sábado, 22 de outubro de 2016

Ainda estou a recuperar desta experiência traumática

Fui deixar a minha filha a uma festa daquelas que não vale a pena voltar para casa, que quando se chega tem de se voltar a sair para ir buscar, e então pensei que podia aproveitar para ir ao Ikea buscar aquelas molas de fechar os pacotes de bolachas e ver as almofadas, que os enchimentos de penas do Ikea são de longe os melhores enchimentos de todos, os mais confortáveis e fofinhos, e então lá fui eu, estacionei o carro, subi por ali acima, o bafo de calor, Deuses!, comecei o percurso em passo rápido, sofás, mesas, cadeiras, estantes, cozinhas, a fila de pessoas para imaginar a cozinha perfeita na companhia dos diligentes funcionários devia ter algumas cem pessoas, todas encostadas por ali fora com um ar desesperado, a derreter, pior que numa repartição de finanças, depois a secção de camas e colchões, pessoas deitadas por todo o lado, as camas desfeitas, os lençóis amarrotados, os edredons virados ao contrário, um caos completo, e o calor?, minha nossa senhora dos trópicos..., depois quase corri, a secção de crianças, os brinquedos inúteis, as escadas, os pratos, os talheres, os copos, as panelas, depois as almofadas, parei nas almofadas, mas logo fui abalroada por um casal, ela agarrou numa almofada e mostrou-a ao namorado como quem acabou de caçar um coelho no meio da floresta, mas o namorado respondeu-lhe de imediato que não, oh môr, essa é bué clichê, toda a gente tem uma almofada dessas!, e então ela largou o seu coelho entristecida e avançaram com o mesmo entusiasmo para as almofadas seguintes e eu ali fiquei, a observar de soslaio a almofada clichê até que fui interrompida por um casal já entradote, a senhora tocava nas almofadas todas e dizia que ela, percebi depois que era a nora, não tinha paciência para procurar mas que ela, a mãe, ia encontrar a almofada perfeita para o seu filho, e então o marido pegava nas almofadas todas e trazia-as à sua mulher como se fossem um santo no andor, para que a senhora se pronunciasse sobre a qualidade, mas a senhora afastava-o irritada e com desprezo, era evidente que ela é que ia encontrar a almofada do seu menino, e então eu desisti das almofadas, passei pelos tapetes, pelas coisas de casa de banho, onde ainda tive oportunidade de ouvir uma senhora gabar a inegável qualidade de uns toalheiros azul turquesa, enquanto o marido respondia em tom estridente, porra, eu já te disse que não quero comprar  nada!, depois passei pelos cabides, pelas caixas, pelos candeeiros, pelas molduras, pelas plantas e... caramba... as molas?! Esqueci-me das molas! Felizmente havia molas junto às caixas. Trouxe logo quatro pacotes, cento e vinte molas, para não ter de voltar tão cedo. Agora estou à porta da festa. Já escrevi este post e ainda faltam quinze minutos para acabar.

52 comentários:

  1. devias ter ido à Via Verde, fazias-me companhia (durante quase duas horas...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estive na Via Verde depois do almoço!!! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. JURA???? (mas não vi por lá nenhuma senhora elegante e jeitosa como tu, pá! :)

      e agora pergunto-me eu, será que te reconheceria?...

      (eu, obviamente, era aquela morena de 1,80m, linda de morrer!!!!)

      Eliminar
    3. :DDDDDDDDDD
      Na verdade eu fiquei no carro, que não havia lugar para parar, e o meu marido é que foi lá :D mas estive à espera dele uma meia hora :D

      Eliminar
    4. Mas ele, quando voltou, falou -me de uma morena linda e altíssima!

      Eliminar
    5. ahahhhahahahahahahahahahahah!

      (não estivesse o scp a perder e tínhamos aqui conversa para marcar porrada no marquês :b :b :b)

      Eliminar
    6. :DDDDDDDDDD

      (Cheguei agora a casa e pela cara do meu filho percebi que se estava a dar o apocalipse com o Tondela :D)

      Eliminar
  2. Aventuras no IKEA :P
    Foste super rápida! Isso é que é aproveitar o tempo ;)

    ResponderEliminar
  3. Céus... Via verde, IKEA... Vocês foram más na última encarnação...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahhahahahhahahahahahahahhahahahahahhahahahahahaha

      Fomos bruxas! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Cuca, é o preço a pagar por sermos altas, magras, belas e maravilhosas!


      (quem me dera ser bruxa agora e mandar a Via Verde para um sitio que eu cá sei... era montar na vassoura e bora lá :)

      Eliminar
    3. Ahahahhahahahhahahahhahahhahahahhahahahahahahhahahahahaha

      (é... de castigo temos de passar os fins-de-semana enfiadas no Ikea! :DDDDDDDDDD)

      Eliminar
    4. Eu sou magra, bela e maravilhosa e passei o sábado com amigos e a descansar e assim. É certo que sou quase anã, mas se esse é o preço a pagar por um sábado dutti free, não me importo muito.

      Eliminar
    5. Ahahahahahhahahahhahahahahhahahahahahahhahahahahahagahahhahahahahahhahahahahahahhaha
      Mas durante os dias da semana, nem imaginas o bom que é ver o mundo do nosso primeiro andar... :DDDDDDDDDD

      Eliminar
  4. Ikea, a experiência sociológica (ou psiquiátrica?) de colocar gente dentro de um zoológico de mobiliário. Infelizmente, sempre que por lá passo sou eu que me sinto dentro da jaula. Talvez seja um zoológico de humanos visitado pelos sofás cama.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aaahhahahhahahahhahahhahahahhahahahhahahhahahhahahhahahhahahahhahahhahahahhahahahahahahahha

      É mesmo! :DDDDDDDDDDDDDDDDD

      Juro que acho que as pessoas estavam possuídas pelo espírito das formigas, a agarrar em tudo para levarem para o seu formigueiro, para o porem mais belo e confortável, super fortes, a pegarem em embalagens gigantescas, todos em fila, a seguir o carreirinho! Que medo! :DDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  5. Em espaços como o da Ikea ou em centros comerciais cheios, sinto-me sempre uma grande fascista.

    Não só desejo executar toda a gente, como acho tudo horrível. E se alguém me diz que aquela merda de comida é boa...ódio.

    ResponderEliminar
  6. Já agora, se o namorado não queria uma almofada igual a todas as outras, não ia à Ikea. É que tb não percebo a piada daquilo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... não sei, mas aquela, em particular, parece que era a almofada cliché e ele não a queria mesmo! :D

      Eliminar
  7. Detesto as festas no Bounce. Infelizmente a miudagem adora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cá detesto todas as festas que não dão tempo para voltar para casa antes de acabarem :D

      Eliminar
  8. Exma. Sra. D. Palmier
    Somos a informar que o seu post mereceu toda a nossa melhor atenção. Infelizmente não corresponde ao acordado, com excepção da bem sucedida publicidade às molas e respectiva foto, apesar de não constar legenda, condição mencionada na alínea b) da 2ª cláusula.
    Por esta razão, não lhe será devido nenhum pagamento, nem em dinheiro, nem sob outra forma de remuneração, pelo que aguardamos a sua visita para pagar as 120 molas.

    Melhores cumprimentos

    ResponderEliminar
  9. Minha querida amiga,
    A sua publicação deixou-me assaz perplexa - então a minha boa amiga aceita sair e tirar seus petizes dos salões anos cinquenta, de rosas e dourados estilo Pompadour - ou, se preferir, Du Barry - para os levar a celebrações de aniversários em que não existe salão para as mães confraternizarem, falando de temas essenciais para a humanidade (a única que interessa, ou seja, a nossa) como sejam a melhor maneira de conseguir um soufflé que não encolha, reuniões de tupperwares, cri-cri (crianças e criadas) e, concedo - mas só porque "the times they are changing"... - dos melhores locais para fazer unhas de gel e dos melhores cirurgiões plásticos cá do extremo ocidental?!
    E como se não bastasse aceitar que seus petizes frequentem essas festas, a minha amiga vai, de livre vontade, visitar uma loja cujo nome ninguém sabe dizer (IKEÁ ou IKEIA?)e muito menos o respectivo género (a ou o?) mas que todas nós sabemos que tresandam a povaréu que diz palavras como môr, bué e porra?!...
    Desiludiu-me, minha amiga, desiludiu-me...
    Vou ter que tomar uma chá de camomila para acalmar o nervoso.
    ptc

    ResponderEliminar
  10. Palmier pelo amor dos deusos do blogomundo, eu quero uma foto da almofada cliché

    (aqui há dias levei as fotos e as referencias da roupa de cama que eu queria, exatamente, e fui logo ter com um funcionario para que me dissesse onde estavam. O jovem diz "não a posso ajudar" e eu perguntei "há algum colega seu que possa?" e ele disse "a política da empresa é deixar que os clientes procurem por si próprios, nós apenas repomos, cobramos e ajudamos na saída caso necessário"... resta dizer que ainda durmo em lençóis velhos e almofadas carcomidas)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era uma almofada em preto e branco, meio étnica :D

      Eliminar
  11. Mas estás tolinha de todo?
    Minha querida, doce e fofa amiga (ainda temos que falar assim?) então a menina vai ao IKEA a um sábado?! Com chuva?!
    Só se fosse às 10 da manhã!
    Aí sim, se calhar não estaria gente aos saltos por toda a parte! E mesmo assim...
    Leva-se anos a recuperar de uma coisa assim!
    E às vezes só mesmo com terapia.
    Capaz de desenvolver uma fobia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bem sei, minha doce amiga, já lá vão vinte e quatro horas e ainda estou em estado de choque! Se calhar não me chega a terapia, vai ser mesmo necessário fisioterapia! :DDDDDDDDDD

      Eliminar
  12. Tenho as unhas iguais, é só o que me ocorre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então esta informação deve interessar-te: Dior Nuit (tem o melhor pincel de todos os vernizes e com o top coat dura-me uma semana)

      Eliminar
    2. E o top coat é de que marca, minha boa amiga?

      Eliminar
    3. Neste momento é um da Anny - quick dry - mas já usei outros...

      Eliminar
    4. Obrigada, vou experimentar!

      Eliminar
  13. Entrei uma vez no Ikea (e única).
    O meu homem teve uma hipoglicémia lá dentro e foi um sarilho para achar a saída e sair de lá!
    Nunca mais lá quis ir! Ficou traumatizado.

    Luciana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fogo... o melhor é levar sempre o pacotinho de açúcar!

      Eliminar
    2. Ele às vezes esquece-se do açúcar... ;)
      É um diabético muito indisciplinado! :D

      Eliminar
  14. IKEA só mesmo durante a semana pelas 10 horas, e sozinha (a não ser que seja para trazer uns móveis muito pesados, aí o marido é melhor ir).
    Mas para a próxima escusa de dar a volta do 1º piso toda, vai logo directa ao piso de baixo que começa nos produtos da cozinha e não se esquece das molas 😉.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já ouvi dizer que há uns atalhos, mas não sei o caminho!

      Eliminar
    2. Quando sobe a escada vira logo á direita, acho que é a ajuda ao cliente que lá está e continua por aí e vai dar ao refeitório/café e ás escadas e elevador para o piso debaixo. 😉

      Eliminar
    3. Ah, ok! Daqui a vinte anos, quando gastar as cento e vinte molas, vou pelo atalho! :D

      Eliminar
  15. Lol.
    Pode sempre apetecer-lhe muito aquela almofada clichê para a casa nova ��

    ResponderEliminar