quinta-feira, 23 de junho de 2016

É que me parece que há aqui um padrão...

O que raio se passará comigo e com os livros com histórias passadas em ilhas?!...

24 comentários:

  1. Respostas
    1. Também és aficionada das ilhas, portanto :D

      Eliminar
    2. Há qualquer coisa no facto das personagens estarem confinadas a um sítio de onde não podem sair que torna as histórias passadas em ilhas especialmente boas :)

      Eliminar
    3. exactamente.

      (sempre senti que Portugal, face à geografia e à politica, era uma ilha. um país atrofiador)

      Eliminar
    4. Podes então avançar e passar isso a livro. Já sabes que tens aqui uma leitora :D

      Eliminar
    5. (falta-nos aqui o grande mestre Pipoco, para analisar mais esta tua faceta "interessante"...)

      Eliminar
  2. Se gosta de deixar o melhor para o fim, comece pelo Deus das Moscas. Não achei particularmente brilhante para tanto alarido, mas os restantes também não li. Depois dê a sua opinião sobre a Ilha dos Canibais, também tenho aqui na longa pilha de livros (multiplicam-se sozinhos) que se vai acumulando.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já li todos menos a Ilha dos Canibais. Será o próximo.

      (também não adorei o Deus das Moscas, sobretudo porque o li a seguir à Ilha de Sukkwan...)

      Eliminar
    2. Depois dê a sua opinião quanto à ilha dos canibais, sff. Nunca tinha ouvido falar nem do livro nem do escritor.
      Muito obrigada.

      Eliminar
  3. Se quiseres esticar a coisa para outras formas artísticas, posso sugerir uma música, "Dry land" dos Marillion! O refrão é:

    You're an island
    But i can´t leave you all out at sea
    you're so violent with your silence
    You're an island
    I can´t breathe
    Won't you speak to me
    I'm on dry land
    Won't you help me, please"

    Depois já podes apregoar a tendencia com mais propriedade...

    (e a música, na minha opinião, é lindíssima!)

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uau! Isto hoje há letras de músicas por todos os blogs :D

      Eliminar
  4. Olá miúda!!!

    Venho aqui a correr para te dizer que é uma excelente escolha, sobretudo o Deus das Moscas, mas que te faltam aí dois sobre ilhas, igualmente bons, e que são estes:

    1 - O anjo dos Esquecidos de Heinz G. Konsalik
    2 - As Três Sereias, de Irwing Wallace

    Ando a viajar, não por ilhas, mas dentro da minha própria cabeça, pelo que deixo um grande abraço de saudades e promessas vãs de breve regresso!


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sua desaparecida, devias levar um tau-tau!

      (que boooooooooooooom! Julgava que tinha esgotado as ilhas todas e agora estou bué contente com mais duas! :D)

      Eliminar
  5. Tens outro de ilhas que falta aí: "A ilha" de Victoria Hislop

    ResponderEliminar
  6. A ilha de caribou é tão bom como o outro dele palmy?
    Nídia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito o mesmo género, mas sem aquele momento volte-face...
      A Ilha de Sukkwan é bastante melhor.

      Eliminar
  7. Hoje percebo a lógica desta sua apetência: a intuição feminina é imbatível, e já estaria a adivinhar o desfecho do Brexit.

    ResponderEliminar