto a ver e a sentir, digo sentir pelo encontrão que foi.

    ResponderEliminar