sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Tanganica -The Return

Depois de termos sido abandonadas pelo nosso Grande Líder, deambulámos por muito tempo pelas terras devastadas de Tanganica, carregando no regaço o ícone dourado de São Sansão, o único objecto sagrado resgatado do Templo do Grande Pássaro, consumido por enormes labaredas sulfurosas no próprio dia em que fomos por Ele enjeitadas, foi esse o tempo em que densas nuvens plúmbeas cobriram o sol e que a nós, as outrora graciosas flamingas de plumagem colorida e sedosa, nos pareceu infinito, tempos de trevas tenebrosas em que a desolação se instalou e a alegria se esvaiu juntamente com as enxurradas de lama vulcânica, tempos em que a fome grassou, obrigando-nos a lutar arduamente pela sobrevivência, num claro downgrade ao lifestyle a que fôramos habituadas, tempos em que aquele que era conhecido como o lago mais blogosférico da Blogosfera deixou de servir pequenos almoços com panquecas e papas de aveia, em que deixámos de saber novidades sobre os must-have mais recentes e em que os brunches foram definitivamente suprimidos, impossibilitando-nos de alimentar os nossos blogs e instagrams, tempos sem lei nem ordem e em que ventos gelados sopraram das estepes polares, obrigando-nos a cobrir a nossa plumagem desbotada com velhos sobretudos de colecções passadas, lutando contra ciclones, ajoujadas pela força das cinzas suspensas no ar e pelo peso dos nossos parcos haveres - os poucos que resistiram ao saque generalizado da nossas fronteiras desprotegidas - tempos em que, gemendo, rastejámos pelos pântanos de enxofre por onde vimos partir as nossas conterrâneas com o farnel dependurado num velho cabo de vassoura, numa onda de emigração em massa de Tanganiquienses em busca de segurança e melhores condições de vida, reduzindo a nossa população a níveis perto da extinção. Mas estamos crentes que ontem, quando, pela primeira vez em quinhentos e sessenta e sete dias, o primeiro raio de sol conseguiu finalmente irromper pela espessa camada de nuvens cinzentas, incidindo obliquamente sobre o ícone sagrado, vislumbrámos Sansão, lá no alto, planando sobre as águas do Lago, e foi então que nós, as valorosas flamingas, as pouquíssimas que resistiram à angústia da espera, as únicas que acreditaram verdadeiramente, abrimos as asas aos céus e, com os olhos marejados de lágrimas, gritámos em uníssono enquanto nos abraçávamos: afinal ainda há esperança, Ele regressou!


16 comentários:

  1. Oh Tanganica Prometida, a terra onde correm rios de leite e mel...

    ResponderEliminar
  2. muitas coisas se passam no lago tanganica... em muitos lugares...ora a flamingas ou a pássaros alfa, mas isso dos "enxofres" parece que foi culpa dos adubos.

    ResponderEliminar
  3. O Pássaro Sansão voltou!
    De penacho dourado armado, bico apontado e olhos semin-cerrados, plana sobranceiro sobre nós, flamingas debilitadas, sequiosas de seus ensinamentos e prelecções doutorais, prostradas em vénia submissa, projeta a sua voz roufenha:
    "I will make Tanganica great again"
    As flamingas, "grabbed by the pussy", estremecem e ouvem com atenção o que Ele tem para dizer. Construirá um grandioso muro nas margens de Tanganica, um muro que impedirá a entrada de criaturas indesejada nos seus territórios e providenciará pela imediata expulsão dos que ousaram entrar e permanecer nas margens do Lago sagrado, estabelecerá uma lista de perigosas espécies a quem seria vedada a entrada. Promete trabalho a todos os Tanganicences, mas só a estes. Giza novas alianças geo-politicas e empunhado a sua pena dourada lavra, frenético, toda a sorte de decretos, editais, memorandos e posturas e logo oscéus se abrem em nova aurora, trazida pelo manto dourado das grandiosas asas de Sansão que este deposita sobre o lago e as flamingas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahahahhahahahahhahahahahhahahahahhahahahahahahhaahahahahahahahhahahahhahahahahaahhahahahahahahhahahahahhahahahahhahahahahahahah

      É o final apoteótico deste épico! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Agora não consigo ver/ouvir mais nada!
      :DDDDDD

      Que metáfora maravilhosa!

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Pipoco, as coisas são como são, depois de tantos sóis e tantas luas votadas ao abandono, a situação em Tanganica está um pouco descontrolada... :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Tsss, tsss, tsss. São fontes inventadas, Pipoco, de certeza.

      Eliminar
    3. Disseram-me agora mesmo que se tratam de fake-news! :DDDDDDDDDD

      (mas não se preocupem, estes órgãos de comunicação social já foram impedidos de entrar em Tanganica!)

      Eliminar
  5. Não se via nada assim desde o reino de Preste João!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo assim, não é sequer comparável! :DDDDDDDDDD

      Eliminar