segunda-feira, 18 de maio de 2015

E depois de várias semanas a treinar os exames nacionais do sexto ano

Chego à conclusão que o objectivo do Ministério da Educação não é avaliar conhecimentos, mas sim verificar quais, de entre as crianças que vão a exame, conseguem detectar as pequenas armadilhas espalhadas estrategicamente por todas as perguntas. E depois de perceber isto, fico sem perceber qual o objectivo de tão estranha estratégia. É que uma coisa é avaliar conhecimentos, outra, bem diferente, é avaliar a capacidade de fazer gincanas.



27 comentários:

  1. Talvez porque o saber pasou a saber esconder o não saber. Faz sentido

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devo estar a ficar afectada pelos exames... não percebi :D

      Eliminar
    2. Referia-me a detecçao de armadilhas.

      Eliminar
  2. Ou avaliar o ranking das escolas, ou avaliar os professores, ou, ou, ou....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sou contra os exames, e até os acho úteis como forma de exigir mais das escolas. No fundo é uma forma de avaliar o trabalho tanto das escolas e dos professores. Acho é que os exames deviam ser mais lineares (e que deviam ter umas perguntas mais puxadas para distinguir um aluno de nível 4 de um de nível 5). Mas não deviam focar-se unicamente nas "armadilhas"...

      Eliminar
    2. Palmier, eu também não sou contra mas só por uma razão e, a razão prende-se com o facto de haver uma necessidade muito grande (na minha opinião) dos miúdos se relacionarem com os exames de forma pacifica, ou seja, começarem cedo a desdramatizar este conceito. Afinal, eles vão continuar a ter exames ao longo do percurso escolar, na faculdade e, quanto mais cedo perceberem que os exames não são "o bicho de sete cabeças" ficarão mais bem preparados para os enfrentar. É evidente que estes exames não servem propriamente para avaliação dos alunos, isso o ME está-se nas "tintas".
      Quanto a um aluno de 4 ou um de 5, assim como um de 10 ou um de 15, não se podem distinguir através de um exame mas, é o que temos. Infelizmente, já vi adultos medianos a bloquearem completamente nos exames e, de facto, não é justo.
      Não tenha duvidas de que estes exames do 4º ano só servem para o ME fazer uma avaliação global tanto das escolas como dos professores, mas também lhe digo que a burocracia é tanta que os professores gastam mais tempo a preencher papeis do que a dar aulas. Só para satisfazer o ego do Sr. Ministro Crato.
      Só a titulo de curiosidade, o pai do Sr. ministro foi meu professor de matemática ( Oh, deus meu ).

      Eliminar
    3. Mas isso é que é estranho, é que o objectivo dos exames deveria ser o de avaliar os alunos... :/

      Eliminar
    4. Pois é Palmier, mas não é. Nesta fase, dos nossos miúdos e, até ao 9º ano, não é. A partir daí conta-se (mas pouco) com a participação nas aulas.
      O nosso método de avaliação escolar deixa muito a desejar, infelizmente. Não é absolutamente nada pedagógico.
      Não se esqueça que grande parte dos professores dos 1º e 2º ciclos são para eliminar. E como é que isso se faz sem deixar rasto de incompetência?
      Em relação ás armadilhas elas existem e não são poucas, mas também existe, normalmente uma pergunta, que só um aluno mais "espevitado" responde. Parece que este ano as "coisas" estão mais facilitadas, porque será? A ver vamos com "papão" do exame de matemática.
      Espero que tudo tenha corrido bem por aí!

      Eliminar
    5. O meu só faz o primeiro exame amanhã :), mas também já ouvi essa teoria... parece que em ano de eleições convém que os meninos sejam inteligentes :D

      Eliminar
  3. Para se ter futuro neste país é fundamental saber fazer gincanas, na politica terão com certeza um futuro brilhante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso estive mesmo para acrescentar essa conclusão ao post :D, que era a estratégia adequada para um país como o nosso :D

      Eliminar
  4. Penso que será algo comum a outros exames. Estou a treinar para o proficiency e muitas das questõs requerem que saibamos evitar as armadilhas, mais do que outra coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é quando essa estratégia é adoptada tanto para adultos como para crianças... é que as últimas não têm a mesma capacidade de se focar...

      Eliminar
    2. Qualquer avaliação, seja qual for o destinatário, devia ser séria, e não ardilosa. Uma avaliação séria mostra respeito por quem está a ser avaliado, enquanto a avaliação-detecção-de-armadilhas está no fundo a chamar-nos burros. É como se nos dissesse: "Não quero saber se sabes, quero só ver se cais que nem um patinho"

      Eliminar
  5. Estou a falar sem perfeito conhecimento de causa, não vi o exame, só sei aquilo que li nas notícias, mas à partida não sou contra as gincanas, pode ser uma boa forma de avaliar a capacidade de aplicar conhecimentos fora do contexto expectável. Isso seria até meritório se os alunos fossem preparados para pensar, para questionar, para terem espírito crítico, para procurarem soluções diferentes das apresentadas. Ora bem sabemos que não é isso que os programas do MEC previligiam. Não faz sentido andar um ano a despejar matéria, obrigar os alunos a memorizar conceitos ( que também faz falta) e depois ir avaliar uma competência que não foi trabalhada. Espero que tudo corra pelo melhor, pelo sim pelo não, ainda avisei o meu para não estranhar se descobrir várias respostas certas para a mesma pergunta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mgp, eu também não sou contra, acho que os exames podem conter umas perguntas mais torcidas :), só acho é que não deviam privilegiar quase exclusivamente esse tipo de perguntas... é que com 11/12 anos, os miúdos, para além da dose de ingenuidade que ainda conservam, estão a passar uma fase de difícil concentração, uma vez que assuntos mais importantes se levantam :D... daí que ache que os exames devessem ser mais "fair"...

      Eliminar
  6. Oh Palmier, mas não percebeu o verdadeiro objectivo? Isto tudo é para eles melhor se prepararem para as suas futuras carreiras bloguistas. É preciso ver que nem todos são bafejados com a sorte de terem bons exemplos em casa. Para a grande maioria terá que ser ensinada a escola a ensinar essa coisa das gincanas e armadilhas estrategicamente espalhadas por todo o lado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahhahaahhahahhahahhahahahhahahahhahahahhahahah deve ser isso, sim! :D

      Eliminar
  7. Respostas
    1. E então? Acabei de ver um artigo, que era fácil, muito fácil até (fico sempre de pé atrás quando há demasiadas facilidades). Correu bem?

      Eliminar
    2. Parece que sim. Também me disse que era fácil... brrrrrrrr :D

      Eliminar
  8. De acordo! Ainda ando a pensar… Estes exames nacionais servem a quem?

    ResponderEliminar
  9. É para ficarem a saber quais são os miúdos que um dia mais tarde lhes vão detectar as ratoeiras (aka mentiras) e começar desde já a controlá-los!! True story!

    ResponderEliminar
  10. Enquanto professora de Português do sexto ano posso dizer que acertou em cheio. Passo o ano a treinar alunos para as ratoeiras dos exames. Mas depois no fim os critérios de correção mudam três vezes até ficarem de modo a darem o maior número de positivas que seja possível e pronto: passa tudo e até para o ano. Isto dos exames é só para inglês ver e dá cabo dos nervos aos miúdos, aos professores e aos pais.

    ResponderEliminar