domingo, 30 de outubro de 2016

O que estiveste a fazer hoje, Palmier?

Vai para cerca de setenta e seis anos que não me dignava a sujar as mãos com tinta. E foi bom.



26 comentários:

  1. Fantástica, esta sua interpretação dos que lutaram pela liberdade do bom povo do Quirguistão, quase se pode sentir o aroma da alfazema fresca calcada pela manhã pelas botas cardadas do opressor e também achei notável a sua interpretação do vento suão afunilando-se pelos blocos de cimento armado. Parabéns, está em forma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito gratificante para nós, artistas, saber que há quem, desse lado, estude as nossas motivações, os caminhos da arte nunca antes trilhados e compreenda a nossa obra! Muito obrigada! :DDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
    2. Habituei-me a apreciar art-deco, embora o que aqui nos oferece seja uma interessante proposta de fusão de impressionismo com rock sinfónico.

      Eliminar
    3. E isso percebe-se perfeitamente! Nota-se que é um entendido, que não se limita a uma apreciação superficial, que vai ao fundo das questões, que percebe a revolta contida da artista! E isso é um dom muito raro! Guarde-o bem!

      Eliminar
    4. Por outro lado, numa visão menos arrojada, vê-se perfeitamente que é um quadro sobre um rio muito poluído que corre de norte para sul e depois há uma ETAR e o rio fica bastante mais limpinho, sempre com o verde da esperança num mundo mais amigo do ambiente a acompanhar o rio, mesmo no percurso antes da ETAR.

      Eliminar
    5. (posso estar horas nisto, aviso já...)

      Eliminar
    6. (isto com o símbolo do SCP ali em cima do verde, era coisa com categoria suficiente para adornar o gabinete de um engenheiro AAA++++. Pense bem nisso que ainda fazemos negócio! :DDDDDDDDDDD)

      Eliminar
    7. Agora a sério, Palmier: quando diz "o que estiveste a fazer hoje" quer dizer "o que estiveste a fazer durante dez minutos hoje", certo?

      Eliminar
    8. Ahahahhahahhahahhahahahhahahahahhahahhahahhahahahhahahahahhhahhahahahhahahhahahahhahahaahahahhahahahhhahahahhhahahahahahahhahah


      (foi a tarde de hoje)

      (e a de ontem também... :DDDDDDDDDDD)

      (estamos a falar de uma obra com 100x80 cm....)

      Eliminar
    9. Palmier, se precisar de falar, estou aqui...

      Eliminar
    10. Obrigada, Pipoco! Sabia que podia contar consigo! :DDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  2. Estava aqui para comentar/perguntar se tinhas passado na secção dos queijos para arranjares inspiração mas depois leio a interpretação fantástica digna de um crítico de arte de alto gabarito nos comentários acima e remeto-me à minha santa ignorância.

    Gosto muito (do pouco que dá para ver).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aahhhahhahahhhahhahahahhahhahhahahahhahahhahah

      Foi na secção das verduras e tubérculos! Acho que dá perfeitamente para perceber! :DDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  3. Bom, do que percebi, é uma estrada, de um lado verde (árvores talvez) do outro o mar (lindoooo por sinal) e ao cantinho talvezzzzzzzz uma área de serviço? tá giro sim. Não perdeste o jeito ;)

    ResponderEliminar
  4. mas já andas a pintar as paredes da obra?!? então e o reboco??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes que eu gosto sempre de andar um passo à frente! :DDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  5. Eu tenho um vestido com esse padrão! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a grande tendência Outono-Inverno 2016! :DDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  6. Agora que a grande obra avança a todo o gás há que começar a pensar na decoração.

    (Gosto tanto!)

    ResponderEliminar
  7. Uma grande obra para uma grande parede?
    Sara

    ResponderEliminar
  8. Palmier, lembra-te que todos os génios se queixam de incompreensão.
    Há poesia na tua pintura!! Isso é uma ode ao outono construída com base num sonho que tiveste um dia destes quase ao acordar, não é?

    ResponderEliminar