quinta-feira, 14 de abril de 2016

OMG! OMG! Já tenho uma espécie de chão!



Parece que é na Terça-Feira que vão encher a placa, mas nunca se sabe, que esta obra não é mais que um imprevisto, aliás na minha cabeça a obra já se tornou numa coisa com vida própria, quase como se não tivesse objectivo, como se fosse uma coisa que está ali a acontecer não se sabe para quê. No princípio sonhava literalmente com o resultado final, imaginava acabamentos, via-me a acordar numa casa cheia de luz, a adormecer a olhar para as luzinhas dos barcos no rio, agora o resultado deixou de ter importância, como se a obra fosse uma tapeçaria para o Ulisses, uma tapeçaria eterna onde, por mais que se teça, nunca se verá o fim. E não é má esta sensação.  


24 comentários:

  1. Esperemos que os operários não sejam como a Penélope e não façam a obra de dia e a desmanchem de noite...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahhahahhahahaahhahahahahhahahhahahhahahhahahahhahahhahhahahhahahahahahahahahahhahah
      Não me admirava nada! Com o tempo que isto já leva... :DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  2. Agora vai crescer num instante, a estrutura ergue-se depressa. Depois volta a abrandar. Suponho que a sensação de ver uma obra a crescer seja muito próxima da que se tem quando andamos numa montanha russa. Queremos muito que comece, arranca devagar, a certa altura percebemos que já não vai subir muito mais e temos medo da descida que aí vem. Descemos com o estômago na garganta entre gritos de medo e excitação. Retomamos uma subida mais calma, ah... afinal de contas não é assim tão assustador..., curva fechada e nova descida, aaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhh, um loop, nunca mais ando nisto! Onde é que eu tinha a cabeça?, e a calma regressa. até à próxima descida. Saimos de lá com as pernas a tremer, mas vamos a correr para fila porque afinal queremos dar mais uma voltinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Mi! Descrição perfeita! :DDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  3. Fogo, mas essa gente trabalha a carvão?????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até acho que na última semana avançaram imenso! Eu cá fiquei espantada com os progressos!

      Eliminar
  4. agora é uma por semana, laje leia-se ou pouco mais, vai ver crescer todos os dias, pior depois é nos acabamentos que após o tijolo parece sempre igual, visto por fora.
    E esta é a fase que mais gosto de acompanhar.
    Boa obra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma laje por semana?! Hum... apontava mais para uma de quinze em quinze dias e, e... :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. eheheh é o normal 7 a 8 dias, mas já vi que essa malta é um pouco diferente.

      Eliminar
    3. Tudo com muita calma! :DDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  5. Palmier, diga antes que vão proceder à betonagem da laje.
    "Encher a placa" por favor não!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perdão! Perdão! :DDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. o anónimo não compreendeu que a PME estava a usar um termo vintage.

      Eliminar
    3. Sou um pouco antiga, nada a fazer... :DDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  6. Nunca viste um filme com o Tom Hanks chamado "The money pit"?

    É mais ou menos isso...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o Título, por cá, era "Um dia a casa vem abaixo"!
      É tão antigo que o Tom Hanks ainda fazia comédias...

      :)

      Eliminar
  7. andava para reclamar a tua ausência deste blogomundo sempre a fervilhar, mas já percebi que tens andado a ajudar os homens a fazer aquilo que já devia estar feito (é sempre assim). os progressos - obviamente - já se vêem a milhas.


    (esses senhores não deviam estar em tronco nú?... pensei que estávamos conversadas nessa ponto.)

    ResponderEliminar
  8. Senti o mesmo no processo de construção da minha casa.´Quando ficou pronta até custou a acreditar. Olhava para ela e pensava muito triste, "onde está o meu monstro despido?".
    É que parecendo que não, aquele monstro despido era objecto da projeção da casa dos meus sonhos ... Quando ficou pronta senti-me despida dos sonhos.
    É uma fase que termina e outra que começa. A decoração! Essa é a grande loucura interminável.

    ResponderEliminar
  9. Isso mais parecem as obras de Mafra... ufffffffff ainda só está assim? despede esses trabalhadores :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que más que vocês são! Tadinhos, que são tão queridos!

      Eliminar
    2. Sim claro, parecem dois burros a olhar para um palácio :) não vejo nenhum a trabalhar, já me parecem aquela classe de trabalhadores que estão 6 e só 1 faz alguma coisa :))

      Eliminar