sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Peço, desde já, perdão aos funcionários públicos trabalhadores e diligentes, MAS…

Chegar a uma reunião com um técnico de um ministério que inicia a conversa dizendo (sic):
- Eu sei deste assunto pela rama, COMO É ÓBVIO…
E, mais à frente, depois de eu lhe explicar que o documento que me estava a pedir era impossível de obter (porque dependia de outro organismo público com tanto medo -búúúú- da sombra como este) e que, portanto, aquela solução era totalmente inviável, ele me dizer (sic):
- Então, se não me consegue esse papel, traga-me ALGO!
Mesmo depois de instado a concretizar esse “algo”, o técnico não foi capaz de especificar o que pretendia. É que uma pessoa fica assim a modos que confusa… Algo?! Mas algo o quê?! Um Ferrero Rocher?! Um salmão fumado?! Uma cabeça de porco com uma laranja na boca?!  Oh pah… ALGO é um conceito um bocadinho difuso, não?

9 comentários:

  1. Algo, tipo um envelope gordo, cheio de notas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. Era mais: Se não me consegue esse papel, traga-me outro qualquer... qualquer coisa a que me possa agarrar... É o meeeeeeeedo... é terrível no funcionalismo público. Medo de decidir... e , depois, a malta anda aqui de um lado para o outro...

      Eliminar
  2. Eu apostava no Ferrero Rocher. Até já passou a altura do calor e tudo, por isso já não se estragam. :)

    ResponderEliminar